Famílias realizam ato pela humanização do parto [Foto: Tânia Rêgo/ Agência Brasil]

Parto natural ou cesárea? Essa é a dúvida com que muitas mulheres lidam durante a gestação. Infelizmente, muitas acabam escolhendo ou se submetendo à segunda opção, principalmente às que utilizam os serviços de saúde da rede particular. Em 2015, dos 3 milhões de partos feitos no Brasil, 55,5% foram cesáreas e 44,5%, partos normais. O elevado número de cesarianas no país coloca o Brasil em segundo lugar no mundo em percentual deste tipo de parto. Quando não indicado corretamente, a cesárea traz riscos com o aumento da probabilidade de surgimentos de problemas respiratórios para o recém-nascido e grande risco de morte materna e infantil.[1]

Estudos mostram que cada semana a mais de gestação aumenta as chances de o bebê nascer saudável. As últimas semanas de gestação permitem maior ganho de peso, maturidade cerebral e pulmonar. Mesmo assim, dados apontam que grande parte das cesarianas é realizada de forma eletiva, sem fatores de risco que justifiquem a cirurgia, e antes de a mulher entrar em trabalho de parto. “O trabalho de parto espontâneo é a única maneira 100% segura de saber que o bebê está pronto para nascer. Esse processo traz uma série de benefícios para a mãe e o bebê. Privá-los do trabalho de parto, por meio de cesarianas eletivas, pode gerar consequências negativas para a saúde de ambos”, diz Gary Stahl, representante do UNICEF no Brasil. [2]

Foto: Arquivo pessoal

O parto natural foi uma experiência marcante para a jovem Andressa Almendra, 21, mãe do Jônatas, de apenas nove meses. Para ela, a informação é um dos principais fatores para que a mulher tenha um parto natural e humanizado. Por isso, atualmente ela atua como doula e se dedica a auxiliar as gestantes que desejam um parto natural e respeitoso.

Andressa mora em Teresina, PI, é casada com Davi e ambos são missionários da PróSertão. Confira a entrevista que ela concedeu ao Paralelo10.

O que uma doula faz e como você iniciou nessa área?

A palavra doula vem do grego que significa “mulher que serve”. É uma assistente de parto, sem necessariamente ter uma formação médica. Ela dá o suporte emocional, psicológico e físico; antes, durante e depois do parto. Me tornei doula após ver que o normal e natural, aquilo que Deus planejou para nós, mulheres, estava sendo tirado por conta de conveniência médica. Então fui em busca de ter um parto normal, respeitoso e busquei informações. No meu caso, ajuda da doula foi de extrema importância para me deixar focada naquilo que eu idealizei para chegada do meu filho.  Após o nascimento do Jônatas, meu filho, percebi o quanto essa experiência é maravilhosa e inesquecível. E vi que ela deveria ser vivida de forma integra por todas as mulheres. Então fui em busca de mais conhecimento, fiz o curso de doula e encontrei não somente uma profissão mais uma missão – um chamado de amor a Deus, para que mais mulheres pudessem viver o que eu vivi: uma experiência linda, respeitosa e humanizada de um parto normal e natural.

O que significa ter um parto respeitoso e humanizado?

A humanização do parto nada mais é que deixar o natural acontecer, aquilo que Deus planejou para mulher.  Nosso corpo é perfeito e precisamos acreditar, que se Deus nos deu a possibilidade de gerar uma vida, ele também nos dá a possibilidade de ter o nascimento de forma natural. O nascimento é de uma beleza imensurável. O relato mais marcante que encontramos foi o nascimento de Jesus, ali em um lugar acolhedor, simples, acompanhado de seus pais, sem nenhuma intervenção médica e desnecessária. Claro que naquele tempo não tinha a tecnologia que hoje temos, e ela é muito bem vinda, pois salva milhões de vidas. Porém, com o passar do tempo, o nascimento foi deixando de ser um evento familiar para ser um evento hospitalar, tirando o protagonismo da mulher e da família, impossibilitando eles de viverem esse momento de forma prazerosa. É isso que diferencia um parto respeitoso, onde a mulher tem o direito de fazer suas escolhas, ser acompanhada por uma equipe multidisciplinar e preparada para lhe dá uma experiência única, sem violências obstétricas e tendo a possibilidade de desfrutar do momento mais lindo da sua vida.

Um parto humanizado está acessível a qualquer mulher ou só para quem tem condições de pagar?

Por incrível que pareça, pelo menos na realidade que atuo, em Teresina (PI), as maternidades do Sistema Único de Saúde (SUS) são referências. Diversas maternidades possuem centro de parto normal, onde a mulher consegue ter um parto normal e humanizado sem pagar nada. 

Há algumas maternidades particulares que também possuem centro de parto normal, porém a gestante deve procurar uma equipe particular e fazer um alto investimento para usufruir do serviço. E, apesar disso, o serviço das públicas  não se diferencia em nada das  particulares. O grande segredo de ter um parto normal humanizado é está bem informada e empoderada para que a mulher e o bebê sejam os protagonistas do parto.

Andressa atuando como doula

Como você relaciona o serviço de doulagem com a sua vocação?

Ao observar esse trabalho de doulagem, fui tocada profundamente. Principalmente por ver que muitas mulheres sofrem por falta de informação e atenção.  Assim, me vi no dever de “servir” essas mulheres, seja dando informações importantes previamente, seja na hora do trabalho de parto usando de métodos não farmacológico para alívio de suas dores, dando palavras de ânimo e procurando colocar a empatia em prática.

Quando vejo essas mulheres gerando vida, fico muito grata a Deus por ter me chamado para servir dessa forma tão singular. A luta é grande, pois parir de forma natural está cada vez mais difícil, porém “estou convencida que aquele que começou a boa obra, irá completa-la”. Ser doula é um trabalho muito gratificante, vejo a graça, o amor e a misericórdia de Deus em cada nascimento, sempre fico em êxtase e louvo a Deus por vivenciar o milagre da vida.

Notas
[1] http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-03/numero-de-cesarianas-cai-pela-primeira-vez-no-brasil
[2] https://nacoesunidas.org/unicef-alerta-para-elevado-numero-de-cesarianas-no-brasil/
  1. Nossa que coisa linda, isso é Deus se movendo em seus discípulos. Estão de parabens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>