Por Iasmin Barboza

“Abrirei rios nas colinas estéreis, e fontes nos vales. Transformarei o deserto num lago, e o chão ressequido em mananciais.” Isaías 41.18

O que faz pessoas do país inteiro saírem de suas rotinas para um lugar de pessoas desconhecidas? O amor de Deus. Pessoas diferentes, fazendo coisas diferentes – visitas domiciliares, crianças, atendimentos de saúde, construção –, mas todos desejosos de ver o reino se expandindo na terra.

Mudança é a palavra que descreve bem tudo que aconteceu comigo na 12ª edição do Impacto Sertão Livre, em Massapê do Piauí. Mudança de mente, de vida e de coração. Dez dias de experiências indescritíveis!

Orando por este projeto, Deus me deu a passagem de Isaías 41.18. Logo soube que essa era a passagem. Cada dia que meditava nela, ouvia Deus dizendo que a terra ressequida que Ele queria transformar em manancial era o meu coração. Parecia duro, mas sabia que, se ele estava dizendo, era porque me amava.

Embarquei em 17 de julho para Teresina, em minha primeira experiência missionária, com um frio na barriga, mas crendo que grandes coisas aconteceriam. E Deus me surpreendeu! Aprendi que o verdadeiro evangelho não está relacionado a meu conforto, mas ao meu crescimento, ao me tornar parecida com Cristo. É muito fácil amar a Deus sem passar necessidades, no conforto da igreja. Porém, Deus nos chama para uma vida de renúncia onde ansiamos por coisas eternas.

A maior alegria de tudo que vivi no sertão, não era simplesmente saber que estava fazendo o que agradava ao meu Deus, mas saber que estava cumprindo a vontade do meu PAI. E que maravilha foi conhecer meus irmãos que moravam em Massapê do Piauí e mostra-los que éramos filhos do meu pai. Pessoas carentes de abraços, um ombro amigo para chorar, de um ouvido para desabafar. Qualquer lugar era bom para um dedo de prosa! Porque o que importava eram as pessoas e não lugar.

Conheci um povo de sorriso largo mesmo diante da dor. Me ensinaram que linhas de expressão no rosto nem sempre são sinais de velhice, mas de uma vida dura e batalhadora. Me ensinaram que uma simples refeição poderia ser um banquete.

Banhos de balde, dormir no chão, sol escaldante, longas caminhadas não eram capazes de nos enfraquecer diante dos abraços, das curas, das palavras sinceras de: “eu quero aceitar esse Jesus”.

Apresentar a fonte da vida para aqueles sertanejos era o motivo pelo qual voltávamos para o local onde dormíamos com o coração cheio de alegria. Gratos por ter um Deus tão grande, que mesmo sendo tão poderoso, perfeito e podendo fazer tudo sozinho, decidiu compartilhar as maravilhas do seu Reino com pessoas falhas e ainda os torná-los filhos.

Não ache que para cumprir sua vontade você precisa ir para sertão. Sim, há pessoas lá que precisam ouvir sobre o nosso salvador. No entanto, também existem pessoas ao seu redor que clamam por uma palavra de vida. Faça de qualquer lugar o seu campo missionário. Afinal, “a criação aguarda, com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam revelados.” (Romanos 8.1).

 – Iasmin Caroline Freitas Barboza, 21 anos, Rio De Janeiro, estudante de cinema.

Confira abaixo alguns registros do projeto missionário:

  1. MIRIAN BORGES CARVALHO LACERDA

    Amo o trabalho missionário
    Que impactante. Quero fazer parte de alguma forma. Só não sei como. Tenho o coração quebrantado para MISSÕES. 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

  2. LUIZ VANDERLEI V COUTINHO

    Que linda experiência!!! Também estive nesse evento missionário e aprendi que Deus tem abençoado sobremaneira o povo do sertão nordestino, apesar das dificuldades pelas quais eles passam, principalmente a falta de água potável. Que Deus continue te abençoando grandemente!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>