exodo

Fui assistir ao filme Êxodo no cinema já faz um mês, mas não coloquei os comentários aqui porque estávamos para gravar o vlog com os comentários. Como ainda não conseguimos nos reunir para gravar , decidi escrever logo.

Eu gostei do filme e como disse o Ridley Scott: “Faltava um filme épico sobre Moises”. E faltava mesmo. Esse veio para suprir.

Como esse filme foi bem menos polêmico que “Noé”, temos a tendência de não falar sobre ele, mas isso é um tiro no pé de quem gosta de filme de histórias bíblicas, pois se só dermos audiência para os filmes polêmicos, mesmo que criticando, Hollywood só vai investir nesse tipo de filme.

Lembrando que sou formado em teologia e não em cinema, ou seja, para quem quer uma crítica mais cinematográfica é bom esperar o vlog, pois os convidados são da área.

Observações, críticas e analogias teológicas:

1- O filme foi um pouco longo e arrastado, isso me fez não vibrar tanto e nem sair muito empolgado do cinema, mas não tira a sua grandiosidade. Eu recomendo para todos e daria uma nota 8.

2- O filme fez a opção de trocar o cajado de Moises por uma espada, e essa troca tira a figura pastoral representada por Moises e continuada por toda a Bíblia, lembrando que a profissão pastor de ovelhas era considerada abominação para os egípcios. Entendo a necessidade de fazer um laço forte com o velho Moises, o príncipe do Egito, mas os historiadores falam que esse laço era feito com um brasão (medalhão) que provavelmente Moises levava no peito e que dava acesso ao palácio do Faraó. Essa troca poderia ter sido evitada com o brasão, pois os 40 anos (que no filme foi uns 7) de deserto, perdeu muita força como um aprendizado para Moises. O Cajado nas mãos de Moises representa que ele nunca deve esquecer os 40 anos de deserto.

3- O filme fez a opção de mostrar Deus como uma criança, um menino muito invocado, que só Moises via. Achei bem legal sair da velha voz em off e colocar um ator para dar mais pessoalidade para o relacionamento entre Moises e Deus. A criança é algo central na bíblia e altamente relacionado à história do Êxodo, do AT e do VT.

4- Tem um diálogo no filme em que Deus fala que vai fazer o povo egípcio implorar por misericórdia, esse diálogo entre o menino (Deus) e Moises causou incômodo em alguns colegas que alegavam que esse deus irado não era o Deus misericordioso da Bíblia. Eu discordo, foi uma boa interpretação das várias passagens de Êxodo que fala que Deus vai endurecer o coração do Faraó. Por que Deus quer endurecer o coração do Faraó perante as pragas que Ele mesmo está mandando? Uma boa resposta é que Ele quer castigar o Faraó e o povo egípcio pelos 400 anos em que escravizaram seu filho, o povo hebreu.

5- Quando Moisés volta para o Egito já disposto a libertar os hebreus, ele se torna uma espécie de terrorista. Isso não está na bíblia, mas gostei bastante, pois além do tema ser atual, ele mostra Moises tentando libertar o povo do seu próprio jeito e com as suas próprias forças. Gosto muito do diálogo em que Deus fala para Moises: você fez tudo que pôde e não deu certo, agora deixa Eu fazer.

6- Faltou mais background da história de Moises, faltou mostrar que milhares de crianças hebreias foram mortas nas mãos do faraó, e como Moises se livrou de tal barbaridade. Esse background dá força para a “virada” de lado de Moises. Mas por outro lado gosto da interpretação que Moises foi exilado do Egito, não por ter matado um soldado egípcio, porque ele poderia matar vários se quisesse, mas por uma “jogada” política do príncipe herdeiro.

