Poesia: Zenilda Lua | Foto: John Medcraft

De acordo com o Comitê Brasileiro de Registro Ornitológico o nome desta ave é ‘Garibaldi’ [Foto: John Medcraft]

Andava sentido, triste e mal amado
sem ter um roçado, um braço de Rio
sem ter uma musa ou penas brilhantes
calei-me bastante e não dei mais um pio

Pra me consolar veio o caboclinho
sabiá, rolinha, bem-te-vi, nambu
canário da terra, cancão e concriz
tiziu, carcará…veio até um tatu.

Trouxeram alento, comida de pronto
e eu feito um tonto tudo rejeitei
foi quando um deles, pediu um instante
me levou prum canto
e eu o escutei:

” Não se vende dois passarinhos por um ceitil? Sendo que nenhum deles cairá na terra sem a vontade do nosso Pai”!

“Arrepare e tome tento, oxe!”

De cada um de nós, Deus já fez a conta!
pare de sofrer, se alegre, se esbalde
Já que você vive comece a cantar!
Louve Jesus Cristo, irmão Garibaldi!

• Zenilda Lua, nascida em Patos (PB), reside atualmente em São José dos Campos(SP). Atua como Assistente Social, escreveu livros de poemas e é mãe de Brisa.

• John Philip Medcraft, nascido em Londres, naturalizado brasileiro, mora em Patos (PB) há 45 anos. É pastor presidente da ACEV (Ação Evangélica) com compromisso com missão integral nos sertões nordestinos. Apaixonado por Jesus, Betinha, Caatinga e QPR (idealmente nesta ordem).

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>