Por Jénerson Alves

Eu li na Bíblia Sagrada
Que Deus disse a Abraão:
“Pegue o teu filho e o leve
Para outra região.
Tu deves sacrificá-lo
Em sinal de adoração”.

Recebendo a instrução,
Foi ao Monte Moriá.
Rachou lenha, acendeu fogo,
Levou o filho pra lá
E o menino perguntou:
“O cordeiro, onde é que está?”

“Meu filho, Deus proverá”,
Respondeu o genitor.
Fez um altar, pôs a lenha,
Quase chorando de dor,
Amarrou o filho nele
Como oferta ao Criador.

Mas um anjo do Senhor
Do céu gritou: “Abraão,
Não toques mais no rapaz!
Pois Deus viu teu coração
E da tua fidelidade
Os povos se lembrarão”.

Ao ler essa narração,
Eu fiquei me perguntando:
“Por que o Senhor fez isso?
Foi pra ficar assustando?
Quis enganar o Seu povo?
Ou só estava brincando?”

Alguém me disse que quando
Houve esse fato, esse enfoque,
Os pagãos tinham uma prática
Que ao escutar tive um choque:
Os pais queimavam seus filhos
Em sacrifício a Moloque.

O Senhor deu esse toque
Pra mostrar ao pecador
Que Ele não se alegra
Com sofrimento nem dor,
Mas o Seu santo caráter
É repleto de amor.

Depois, eu li que o Senhor
Falou à Virgem Maria:
“Darás à luz a um filho
Numa humilde estrebaria
E Ele salvará o povo
Do pecado que crucia”.

Pois quando chegou o dia
De ocorrer o prometido,
Uma vaca viu o parto,
Pertinho um boi deu mugido,
Era o Cordeiro de Deus
Que então havia nascido.

Com brilho e com alarido,
Veio um anjo do Senhor
Que deu a boa notícia
Aos pastores do setor:
“Dai glória a Deus nas alturas,
Pois nasceu o Salvador!”

O caráter de amor
Do Deus que a tudo tem,
Foi demonstrado no simples
Vilarejo de Belém
Traduzido nas feições
Do sorriso de um neném.

Neste mundo mal, o Bem
Veio redimir após.
O Deus Pai tornou-se filho
Para habitar entre nós
E um choro de criança
Foi Sua primeira voz.

Em meio a mato e lençóis,
Numa rústica ilustração,
Nasceu Jesus, o Messias,
Da linhagem de Abraão,
O Autor da nossa fé,
Luz da nossa salvação.

Ao ler essa explanação,
Sereno fiquei pensando:
“Por que o Senhor fez isso?
E ouvi uma voz falando:
“Foi por amor ao Seu povo,
E não estava brincando…”

Me ajoelhei chorado
E clamei ao Salvador:
“Cordeiro de Deus, que tira
Os crimes do pecador,
Meu coração todo dia
Que seja uma estrebaria
Pr’ o teu caráter de amor!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>