7- Os tornados como solução para abrir o mar vermelho foi uma grande ideia, mas acho que não foi bem executado, não trouxe muita emoção para o clímax do filme, assim também foi com a grande onda para afogar o exercito egípcio. Não me fez levantar da cadeira. Meu amigo Luquinhaz me escreveu: “O mar se abrindo no filme 10 Mandamentos de 1956 foi melhor, a onda do Interstellar foi mais emocionante, até mesmo a onda da sopa do Todo Poderoso, do Jim Carrey, foi mais emocionante!”. E pra piorar a execução dessa ideia, que era boa, ele coloca Moises sendo pego pela onda e quase se afogando. Pelo amor de Deus, não força!

8- Um detalhe que eu gostei demais foi a favela gigantesca dos hebreus em Piton, trouxe para mim uma realidade do que era ter de 2 a 3 milhões de escravos em terras egípcias. Foi um choque ver uma terra, que foi um dos lugares de armazenamento de comida pelos egípcios nos anos de fome, se tornar aquilo por causa da exploração e miséria humana.

9- O filme retira Arão da história e coloca outros personagens nada a ver. Talvez porque se colocasse Arão teria que dar mais destaque para ele e “estragaria” o ritmo do filme. Mesmo assim, tirar o irmão mais velho de Moises, o primeiro sumo sacerdote da história, pra mim é grave.

10- Eu gostei do final do filme, do diálogo entre Deus e Moisés falando: “a tábua só registra, não contesta ou desobedece”, esse diálogo foi fantástico! Moises velho sendo transportado dentro do tabernáculo, com Deus andando do lado no meio do povo, me arrepiou. Talvez por fazer vir à mente tantos conceitos teológicos sobre a transcendência e imanência de Deus já no Antigo Testamento.

Lógico que teríamos muito mais para falar, mas isso a gente pode fazer aqui nos comentários, nas conversas em torno de mesas, nas salas de aula, ou nas redes sociais. Um grande abraço e espero ter ajudado com minha opinião.

  1. Marcos, sou de Iacri, interior de SP, sou da IBI (Igreja Batista de Iacri), a algum tempo, nosso ministério de Jovens utiliza seu trabalho como uma referência no sentido de abordagem para os jovens. Primeiramente gostaria de te parabenizar pelo trabalho muito bem executado.
    Quanto as suas observações sobre o filme, concordo em grande parte, no geral, acho que a História é muito rica, não sei de abordar toda essa riqueza com apenas pequenas citações seria tbm um enorme pecado.
    Porém, ao se comparar com Noé, ja foi um otimo avanço, o filme se manteve na linha, tendo as suas destoadas de roteiro, como esperado, porém conseguiu manter-se bem, sem ser suicida.
    A questão de aliar as opiniões da ciência e teologia na abertura do mar vermelho. A questão de baixar a maré em determinada época do ano, com a afirmação bíblica da ordem de DEUS a Moisés de tocar o mar com o cajado e levantar a mão, findando o mar. Nesse ponto, digamos que destoou um pouco, ao tentar acrescentar, ou retirar algo do roteiro.
    Acho q é só. Obrigado pelo espaço, Deus seja contigo.

  2. A parte da abertura do mar vermelho, a tentativa de aliar as possíveis explicações científicas, com o relato Bíblico, foi o ponto que mais destoou, levando em consideração que era o clímax da RICA história de Moisés.
    A tese de que em determinada época do ano, a maré baixava, dando a chance de uma travessia. Sem contar a espada substituindo o cajado (como já comentado).
    O relato bíblico nos mostra que DEUS ordena Moisés a colocar seu cajado na água, levantar as mãos, que o mar iria se findar.
    Por ser a parte mais esperada, esse foi o ponto que mais me decepcionou.
    O que impressionou foi a grandiosa forma do antigo Egito retratada por SCOTT

  3. Achei ótima a sua análise! Foi bem o que passei e pensei rs.
    Uma coisa também que me incomodou, além do que você já apontou aqui, foi a parte em que jacarés/crocodilos/não sei atacaram as pessoas do barco e transformando assim o Nilo num rio sangrento… rs! foi too much!
    Mas em termos cinematográficos adorei! Me lembrou bastante as produções de O Gladiador.

