Relacionamento e sexo

Ser pai me levou aonde eu jamais esperava chegar!

img_2612

Nos primeiros anos de casado eu e a minha esposa estávamos curtindo tanto a nossa nova vida a dois, que um pensamento egoísta veio no nosso coração, não falávamos para ninguém pois é um pensamento feio e revela o quanto o nosso coração é egoísta.

Se a gente tiver um filho ele tem grande chance de estragar a nossa vida a dois, vai atrapalhar nossos planos de viagem, nossas conversas, etc. Não estou dizendo que esse medo não tenha um fundo de verdade, e nem que tudo muda na vida do casal, mas esse medo fazia a gente realmente pensar se íamos querer ter filhos ou não.

Mesmo com esse medo decidimos engravidar e ter um filho, e foi quando tudo mudou pra mim.

Sempre ouvi que a mulher já nasce pra ser mãe, mas o homem só é pai quando pega o filho pela primeira vez no colo. E é pura verdade, até umas horas antes do #BabyBotelho nascer, enquanto a Naty estava morrendo de dores nas contrações, eu estava fazendo videozinhos nas redes sociais sem saber o que ia acontecer com minha vida, com minhas emoções. Mais >

Saiba onde encontrar um bom sexo

bom sexo 2Olha eu de novo com os meus títulos polêmicos! Mas dessa vez fui provocado a escrever este texto. Durante uma palestra sobre sexo, recebi várias perguntas escritas pelos jovens e uma delas me chamou a atenção porque a tenho ouvindo com frequência: “Como eu posso ter certeza, se eu casar virgem, que o homem com quem eu vou casar sabe fazer um bom sexo?”

No começo eu ficava chocado pelo jeito como os jovens estão perguntando as coisas, ainda mais jovens da igreja. Hoje admiro a sinceridade e até a coragem de perguntar coisas que já estão falando nos corredores e papos de escola e trabalho.

Algumas ponderações preciso fazer antes de responder essa pergunta. Mais >

Você está disposto a mudar?


Vídeo da série “Até nas melhores famílias”.

Conheça a pagina de vídeos da ipalpha: www.vimeo.com/ipalpha

Não existem estrelas para abraços

Quando o assunto é o processo de avaliação no mundo corporativo, a discussão é grande e os métodos são diversos. Se é complicado assim nas empresas, imagine para as igrejas. Muitos são os valores para saber se um ministério foi bem sucedido ou não.

Isso piora ainda mais quando se trata da criação de filhos.

Lembro quando tinha uns 9 anos de idade, meus pais leram uns livros gringos sobre educação de filhos, que ensinava como avaliar diariamente o comportamento de cada filho.

Mais >