A comida já acabou. Tereza recolhe os pratos e os põe no jirau. A lenha empreteceu o bule que está com água pra preparar o cafezinho que o esposo, seu Romano, costuma tomar sempre depois do almoço. Junto com ele, as filhas e os genros continuam à mesa contando as presepadas que os curumins e as cunhantãs aprontaram no dia anterior, na beira do igarapé. O cheiro do café parece que foi longe. Logo se aproxima da casa seu Luzio – dono do caminhão que veio trazer o time de futebol da comunidade vizinha para participar do campeonato. Antigo conhecido da família, passa pra dentro sem cerimônia, puxa o banco e aceita a xícara de café que dona Tereza oferece. Enquanto o organismo faz a digestão e o jogo não começa, o compadre Luzio começa a contar seus causos e histórias de suas viagens, das pescas e caçadas na madrugada, e aquelas histórias da Cruviana, só pra meter medo nos curumins. Ao olhar atento da meninada e entre uma xícara e outra de café, o compadre emenda uma história na outra. Dona Tereza deixa a louça esperando no jirau e senta para ouvir as histórias do compadre. Mas é quando ele conta as piadas que o incomum acontece: consegue até arrancar um sorriso tímido do rosto carrancudo do velho Romano.

Seja no sertão nordestino ou no interior da Amazônia, cenas como essas ao redor da mesa são comuns. E não são só as crianças que ficam atentas às narrativas. Pessoas de todas as idades gostam de ouvir e contar boas histórias, sempre regadas a um cafezinho feito na hora, de preferência. As histórias são diversas, desde aquelas que habitam o imaginário popular àquelas verídicas, das atividades do dia-a-dia, que sempre ganham elementos surpresas na boca de um bom contador de histórias.

Jesus devia ser um desses cabras bons de contar histórias, talvez o melhor que já existiu. Não era à atoa que as multidões o seguiam e ou ouviam tão atenciosamente. Além dos milagres que realiza, ele também ensinava as pessoas, quase sempre por meio histórias e parábolas. Afinal, sua própria cultura, baseada na oralidade, valoriza as histórias e as inúmeras intervenções de Deus nessas histórias.

Durante o mês de agosto, queremos contar boas histórias no Portal Ultimato Online. E aqui no blog Paralelo 10 temos um espaço reservado às histórias de gente do norte e nordeste. Tem alguma história interessante para contar? Escreve pra gente: phelipe.reis@ultimato.com.br. Estamos aguardando.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>