  4. Tb curti o filme. Saldo final bem positivo.

    Além do que você comentou, Marcos, estranhei a prepotência de Moisés ao conversar com Deus, quando, pela Bíblia, desde o começo da conversa Deus já deixa bem claro sobre Sua soberania e poder. Ok, Moisés teve uma intimidade com Deus enorme, mas tudo tem limite, né?…

    Outra coisa que percebi foram as alusões ao Holocausto, mostrando as semelhanças entre a perseguição nazista e escravidão – os carros de madeira com corpos empilhados para serem queimados em covas coletivas, o abrigo subterrâneo protegendo a família. Apesar da “dureza” dos períodos, achei de extrema elegância fazerem essa alusão.

  5. Marcos, legal a ideia da criança como Deus. Mas será que o autor poderia estar usando a imagem de um pré-adolescente para fazer uma caricatura de um Deus que age daquela forma (tipo menino mimado)? Outra coisa, essa relação de Moisés com esse menino Deus não surgiu um tanto esquizofrênica? Apesar da experiência ser pessoal, toda experiência com Deus não pertence só aquele que a faz, mas a partir dali a todas as pessoas ou humanidade (como você achar melhor). Nesse sentido, ao excluir Arão de seu papel tão importante no texto parece só acentuar esse aspecto patológico para o autor. A própria mulher dele levanta essa possibilidade: “você bateu com a cabeça”.
    Mas para mim os pontos altos do filme foram os diálogos entre os dois. Sobretudo porque ressaltam o espaço mais importante na relação do homem com tudo, até mesmo com Deus, coisa que Jesus autenticou como ninguém: a liberdade. No final o menino Deus falando que eles não concordavam sempre um com o outro e que mesmo assim mesmo estavam ali foi o esplêndido. Não sei se foi objetivamente essa a intenção do autor. Se não foi, esse acerto foi de uma precisão absurda. A liberdade é um espaço inalienável.

  6. Marcos, eu tb gostei do filme mas achei q passou uma ideia meio confusa de Deus como sendo cruel, principalmente naquela parte em que o menino avisa Moises que vai matar os primogenitos e Moises fica todo bravo e fala que não vai tomar parte nisso…o que vc achou dessa parte?

  7. Achei o filme detestável ainda mais se realmente lermos o livro de Exodo… claro que esperar que hollywood faça algo bíblico nos dias de hoje já seria pedir demais mas tirar o cajado, ao contrário do seu pensamento foi uma afronta a vdd escrita no livro… sem contar inúmeras coisas horrendas como Deus birrento, Aarão não aparece, a pedra batendo na cabeça dele para parecer que ele estava louco, a sarça, meu Deus, se tivessem seguido o livro, o filme seria muito mas muito melhor… seria épico… tentaram tornar todas as açoes milagrosas de Deus em ciência, até mesmo o rio em sangue, que absurdo… nunca mais gasto um centavo para assistir filmes de hollywood com bases bíblicas, teria sido melhor assistir Harry Potter, já que é para inventar… ! A única coisa boa são as imagens, também, né? E não é ser religioso, mas tem que ter coerência com os textos senão vira o que a mente humana quiser… e não o que o texto, o único texto tem a mostrar… teria muito mais para falar mas acho que já deu para entender… abraços…

      • Concordo plenamente, achei esse filme altamente desnecessário, e NÂO, não ficou legal Deus como aquele menino birrento q assombrou Moisés, não condiz com o caráter de Deus. Filme nada a ver, desfez do poder de Deus, e colocou Deus como mal porque o Faraó foi descobrir depois que as pragas vinham de Deus, sendo que na bíblia Deus já tinha avisado com antecedência.

  8. Oi Marcos.

    Eu também gostei do filme, mas acho que ele é extremamente carregado de ideologias que aparecem sutilmente, o que pode confundir.
    O filme coloca em pé de igualdade o misticismo egípcio, com o presságio que se confirma no início do filme, a religião de Zípora, que Moisés pede que ela não abra mão, e o Deus hebreu, cuja existência é colocada em dúvida, podendo ser apenas fruto de uma pancada na cabeça de Moisés. Acho que o clímax do filme sendo a cena em que faraó pergunta quem adoraria um Deus sanguinário desses já mostra as intenções do diretor.

