Bom, vou colocar algumas críticas, sugestões e perguntas que fizeram nos meus textos e responderei de forma resumida. Vou fazer uma “Toma lá, da cá” a cada dois meses, ok galera?

Leonardo G. Silva “Salmos 127:2 – Bíblia NVTP (3)”:
“Marcos, cê tá brincando né? Existe essa versão maluca mesmo ou vc só quis fazer uma brincadeira? Aguardo resposta.”

Leonardo, cara, não se preocupea. Eu só estou trabalhando com ironia, ainda não existe essa inVersão, mas temo que em breve tenhamos.

vava_79 “Filipenses 4:12, 13 – Bíblia NVTP (2)”:
“Graça e paz amados, fico triste como é grande o numero de cristãos que não sabe a sua posição em cristo, que se acustumaram em viver um evangelho de derrotas, mensagens sem vida. saibam que o mas interresado no nosso bem é o proprio DEus.”

Vava, sinceramente, não sei direito o meu lugar, sei que não é sentado no trono. Mas tenho certeza que esta série foi feita pra você com carinho.

Pedro Negret “Deus! Em 2008 eu quero uma namorada!”:
“Tem hora que agente esquece algumas coisas! Meu pai vive falando “você esta invertendo os papeis, dando ordem aqui pro general”. Mas que bom que sempre podemos contar com pessoas para nos ajudarem (que ajuda diga-se de passagem!)
Muito bom o texto Marcos! É de Deus! Ontem eu estava pensando sobre namoro…
Estou tão impactado como você no dia que ouviu o aconselhamento!”

Pedro este artigo foi um dos artigos de maior repercussão que já escrevi, deve ser porque até hoje preciso lê-lo para relembrar o que não posso esquecer.

Beto “Fantasiar não é pecado”:
“é bom perceber as parábolas…o quanto Jesus fantasiava….Mas o problema não está somente na igreja. Está no modo de como fomos criados, Por exemplo na Faculdade: Basta o professor passar uma atividade que tem que pensar um pouquinho as pessoas reclamam, é o tal do fast-food “

Cara é verdade, mas acho que é um vírus chamado estudante, pois sou os dois, e quando estou como professor me pego cobrando os alunos, mas é só virar estudante da pós que se não tomar cuidado me pego “picando o fumo”. Bom mesmo é professor e aluno de cursinho, pois é a única vez em que eles ficam no mesmo lado.

Victor Fontana “Premonição – Com Grandes Poderes Vem Grandes Respo…”:
“Não sei se sou eu que tenho cabeça “teen”, mas gostei demais dos dois textos que li da série grandes poderes… Continue!! Mto original e profundo!”

É sim você tem cabeça teen assim como eu, preciso voltar a escrever nessa série. Pois ela me faz ter que ler gibi e isso me rejuvenesce.

Anônimo “Marcha para Jesus ou marchar com Jesus?”:
“Marchar para Jesus. O sentido não é que estamos marchando para encontrá-lo. Já o encontramos. É um evento que afirmamos nossa fé e marchamos para Ele: Para louvá-lo. Adorá-lo. Você já foi alguma vez? Acredito que não. É um verdadeiro culto a céu aberto. Convido-te para ir no ano que vem.”

Querido(a) anônimo, já fui duas vezes na marcha e não tive essa impressão.Vi mais um movimento unilateral de uma igreja, até porque o nome já esta registrado e tem que pagar para usar nas cidades menores. É lógico que tem gente que é “edificada” mas não vejo Jesus indo em uma marcha não. Quanto ao convite muito obrigado, mas estou mais inclinado em ir com o sexxxchurch na passeata gay.

Fábio “Deus pegou no meu Bilau” sexxxchurch.com
De fato, o teu texto expõe de forma bem clara a razão de que de Deus moldou com as próprias mãos o pênis do homem, porém, o que me garante que de fato Deus tocou com as próprias mãos? Será que Deus moldou cada árvore e todo o globo que sustenta todos os seres que nele residem, com as próprias mãos, ou só com as suas palavras? Porque moldar não se molda somente com mãos, mas com palavras se levarmos em consideração a dimensão conceitual do termo.

Fabio não seja tão literalista, faz mal para a saúde. Imaginar às vezes faz bem, e que graça teria moldar do pó da terra com o pensamento. Ali o autor está querendo confrontar o pensamento da época, que achava que a matéria era má e que os deuses não se misturavam com a matéria. A matéria não só é boa, como Deus nos moldou a partir dela.

Bem, fica para a próxima outras críticas, sugestões e perguntas.