Nelson-Mandela-fe-em-jesus

Nesse último mês de setembro, eu e minha esposa fomos para a África do Sul.

No meio da viagem pegamos um taxi  para percorrer uma estrada e isto levou cerca de  uma hora. O motorista era um homem de aproximadamente 42 anos, negro, e como a maioria dos africanos, muito bem educado e bem humorado.

A Natália não aguenta ficar de boa no banco de trás, logo começou a puxar assunto com o motorista. Descobrimos que ele morava em uma pequena cidade, era casado e pai de 3 filhos.

Ela perguntou como estava a educação e os hospitais das cidades, e ele respondeu que estava indo muito bem, viviam os melhores anos da história da África do Sul. O papo foi fluindo e eu decidi entrar na conversa, pois minha curiosidade para saber os bastidores do pós apartheid era grande. Continue lendo →

Nesse vídeo o Marcos Botelho vai bater um papo com o Felipe Cagno sobre o como surgiu o projeto Lost Kids, como foi o desafio de levantar 45 mil reais no Crowdfunding, e quais serão os próximos projetos.
Assista o vídeo, aperte curtir e compartilhe sua experiência aqui em baixo!
O projeto: http://catarse.me/pt/LostKids
O vídeo: http://vimeo.com/72202016
Lista de sites para levantar fundos http://migre.me/gJYwc

 

Assine o canal Marcos Botelho no Youtube para assistir os videos antes de todos. Clique Aqui!

ceu

Quem nunca ousou imaginar como será o céu?

Nuvens brancas, fofas e planas, pessoas com mantos brancos. Todos falam bem baixinho, de forma controlada, harpas por todos os lugares com músicas suaves.

Ninguém anda, todos flutuam. As vestes estão impecáveis de tão limpas, afinal não tem onde se sujar. Temos algumas frutas servidas na mesa, mas não precisa comer, é apenas decoração. Ninguém sente cheiro de nada.

Tem muitos abraços, carinho no rosto, mas não tem beijos “calientes” com a amada, não tem mordida, não tem sexo…, socorro! Acho que virei um anjo!!!

Nunca gostei desse céu mitológico da sociedade.

Cadê as cores das matas? O marrom das montanhas? O céu preto da noite nublada? Aqui na terra tive todas as experiências boas com as cores, não quero deixá-las.

Cadê aquele meu amigo que não sabe falar baixo? Cadê o silencio sendo rompido com uma risada escandalosa do meu pai? Cadê o grito da torcida do time do meu coração? Cadê o Rock and Roll? Aqui na terra tive todos os sons, todas as músicas, todos os instrumentos, não quero deixá-los. Continue lendo →