    No final fiquei com a sensação de que o filme é sobre como a grande e maravilhosa civilização egícia foi usurpada por um fanático que achava que tinha visto Deus depois de uma pedrada na cabeça.
    E realmente, o pior do filme foi Moisés e o faraó sendo atingido pelas águas e sobrevivendo.
    Abraços

  9. Lamentável, triste… o que vi. No máximo uns 10% está de acordo com a Escritura.

    Inúmeros erros grosseiros e patéticos. Tão fácil era seguir o enredo bíblico já prontinho!

    O mais bizarro foi Moisés e Faraó salvarem-se das águas! (mas nenhum hebreu se molhou) e NUNCA os hebreus lutaram com espadas, arcos flechas, cavalos contra os egípcios, eram escravos! foi Deus quem os libertou pelas pragas (não tinha crocodilo!) e cada uma Moisés se apresentava ao Faraó Amenhotep II (e não Ramsés como insistem em mostrar só porque foi o maior Faraó da história, mas nada a ver com Exodo que ocorreu quase 2 séculos antes). Outro absurdo foi o Deus-menino a lá buda! aff… etc, etc.

  10. Achei sua opinião teológica péssima p não dizer incipetente. Faraó representa o diabo e morre na bíblia, no filme não, eles debocham da abertura do mar bíblica c a baixa da maré q é um fenômeno cientifico utilizado p desmitificar o milagre de Feus, o Deus menino em várias cenas monta uma pirâmide c pedrinhas enquanto conversa c Moisés, isso é sinalização ocultista pois não está na bíblia.

  11. achei o filme pessimo
    acho que ridley scoth que produziu blade runner, cruzada, gladiador, quando produziu prometeu e esse ultimo filme perdeu a mão

    não vou entrar em detalhes se o filme é ou não fiel a narrativa de exodo, o filme é ruim mesmo

    o filme bastardos inglorios não tem nada a ver com a historia mas é gostoso de assistir deuses e reis é ruim mesmo

  12. O filme em minha singela opinião foi um quase total fiasco! Ótimo filme que confirma a tese dos Ateus! Um Deus sádico, prepotente e arrogante.
    Êxodo 4,10, quando Moisés encontra Deus e recebe a ordem de libertar o povo hebreu do Egito. Moisés replica a Deus dizendo:
    Perdão, meu Senhor, eu não sou um homem de falar, nem de ontem nem de anteontem, nem depois que falaste a teu servo; pois tenho a boca pesada, e pesada a língua.
    Deus responde para Moisés não se preocupar, dizendo: “te indicarei o que hás de falar”. Mesmo assim Moisés não se sente seguro, pedindo alguém que faça de intermediário. Deus então indica Aarão! Aarão era o intermediário e cade o cara? Deixa pra lá…

    Tradição

    Portanto, literalmente, a Bíblia não diz que Moisés era gago, mas que não tinha o dom da palavra. Apesar da falta de uma afirmação explícita da Bíblia, há muito tempo os judeus julgam Moisés como um gago. O Talmud (texto importante do judaísmo, junto com os Midrashim) diz que Moisés ficou gago porque, quando jovem no Egito, teria colocado na boca uma brasa, que deixou sua língua pesada. Conta-se que alguns do palácio do Faraó julgavam Moisés uma ameaça (lembramos que ele foi crescido no palácio do faraó) e o acusavam diante do soberano. O faraó, então, disse: façamos uma prova. Vamos dar a ele uma pepita de ouro e uma brasa, para que ele a coloque na boca. Se ele pegar a o ouro significa que é uma ameaça e se pegar a brasa quer dizer que é inofensivo. Iluminado por Deus, pegou a brasa, queimando a língua e enganando o Faraó.

