A pequena fábrica no bairro de Filipe Camarão, em Natal, tem grandes números: produz mil vassouras por mês, o que significa 11 mil garrafas PET a menos jogadas na natureza. A Fábrica foi criada no 2º semestre de 2009, como resultado das oficinas do Programa de Educação Ambiental (PEA) d´A Rocha Brasil realizadas no 1º semestre. Ela é o braço socioambiental da Comunidade Evangélica Vida Plena, em Natal/RN.

Todos os componentes da garrafa PET são reutilizados. O bico e o fundo, que não são usados na produção das vassouras, vão para uma usina de reciclagem de plástico em Recife/PE. As tampas são aproveitadas para artesanato e os rótulos para depilação. Cada vassoura tem a durabilidade de 8 a 9 meses, três vezes mais que a vassoura piaçaba, produzida a partir de recursos naturais. É comercializada por R$ 4,00 a unidade, o dobro do preço da vassoura piaçaba. Seu custo final é mais alto devido às várias ações necessárias para sua produção: lavagem, corte, fiação, montagem, venda etc. Existe um amplo mercado e a cada dia aumentam a aceitação e o interesse, mesmo com o aparente custo maior.

A Fábrica já emprega quatro pessoas e é autossustentável. Está havendo um re-investimento para dobrar a produção e aumentar o número de colaboradores. A Comunidade Evangélica Vida Plena tem como visão a melhoria da qualidade de vida das pessoas a partir da Missão Integral, que não separa gente de ambiente.

(Texto produzido a partir de depoimento gravado com Wagner Moura – coordenador da Fábrica. Originalmente publicado em Atalhos, boletim informativo da RENAS)