caju_alisonRev. Fred Souto

“E, vendo de longe uma figueira com folhas, foi ver se nela, porventura, acharia alguma coisa. Aproximando-se dela, nada achou, senão folhas; porque não era tempo de figos. Então, lhe disse Jesus: Nunca jamais coma alguém fruto de ti! E seus discípulos ouviram isto” (Mc 11.13-14)

Jesus secou a figueira porque não encontrou figos, mas o texto também nos informa que não era tempo de figos. Uma árvore frutífera precisa cumprir as etapas que a sua natureza exige para poder dar frutos. Ela tem de crescer, brotar as flores, esperar nascerem os brotos para poder fazer crescer o fruto tão esperado. Seria, portanto, uma incoerência do Senhor buscar frutos na época inapropriada?

Se lermos o restante da história, notaremos que a intenção d’Ele era ensinar aos seus discípulos a força que existe em nossa fé e como ela pode modificar o nosso ambiente através das nossas orações. Todos nós gostaríamos de ter as nossas orações atendidas, mas, muitas vezes, é necessário ter fé para orar. Numa época onde não se encontraria figos, Jesus teve o desejo de comê-los e foi à figueira para satisfazer a sua vontade, mas não encontrou os frutos. Para aquele que é o Criador de todas as coisas, apenas desejar já seria motivo de concretizar. Entretanto, o seu desejo não foi atendido pela figueira. Assim como nenhum ser vivo sobre a terra pode deixar de realizar a vontade de Seu Criador, ela não merecia continuar existindo. Aquela árvore havia deixado de cumprir o seu propósito de existir! Mas, Jesus, tinha mais a ensinar aos seus discípulos.

Quando passaram de novo pela figueira, seus seguidores viram que ela havia secado. O Senhor nos ensina que não existe nenhuma situação que esteja fora do alcance de nossas orações. O que vai fazer diferença é a fé que nos motiva a orar! O que vai fazer a diferença é a nossa postura como seus servos! Jesus nos ensina que sempre será tempo de frutos e o que diferencia uma cesta cheia de frutos, de uma vazia, é a fé que habita em nossos corações. Ele afirmou que o que pedimos em oração, se crermos que já recebemos, seria concretizado. Desta maneira, as nossas orações não podem ter como pano de fundo, a dúvida, o medo, nem a falta de esperança, porque isto não concorre para o bom êxito delas.

Nenhuma oração pode ser realizada sem a fé que nos dá a certeza de que a nossa esperança se concretizará. Se fizermos isso, estaremos tentando encontrar figos maduros no tempo da semeadura. Sempre será tempo de frutos, desde que a nossa fé mova as barreiras que impedem a concretização da esperança. Temos fé suficiente para isso?

“Senhor, aumenta-nos a fé para que possamos provar das maravilhosas promessas que Tu tens para nós. Que a nossa fé possa agradar o teu coração, de maneira que possamos viver as bênçãos que tens separado para aqueles que te amam. É o que te pedimos em nome de Jesus. Amém!”

 

_______________________

Rev. Fred Souto é presbítero da Igreja Anglicana, Diocese do Recife; faz parte do Arcediagado Centro. É autor das da série de meditações do “Maná do Senhor”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>