Poesia fotográfica – texto de Zenilda Lua e foto de John Medcraft

Tudo que temos vem de Deus
isso nem se questiona
mas tem coisa enigmática
que muito impressiona
nos alegra, nos motiva,
inspira e emociona…

Há pouco tempo o sertão
era um braseiro danado
uma secura medonha
poeira pra todo lado
Hoje parece um jardim
cuidado por Querubim
campo verde serenado

A serra ganhou roupagem
de esperança sem fim
os animais satisfeitos
não dão conta do capim…
Preá, cigarra, formiga
e todo tipo de vida
não encontram tempo ruim

A chuva trouxe fartura
transformou tudo e recria
a sapaiada ensaia
sua melhor cantoria
e a sangria dos açudes
nos transborda de alegria

As flores colore aceiro,
baixio, barreira e estrada
a névoa contorna a serra
deixando-a emoldurada
uma paisagem divina
pintada com tinta fina
e por mãos bem esmeradas.

“Ele cobre o céu de nuvens
concede chuva na terra
bota relva na colina”…
Ele nunca erra em nada
abre as comportas do céu e mata a seca afogada!

• Zenilda Lua, nascida em Patos (PB), reside atualmente em São José dos Campos(SP). Atua como Assistente Social, escreveu livros de poemas e é mãe de Brisa.

• John Philip Medcraft, nascido em Londres, naturalizado brasileiro, mora em Patos (PB) há 45 anos. É pastor presidente da ACEV (Ação Evangélica) com compromisso com missão integral nos sertões nordestinos. Apaixonado por Jesus, Betinha, Caatinga e QPR (idealmente nesta ordem).

 

  1. Acursio Esteves

    Apraz-me

    Louvar a Deus com poema
    É para quem tem talento
    Nem todos que isso tentam
    Têm sucesso no intento
    Mas, me dá felicidade
    Quando o Dono da Verdade
    É versado a contento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>