Remanso – Com a falta de chuva na nascente do Rio São Francisco, o reservatório de Sobradinho vive a maior seca de sua história (Marcello Casal jr/Agência Brasil)

O semiárido nordestino chegou à sua maior seca do século após cinco anos consecutivos de volume de chuvas abaixo da média histórica. O problema da falta de água atinge cerca de 23 milhões de pessoas e abrange os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e norte de Minas Gerais. As informações foram publicadas nesta segunda-feira (9/01) em uma reportagem no site do jornal Estadão.

Dos 533 reservatórios da região monitorados pela Agência Nacional de Águas (ANA), 142 estão secos. Os grandes reservatórios que têm potencial de armazenar mais de 10 bilhões de litros de água estão operando, em média, com apenas 16, 3% da capacidade.

O Estado em pior situação é o Ceará, cujos reservatórios têm apenas 7% da capacidade armazenada. De acordo com Raul Fritz, representante da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), uma seca tão severa como esta, por um período consecutivo, não se via desde 1910, quando passaram a coletar dados sobre as chuvas.

Muitos moradores, inclusive em grandes cidades, só têm acesso à água fornecida por caminhões-pipa, já que vários rios e açudes também secaram

Esta seca histórica já provocou prejuízos de R$104 bilhões para o nordeste, no período de 2012 a 2015. Em Pernambuco, onde boa parte dos 185 municípios está em situação de emergência, a perda chega a R$ 1,5 bilhão só na pecuária. O rebanho bovino, formado por 2,5 milhões de cabeças em 2011, diminuiu em 554 mil cabeças no ano passado.

Com informação do jornal Estadão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>