Os grupos focais são usados para descobrir o que um determinado grupo de pessoas pensa sobre uma questão. Uma discussão de grupo focal é realizada com um pequeno grupo de pessoas (geralmente cerca de 10-20). Ela é liderada por um facilitador.

Por que realizar uma discussão de grupo focal?

Alguns usos das discussões de grupo focal são:

  • Ajudar uma comunidade a identificar suas necessidades no início de um projeto;
  • Pesquisar uma questão específica – por exemplo, por que as meninas de uma determinada área estão deixando de ir à escola;
  • Ajudar a monitorar, revisar e avaliar nosso trabalho, permitindo-nos saber como está sendo a experiência da comunidade com ele.
  • As discussões de grupo focal podem ser úteis para obter as opiniões das crianças ou pessoas com baixos níveis de alfabetização, as quais teriam dificuldade para fazer comentários por escrito.

Quem deve participar?

Os grupos focais geralmente devem ser compostos por pessoas que partilham uma característica-chave comum. Por exemplo, em sua comunidade, você poderia realizar discussões de grupo focal separadas para:

  • Homens;
  • Mulheres;
  • Crianças (ou grupos separados de meninos e de meninas);
  • Idosos;
  • Pessoas com deficiência;
  • Grupos de meios de subsistência, tais como agricultores.

Você provavelmente terá de realizar vários grupos focais diferentes para obter uma visão geral das diferentes opiniões na comunidade inteira.

Quando e onde a discussão deve ser realizada?

Procure encontrar uma hora que seja adequada para todos os membros do grupo. Por exemplo, tente evitar os dias de mercado, festivais ou casamentos.

Encontre um local onde as pessoas se sintam à vontade e com espaço suficiente. O local deve ser razoavelmente calmo e privado. Ele também deve ser um local “neutro”, onde todos se sintam capazes de expressar seu ponto de vista. Todos os participantes devem ser capazes de chegar ao local facilmente.

Alguns exemplos de locais de encontro são:

  • um local à sombra de árvores;
  • um prédio da escola durante as férias escolares;
  • um pavilhão municipal.

Quanto tempo deve durar a discussão?

As discussões de grupo devem durar pelo menos uma hora, mas, de preferência, menos de duas horas – caso contrário, as pessoas começarão a perder o interesse.

ETAPAS

1 – Prepare-se com antecedência

Considere os seguintes pontos:

  • Quais são as perguntas-chaves que você quer fazer?
  • Como você registrará as informações provenientes da discussão?
  • De que materiais você precisará? Esses podem ser canetas, papel e lanche para os participantes.
  • Em que idioma você realizará a discussão?
  • Você precisará de um intérprete local?

2 – Dê boas-vindas ao grupo

Agradeça a todos por sua presença, apresente-se e apresente seus assistentes, se tiver algum. Informe o propósito da discussão do grupo focal. Convide os membros do grupo a se apresentarem. Você pode usar uma atividade de quebra-gelo ou jogo para ajudar as pessoas a se sentirem à vontade umas com as outras. Em grupo, decidam as regras que seguirão, como, por exemplo, uma pessoa falar de cada vez.

3 – Comece a discussão

Você talvez queira dividir os participantes em grupos de dois ou três para falar sobre o assunto, antes de reuni-los novamente. Você poderia pedir-lhes para colocar as coisas sobre as quais discutiram em ordem de importância e, então, fazer perguntas mais profundas sobre o que eles priorizaram.

4 – Colete as informações

Ao longo da discussão, registre os principais pontos. Se você tiver um assistente, essa pessoa poderia escrevê-los em um bloco flip-chart, ou os participantes poderiam escrever suas opiniões em cartões. Alternativamente, você poderia fazer um vídeo ou gravação de som (veja a página 6). Dê uma pausa ao grupo quando ele parecer estar ficando cansado.

5 – Termine bem

Quando sentir que chegou o momento certo para terminar, agradeça aos participantes por seu tempo. Resuma os principais pontos abordados. Explique ao grupo como as informações serão usadas a seguir e sobre qualquer discussão ou atividades de seguimento que você pretenda realizar.

Nota: Conteúdo extraído da revista Passo a Passo 100 da Tearfund.

Imagem ilustrativa: Designed by Freepik

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>