Por Valdir Steuernagel

Todos nós somos agentes e vítimas de algo que se poderia chamar de obediência seletiva, no nosso seguimento a Jesus. Mas confesso que me é difícil entender a nossa indiferença com relação ao meio ambiente. Até parece que o Deus a quem seguimos não é o criador dos céus e da terra! Ou será que estou errado? Você ouviu recentemente algum sermão chamando a igreja à responsabilidade ambiental? Participou de algum programa que falasse da relação entre a missão da igreja e a ecologia? Por que é tão difícil para a igreja cumprir com a sua responsabilidade de cidadã?

Será porque a empresa missionária, nascida no ventre da modernidade, bebeu da água da conquista e alimentou-se na mesa da mentalidade do progresso? Assim, a natureza deveria ser conquistada e explorada com vistas ao nosso bem-estar…

Será porque a igreja foi contaminada pelo vírus do sucesso e, no processo de materialização da bênção, os cristãos só querem mais um carro na garagem?

Será porque a nossa percepção quanto aos principados e potestades é desencarnada, composta por uma visão dualista da história e carente de uma compreensão de Deus como o criador e o sustentador de todas as coisas?

É hora de arrepender-nos dessa obediência seletiva e de converter-nos ao Deus que criou os céus e a terra e nos chama a ser mordomos dele na sua criação. É hora de nos arrependermos de nossa espiritualização desencarnada e de voltarmos os olhos para a realidade da encarnação de Jesus, que nos convoca ao exercício de uma cidadania que saiba conviver com o outro e com a natureza.

Há anos aprendi com René Padilla, um dos meus mentores teológicos, que fomos criados para honrar a Deus, viver uns com os outros em harmonia e exercer uma cidadania responsável em relação à natureza. Transformemos este aprendizado em experiência de vida, tornando-nos agentes de consciência ecológica e gestores de uma prática humana saudável, na convivência com o meio ambiente e na busca da sobrevivência humana.

O engajamento das igrejas faz diferença. Isso aconteceu recentemente na Uganda, onde elas se empenharam ativamente na campanha de prevenção da contaminação com o vírus da aids e no cuidado dos aidéticos e de suas inevitáveis vítimas. O índice vem baixando e o mundo tem testemunhado isso. Precisamos:

• Gestar um estilo de vida que integre a justiça e o cuidado da natureza no nosso testemunho cristão.

• Integrar as nossas igrejas numa agenda ambiental que permita às gerações futuras ter uma qualidade de vida que lhes possibilite reconhecer a Deus como o criador de todas as coisas.

• Participar de alianças que promovam a consciência ecológica, a busca e vivências de novas alternativas energéticas e a denúncia dos grandes agentes poluidores que continuam a degradar a natureza.

É hora de acordar!

Nota: Este texto é parte do artigo “Já passou da hora de acordar”, publicado originalmente na edição 305 da revista Ultimato.

Valdir Steuernagel é pastor na Comunidade do Redentor, em Curitiba, PR. Faz parte da Aliança Cristã Evangélica do Brasil, da Aliança Cristã Evangélica Mundial e da Visão Mundial.

  1. Osvaldo da Cunha Batista

    Porque você não mostra sua ação em prol do meio ambiente, criticar é fácil mas fazer serve para os outros.

  2. Editor Paralelo10

    Caro, Osvaldo.
    Obrigado por acompanhar o blog Paralelo10.
    Bem, a publicação do artigo não tem como fim a crítica, mas sim a promoção e despertamento para uma reflexão sobre a necessidade de todos nós, cristãos, darmos mais atenção ao assunto. A promoção do diálogo e reflexão a cerca do cuidado com a criação é algo que faz parte da missão do Paralelo 10 há algum tempo, como você poderá verificar pelo conteúdo relacionado ao meio ambiente que já temos publicado ao longo dos anos em nosso blog. Confira:

    Plantar para o futuro
    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2016/10/plantar-para-o-futuro/

    Renas/Norte: Compromisso com o reino de Deus renovado
    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2016/10/renasnorte-compromisso-com-o-reino-de-deus-renovado/

    Mudanças climáticas e o papel da igreja na redenção da criação

    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2017/04/mudancas-climaticas-e-o-papel-da-igreja-na-redencao-da-criacao/

    Conversas sobre meio ambiente e Cristianismo no Pará
    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2014/03/conversas-sobre-meio-ambiente-e-cristianismo-no-para/

    Conversas sobre meio ambiente e Cristianismo em Manaus
    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2014/03/conversas-sobre-meio-ambiente-e-cristianismo-em-manaus/

    Mudanças climáticas: por que esse assunto merece atenção?
    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2016/08/mudancas-climaticas-por-que-esse-assunto-merece-atencao/

    Como um Biodigestor pode mudar a vida do Sertanejo?
    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2016/06/como-um-biodigestor-pode-mudar-a-vida-do-sertanejo/

    Cartilha traz orientações sobre cuidado e preservação da Caatinga
    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2016/06/cartilha-traz-orientacoes-sobre-cuidado-e-preservacao-da-caatinga/

    A criação e o papel dos seres humanos
    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2015/07/a-criacao-e-o-papel-dos-seres-humanos/

    Abaixo-assinado é lançado na internet em defesa do Parque Pico do Jabre, na Paraíba
    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2015/06/abaixo-assinado-e-lancado-na-internet-em-defesa-do-parque-pico-do-jabre/

    A beleza da natureza no sertão paraibano

    http://ultimato.com.br/sites/paralelo10/2015/06/a-beleza-da-natureza-no-sertao-paraibano/

  3. Antonia Leonora van der Meer

    Também gostei muito do artigo, é um chamado bem necessário ao arrependimento e ao engajamento com o cuidado responsável da natureza. Tonica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>