    Príncipe do Egito diz: ” Que espécie de povo é esse que adora um Deus que mata crianças?” Essa é uma das poucas coisas que eu concordo no filme…

  13. O que mais me incomodou no filme foi Moisés n abrir o mar o mar e sim fazer com que ele se secasse, pq na historia Moisés abre o mar e passa e eu na esperança que ele iria abrir kkk

  14. Pessoal, ISSO É FILME, ficção, contexto idealizado por homens. (só tiraram a ideia principal da verdade bíblica)

    O comentário do Marcos sobre o filme está ótimo!
    investidores buscam retorno financeiro. se pessoas incrédulas ou leigas vissem o filme com a historia bíblica descrita integralmente certamente não atrairiam espectadores pois um colega diria para o outro: ” NÂO ENTENDI NADA ou QUE FILME MENTIROSO…” .
    Para quem conhece a historia de Moisés e não é tão mesquinho e perfeccionista o filme é muito bom.
    Melhor evangelizar com um filme + ou – verídico (que pode levar curiosidade para pessoas que não conheciam Moisés) do que fazer críticas destrutivas. (RESSALTO QUE RESPEITO OPINIÕES, MAS TAMBÉM TENHO A MINHA)

  15. Como assim Aarao nao aparece? Nao lembram da cena que Moises volta pro Egito depois de ter casado com Zipora, e ele é apresentado a seu irmao Aarao? So nao dao a ele o destaque no filme pq senao demoraria 4 horas.

  16. Não gostei… fugiu e muito, do que a Bíblia nos conta, o filme tenta a todo momento não mostrar as maravilhas descritas na Palavra de Deus, tentaram dar uma ar cietifico ao enrredo… Claro, eles (produtores) não tem que ter nenhum compromisso com a Verdade Bíblica, é uma produção totalmente comercial, agora, nós cristãos temos que tomar cuidado com esse tipo de produção… vide o filme “Noé”. Assisti o filme por curiosidade, mais não gostei…

  17. Olá Marcos,a Paz esteja contigo.Sabe irmão,não gosto da idéia de aliar a Palavra do Antigo Testamento com essas produções hollywoodianas.Por favor não entenda como fanatismo rsrs,até porquê não tenho relgião.Ser cristão para mim “ainda mais nos dias de hoje “,é viver o mais próximo de YESHUA segundo a Palavra e tentar ficar o mais longe possível de relgião seja ela qual for.Enquanto a esses filmes prefiro ler a Palavra que 100% fiel e deixar os com o PAI.Fazendo assim o filme sai perfeito,como tudo que Ele faz, concorda comigo? Um abraço irmão e fica com DEUS voçe e família Jo 8:32 Pv 2:6 e 3:13-15 😉

    • Querido Salomão me permita descordar de seu comentário , mas produzir filmes biblicos acho muito edificante para levar informação biblica as pessoas que desconhecem temas biblicos e principalmente o velho testamento, pois é a origem do povo escolhido, os descentes do Messias ou seja Jesus Cristo, e em relação a religião ou religar não é obra humana é de Jesus , concordo que muitos estão banalizando ao seu bel prazer, mas isso não desqualifica de maneira nenhuma a igreja.

  18. Pena que não seguiram o relato Bíblico e viajaram na maionese em muitos trechos do filme! [no]

    1º – Moisés quando se encontrou com DEUS, não foi no meio do barro e nem tão pouco quebrou a perna e nem feriu a cabeça! Deus falou com Moisés através de uma sarsa ardente e não na figura de um menino, e a primeira ordem de DEUS a Moisés foi para tirar as sandálias pois a terra que pisava era santa! Êxodo 3: 1 até 7. E esse fato nem foi mencionado no filme!

