conplei_jovem11O CONPLEI (Conselho Nacional de Pastores e Líderes Evangélicos Indígenas) visa à comunhão entre as comunidades cristãs de tribos e etnias indígenas do Brasil, e também de não indígenas. Um de seus projetos é o CONPLEI Jovem, cujo objetivo é despertar o jovem indígena para ser usado por Deus na obra missionária.

O projeto chegou à sua 3ª edição em novembro de 2015, que foi realizada na aldeia Moreira, em Miranda/MS. Reunidos para louvar a Deus, ouvir Sua Palavra e compartilhar experiências, os jovens também conheceram os desafios missionários atuais e receberam conteúdo bíblico, entre outros treinamentos.

A seguir, o relato do presidente do CONPLEI Jovem, pastor Ricardo Poquiviqui, tenta transmitir o que Deus proporcionou aos irmãos nesta edição de 2015.

Abaixo algumas fotos e depoimentos de pessoas que participaram do evento, alguns pela primeira vez.

Confira!

***

Com mais de 600 pessoas inscritas, o evento teve também a participação dos moradores da aldeia Moreira, que estavam em grande numero. Tivemos mais de 1800 pessoas indígenas e irmãos não indígenas a cada noite.

Eram indígenas vindos de vários lugares e de várias etnias: Xavante, Terena, Caiuá, Guarany Ñandeva, Guarany do Paraguai, Guarany Mbya, Kadweu, Bakairi, Macuxi, Caiapó, Pataxó, Suruí, Gavião, Zoró. Eram irmãos do Brasil (RJ, SP, MT, RS, MG, MS, ES, AM, RO, DF, GO) e do exterior (EUA, Equador, Peru, Bolívia), além de irmãos de organizações como a Atini, SIL, Marfa, I-TEC, PIC, O Coração do Pai, JOCUM-RO, IBCB, Missão Caiuá, Uniedas e Centro Canaã.

Foi um mover de Deus entre os povos, um marco importante para o despertamento e fortalecimento da igreja indígena!

O III CONPLEI Jovem foi marcado pelas lutas que antecederam o evento, como a crise que atingiu a todos no Brasil, principalmente os parceiros, e as questões de lutas por terras indígenas e confrontos com fazendeiros no MS, em que houve até morte – o que deixou indígenas com receio de participar ali, principalmente os Guarani-Kaiowá, que participaram com mais de 100 pessoas.

Essas dificuldades valorizaram ainda mais a união do povo, e nos fez saber que Deus tinha bênçãos sem medidas para os jovens naqueles dias!

Ainda tivemos a presença marcante do cantor e compositor Asaph Borba, com a sua equipe ministrando e compartilhando a palavra de Deus, testemunhando e cantando as músicas que cantamos em nossas igrejas. Foi maravilhoso relembrar aqueles cânticos que fazem parte do louvor congregacional. Que o Senhor possa continuar a abençoar, com talento e dom, nosso amado irmão.

Tivemos também o cantor Crisdiones e banda, a participação especial do cantor Juliano Modolo, os cantores André e Felipe, que foram benção juntamente com os grupos das etnias, que louvaram em seus próprios idiomas, além das danças contagiantes do povo Zoró-Surui.

A igreja Uniedas da Aldeia Moreira, com seu pastor Danilo Moreira, dedicaram incansavelmente meses de muito trabalho para que o Conplei Jovem acontecesse. Mobilizaram a comunidade para acomodar os participantes em suas casas; as irmãs dedicaram seus talentos e disposição na cozinha; os homens da aldeia e da igreja trabalharam para construir dois barracões e redários; os jovens da igreja se mobilizaram para limpar, cuidar e servir as refeições. Uma benção!

Uma grande ceia foi realizada para todos participarem, verdadeira comunhão do corpo de Cristo. Um dia todas as tribos, nações e povos estarão diante do trono do Pai!

Tivemos dez jovens indígenas, das etnias Terena e Guarani Kaiowá, que fizeram o curso de vídeo da I-TEC e vão se preparar para fazer reportagens no CONPLEI 2016, envolvendo-se no evento. É motivo de oração que eles possam conseguir os equipamentos necessários.

