P10_20_06_14_Alunos_indigenas2
Por Héber Negrão

No mês de maio, minha esposa Sophia e eu estivemos por duas semanas no Centro de Treinamento Bíblico Carlos Harrison. O CTBCH – situado em Barra do Corda (MA) – é um instituto bíblico da Missão Evangélica aos Índios do Brasil (MEIB) que visa dar formação bíblica mais aprofundada aos indígenas que sentem o desejo trabalhar na obra de Deus.

Tive a oportunidade de ministrar duas disciplinas: uma sobre a Doutrina da Salvação e outra sobre o uso da música indígena na igreja indígena. A primeira foi particularmente desafiadora por haver muitos termos abstratos (como justificação, propiciação e santificação) que precisavam ser traduzidos de maneira prática e visível para que os alunos indígenas tivessem não só uma boa compreensão do assunto, mas também soubessem passar adiante os ensinamentos recebidos em sala de aula.

No entanto o mais impactante para mim foram os testemunhos dos alunos. Hoje o CTBCH conta com 11 alunos de três etnias diferentes: guajajara, kaiapó e brasileiro. Durante aqueles dias nós tivemos diversos momentos para estar juntos conversando informalmente. Foram as histórias das suas vidas que nos marcaram e eu gostaria de compartilhá-las com vocês neste texto.

O Bekwai Kaiapó era um líder político muito influente entre seu povo. Ele organizou por diversas vezes os Jogos Indígenas no Pará e fez diversas viagens internacionais para representar os interesses do seu povo no exterior. Ele foi taxado de louco quando comunicou para a liderança indígena que ele entregaria o cargo para estudar Bíblia e ser um ministro de Deus entre o seu povo.

O Gero Guajajara vem de uma aldeia sem presença missionária. Quando conheceu a Cristo e demonstrou mudança de vida, ele mesmo passou a evangelizar os seus parentes. Com isso, ele sentiu a necessidade de ter um conhecimento melhor das Escrituras a fim de realizar o trabalho de evangelização. Por este motivo ele procurou o CTBCH para estudar.

Joaquilene é uma jovem guajajara que vivia em uma aldeia onde duas missionárias da MEIB desenvolviam seu ministério. Esta jovem cresceu na graça e no conhecimento de Deus, a ponto de contrariar seus próprios familiares quando passou por uma grave enfermidade. É um procedimento muito natural dos indígenas levar seus doentes para o pajé; no entanto, a Joaquilene se posicionou firme ao lado do Senhor e recusou ser levada ao pajé. Nem mesmo os médicos da cidade sabiam o que fazer para melhorar a sua situação. A pressão da visita ao pajé se intensificou. Podemos dizer literalmente que esta jovem foi salva de sua enfermidade por causa sua fé em Jesus. A cura da Joaquilene foi um grande testemunho para a sua família. Depois de alguns anos, quando ela apresentou o desejo de estudar no CTBCH, não teve nenhuma restrição por parte de seus familiares.

Todos estes irmãos indígenas tem o desejo de voltar para as suas aldeias para continuarem a obra de Deus que os missionários começaram nos anos passados. Tudo está correndo em direção a esta nova realidade. De agora em diante, os cristãos indígenas terão muito mais facilidade de acesso às aldeias, sejam elas do seu povo ou de outra etnia. Por isso é tão importante ter uma formação bíblica de qualidade para os obreiros indígenas.

• Héber Negrão é paraense, tem 31 anos, mestre em Etnomusicologia e casado com Sophia. Ambos são missionários da Missão Evangélica aos Índios do Brasil (MEIB), com sede em Belém, PA.

 

Mais informações
Site do CTBCH: http://meib.com.br/ctbch
E-mail da MEIB: meib.base@gmail.com

Veja mais fotos do CTBCH:


  1. BÊNÇÂO! Que cada um de nós tenha a ousadia na fé para impactar seu ambiente de trabalho, família, comunidade! Deus te abençõe, meu mano. Abraço!

  2. Antonia Leonora van der Meer

    è emocionante ler sobre a fé, a coragem e o desejo de serem bênção para seu próprio povo. Que Deus lhes abençoe e guarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>