Ao final, as lágrimas foram de alegria pelo dever cumprido. Apesar das muitas dificuldades, o que prevaleceu foi a união de igrejas, líderes, pastores, organizações e das caravanas que vieram de tão longe. Todos colocaram o coração nesse projeto para que desse certo, e ao chegarmos ao final podemos dizer que em tudo Deus estava no controle. Sabíamos que seria possível e que aconteceria, mas não sabíamos como Deus iria nos presentear diante das adversidades, como está escrito na Palavra de Deus: “Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós” (Efésios 3.20)

Amados, temos muita agradecer a Deus e esperamos poder contar com todos em 2017, para a 4ª edição do CONPLEI Jovem (em local a ser definido). “A ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém! (Efésios 3.21)

 

Ricardo Poquiviqui

Presidente do CONPLEI Jovem

 

 

Depoimentos

 

Primordialmente quero agradecer a Deus pela ideia que surgiu para o Conplei, de realizarem o encontro de jovens indígenas. Não apenas o encontro, mas que os jovens tenham o entendimento e discernimento de servir a Deus, mediante a morte de Jesus Cristo. Porque desde que aceitamos a Cristo como nosso Salvador, recebemos de Deus o dom para praticar sua obra.

As palavras do Senhor que foram ministradas pelos preletores foram muito boas, para que os jovens possam ter inteiramente a consciência direta de dedicar as suas vidas a Deus. E que os próprios jovens indígenas possam evangelizar em suas aldeias ou onde Deus enviar. Mas isso também é um motivo de discipular, capacitar e treinar os jovens, para que eles sejam futuramente os líderes evangélicos indígenas, preparados para dirigir a igreja. E gostei muito desse projeto que Deus está fazendo, de apoiar os jovens que já atuam nas igrejas indígenas e os que irão ser escolhido por Deus.

Fico grato a Deus pelo momento de comunhão que tive com os irmãos nesse encontro, até mesmo conhecendo outros irmãos.

Giliard Surui – Rondônia

 

Minha ida foi o resultado de uma oração feita ao meu Deus. Queria passar um tempo com meus irmãos indígenas, para melhor conhecê-los. Queria passar um tempo com meus irmãos missionários, para poder ver e ouvir o que Deus tem feito e há de fazer no campo missionário. Deus me deu este privilégio.

A cada momento de palestra, louvor e de conversas particulares, Deus, com sua tremenda graça, ministrava ao meu coração através de vidas. Ministrou e me fez entender ainda mais e amar ainda mais o corpo de Cristo.

Irmãos em Cristo, etnias diferentes, cada qual com sua cultura, com sua adoração, com suas pinturas, com seus idiomas, com os seus cocares, juntos na aldeia Moreira, com o mesmo propósito de ser confrontado por Deus e de torná-lo conhecido.
Voltei do CONPLEI Jovem mais certa desta convicção, apresentada em Mateus: “E este evangelho do reino será pregado pelo mundo inteiro, para testemunho a todas as nações e então virá o fim” (Mt 24.14).

Deus ama e se manifesta às nações! Deus está nos levantando, nós os jovens desta geração, sejam de qualquer etnia, povo, raça e nação, para juntos fazermos parte da grande comissão! Para juntos fazermos parte de sua obra!

Wanderly Rangel – São Paulo/SP

 

O congresso de jovens indígenas foi sobremaneira abençoado por Deus. Foi um tempo de quebrantamento e certamente houve um grande despertar para a obra missionária. Voltamos com novas expectativas, novas parcerias e com a visão renovada para prosseguirmos na expansão do reino Deus.

Igrejas, agências e missionários de diversas denominações foram aproximados e impactados, barreiras foram transpostas e os acontecimentos convergiram em um movimento sem precedentes para o alcance das tribos, línguas, povos e nações.

Agradecemos aos organizadores, Pr. Ricardo Poquiviqui e equipe, pela oportunidade e glorificamos a Deus pelos seus grandes feitos.

Pr. Wilson Nogueira Bastos, do Ministério MARFA – Ibitinga/SP

 

Conplei Jovem em Mato Grosso do Sul foi um momento incrível de alegria, comemoração, adorando e agradecendo a Deus pelo trabalho que ele está fazendo entre os povos indígenas do Brasil e além. Juntos, celebramos o poder de transformação do Evangelho em nossas vidas e da próxima geração de portadores da tocha. Foi um momento poderoso de comissão e desafio.

Nossos corações foram desafiados de apenas adorar a Deus e levar esse amor, paixões e adoração por Cristo àqueles que nunca ouviram o nome de Jesus. Para considerar trazer culto para onde não existe adoração.

O Conplei Jovem desafiou-nos a considerar deixar nosso conforto e nossa segurança e levar o Evangelho de volta para as nossas casas, vilas e os restantes grupos não alcançados em todo o Brasil e além. Está surgindo uma nova geração de missionários, cheia de paixão. Juntos, como três ondas em missões, veremos o amor Deus derramado sobre todos os povos.

Missionário Kamron Burchett

 

Foi uma experiência ímpar para nós. Voltamos impactados pelo PODER DA PALAVRA, com o desejo missionário fortalecido, e, ao mesmo tempo, preocupados com os surdos indígenas – levando em consideração que ainda não foram alcançados. O CONPLEI Jovem nos levou a refletir sobre a necessidade de investirmos mais na formação de líderes surdos para o ministério com pessoas surdas.

O que mais chamou a atenção dos surdos foi a força e o preparo da Liderança Indígena voltada para a evangelização, valorização e preservação da cultura indígena, baseados na Palavra de Deus, com uma mensagem Cristocêntrica. Flavia fez um relatório do Congresso, com fotos para apresentar para o pastor deles, com o objetivo da igreja e principalmente os líderes conhecerem a Igreja Indígena do Brasil. Os surdos de Minaçu queriam saber de tudo o que aconteceu no Congresso e ficaram admirados com o poder do Evangelho de Cristo entre os povos indígenas, mas muito tristes com o caso do infanticídio.

Se formos bem-vindos entre os irmãos, estamos pensando em organizar um grupo maior para irmos ao próximo congresso. Queríamos que os surdos indígenas fossem também, para que eles tivessem contato com os outros surdos cristãos e os mesmos pudessem falar de Jesus para eles na própria língua deles.

Em nome de todos os que foram comigo, gostaria de agradecer os irmãos da Aldeia Moreira pela recepção e em especial ao CONPLEI e desejar muita força e graça de Deus para que os irmãos continuem fazendo o nome de CRISTO conhecido e vivido entre povos e tribos.

Irmã Lucivania Alves Cardoso, da igreja Assembleia de Deus – Minaçu/GO

 

O tempo no Conplei Jovem foi muito abençoador, pois o objetivo era que a equipe que foi voltasse com uma visão mais abrangente do Reino de Deus atuando em todas as culturas e povos. E, com a graça de Deus, pudemos não só voltar impactados com as mensagens e testemunhos, mas também com o desejo de compartilhar com a igreja não indígena a necessidade de se envolver mais, não só em oração, mas estar presente nos próximos congressos com mais irmãos e também despertar vocacionados que tenham o desejo de alcançar as demais etnias sem presença do evangelho.

Irmã Simone Hinz – Rio de Janeiro

 

Participar do CONPELI Jovem foi um grande privilégio. É encorajador ver de perto o que DEUS tem feito entre os povos indígenas do Brasil.

São jovens cheios do Espírito Santo e sedentos por mais de Deus; um grande exército tem se levantado para levar as boas novas para os povos da terra, até que Ele venha!

Adriana Valeria, da JOCUM – Porto Velho/RO

 

Conhecemos o Conplei Jovem pela internet e fomos sem saber muito bem o que esperar. E nos surpreendemos. Ficamos muito bem acomodados, fomos super bem recebidos e a parte estrutural estava muito organizada. A comida saia rápido e era muito gostosa.

Em relação a parte espiritual, fomos impactados por muitas palavras, cujo interesse era despertar, através dos 5 cultos diários, os jovens indígenas para buscarem a Deus, se santificarem e servirem ao Senhor!

Assim, como vimos que o Conplei não defende uma bandeira, ou organização, mas a Igreja de Cristo, tivemos a oportunidade de ter comunhão com vários irmãos de raças, cores, regiões e culturas diferentes, tendo sempre como alvo Cristo e sua obra.

Pastor Ricardo, líder do Conplei Jovem, é um homem muito responsável, calmo, disposto a servir a todos, e, acima de tudo, preocupado em ter, como carro chefe do Conplei, a Palavra de Deus!

Se Deus quiser, estaremos nos próximos!

Ívina Rosana M. de Castro – Caeté/MG

 

Tivemos o privilégio de participar de mais um CONPLEI Jovem. Como sempre, foi impactante para a minha vida e da minha família. Fui convidado a trazer uma palavra aos participantes, porém às vésperas do evento a nossa caravana se dissipou. Então coloquei em meu coração que, se fosse da vontade de Deus eu ir, Ele iria me ajudar de alguma forma a estar no evento.

As minhas condições financeiras não me permitiam ir e voltar do evento e também tinha outro evento paralelo acontecendo na Universidade em que estudo. Sendo assim, havia uma grande possibilidade de eu não ir ao CONPLEI Jovem. Mas no fundo do meu coração eu desejava ir.

Faltando dois dias para o início, meu carro teve um problema mecânico. Eu orei muito pedindo a Deus que não desistisse de mim. Pouco depois recebi uma oferta do pastor Tiago, de SP, na qual pude custear parte da viagem. Por alguma razão, o mecânico não achou nada de errado com meu carro e enfim pudemos partir rumo a Miranda, nas mãos de Deus!

Fomos e voltamos renovados, pois percebemos, na prática, a Graça de Deus!

Gileandro Kaiowá

 

Participar desta grande festa foi incrível. Rever alguns irmãos, fazendo novas amizades, que podemos chamar de conexões divinas, pois ao conversar com elas é como se já as conhecesse há anos, compartilhando experiências, encorajando-as e sendo encorajadas.

As preleções foram desde o primeiro dia muito confrontadoras, desafiadoras e foi algo sobrenatural. Eu achava que já ouvi muitas pregações e saberia como se terminava a mensagem, mas Deus, com sua infinita sabedoria (posso dizer por mim mesma), me surpreendia sempre.

Eu creio que quem estava perdido no seu chamado ou não sabia qual e a sua vocação, após o CONPLEI Jovem 2015, tenho certeza que já faz planos, está traçando metas, conforme o talento e dom que Deus deu a cada um.

Já estou fazendo os meus e colocando em oração no SENHOR. É normal o jovem se sentir um pouco perdido em relação à faculdade, estudo e trabalho e ao mesmo tempo estar alinhado aos propósitos e sonhos de Deus. Fiquei maravilhada em conhecer novos projetos e saber que Deus usa de variadas formas para proclamação do evangelho. Conhecer o ITEC, Janela Verde, Casa de Abrigo para as Crianças, JOCUM – tenho certeza que ao conhecer esses trabalhos, o jovem pode realmente escolher qual é o melhor e se encaixar para ser útil no Reino de Deus!!!!

É difícil falar em palavras o que senti nesses 4 dias. Vale muito para mim, recarregou minhas baterias e agora é só confiar no Senhor e buscar fazer de forma excelente a obra que Ele confiar em minhas mãos. Agradeço a Deus, e a todos que ouviram a voz de Deus para DESPERTAR O JOVEM PARA A GRANDE COMISSÃO!

Kassia Ribeiro Vera Kaiowá – Dourados/MS

 

Participei pela primeira vez do Conplei Jovem. Nunca havia participado, nem mesmo do Conplei Nacional. Foi um momento de ampliação de horizontes, pois conheci novas culturas, novas formas de adoração a Deus, em diferentes línguas e ritmos. Pude conhecer a realidade de missões dos povos presentes e ouvi da boca deles próprios – o que para mim é importante, porque considero com mais autoridade quando o próprio povo fala de suas vivências e suas dificuldades.

Também pude ver que existem jovens indígenas que estão despertando para o campo missionário e estão dispostos a pregar o evangelho nas aldeias, bem como jovens não indígenas que se mostram interessados por missões.

Diante de tudo, vejo que o trabalho missionário entre os indígenas tende a crescer, uma vez que a cada dia mais pessoas se dispõem a pregar o evangelho.

Keila Pataxó – Belo Horizonte/MG

  1. Aldivan Sergio da Rocha

    Maravilhoso esse trabalho, que Deus continue abençoando cada um de vocês.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>