    2ª – Moisés não tinha uma espada na mão mas uma vara que usava para apascentar o rebanho de Jetro seu sogro (Êxodo 4: 1 até 4), mas pedia pra Arão com a vara fazer os sinais que DEUS mandara; Tanto que Moisés pediu que Arão lançasse o seu cajado no chão que imediatamente virou em serpente(Êxodo 7:8 até 12), esse fato nem apareceu no filme, não foi os crocodilos do rio Nilo que tornaram suas águas em sangue, mas a vara de Arão foi estendida (levantada) sobre o rio que virou em sangue e não só o rio mas também sobre os canais, lagoas e reservatórios (Êxodo 7: 19); Não mencionaram a terceira praga a dos piolhos (Êxodo 8: 16 até o 19) e nem a nona praga a das trevas (Êxodo 10: 21 até o 29), depois das trevas é que foi instituida a celebração da páscoa e o sangue nos umbrais das portas (Êxodo 12: 1 até o 28), ai sim vem a décima e ultima praga a morte dos primogênitos e a saída dos Israelitas do Egito! (Exodo 12: 29 até o 36).

    3ª – Faltou no filme a nuvem que os guiava de dia e a coluna de fogo que os iluminava a noite! (Êxodo 13: 21 e 22)

    4ª – A travessia do povo de Israel pelo mar (vermelho Hebreus 11:29) foi uma viagem neste filme, pois no relato Bíblico as águas fora divididas e o povo atravessou a seco (Leiam Êxodo 14: 1 até o 31).

    Deixei esse comentário para que vejam que o correto é o que esta escrito na Sagrada Escritura a Bíblia e não neste filme!

  19. Esses produtos de filmes não quer de nada além de ganhar dinheiro. Porquê não fazem a mesma coisa quando fazem um filme contando a biografia de uma pessoa famoso, que nem fizeram os filmes contando a biografia de Steve Jobs. Pois basicamente seria a mesma coisa, e o correto, em ter feito nos filmes que conta a história de Noé e a história de Moisés. Digamos que você é alguém importante e fez coisas grandiosas, você gostaria que alguém fizesse um filme contando a história da sua vida, só que toda distorcida e fora da verdade?

  20. Echei ridículo! Se fosse um filme de ficção criado por alguem, seria ate razoável. Mais se tratando de algo real na qual creio que aconteceu assim como esta eacrito, tem que ser fiel. O roteiro é a bíblia e tem que ser seguido! Se não nem façam o filme.
    A palavra de Deus está ai pra ser seguida a risca e sem alterações… Na minha opinião esta faltando mais respeito a palavra de Deus.

  21. Sobre as 10 pragas,Deus esta certo,porque ele é um homem justo,e se não fosse feito isso,o que seria dos hebreus ?
    Eu gostei do filme e gostei de ter botado uma criança como mensageiro de Deus,pois todos nois devemos tentar,ser igual a uma criança,que são puras.
    Só não gostei do final que eu não vi cajado e nem vi o mar se abrindo.
    Mas isso é filme né.
    Os filmes não fala a verdade né,temos que lembrar isso,que filmes tentam fazer parecido.

  22. Gosto muito dos trabalhos de Marcos Botelho, mas sinceramente, fiquei chocado ao ele dizer que achou legal o filme! Vou se fazer que nem li o que ele escreveu aki!
    Filme perda de tempo total! Uma superprodução para uma perda total!
    Noé, colocando a Bíblia distante, pelo menos ainda tem uma historinha legal pra assistir, mas Exodus é muito confuso, roteiro fraco, interpretação pobre, inicio e final de historia muito fraco!
    Para quem não conhece a historia Bíblica, ficara totalmente confuso.

  23. É um desperdício de dinheiro e uma aberração um filme ser elaborado usando um tema bíblico, tão somente, para provocar opiniões! Neste caso, cristãos, judeus e gentes de outras crenças que adoram ver os efeitos especiais das pragas e do mar Vermelho se abrindo. A figura do deus-garoto e sua maneira de se dirigir a Moisés, é tão ridícula quanto ridículo você se sente quando olha pra ele! No filme, deu vontade de falar: vá procurar tua tua turma, guri! Vá trocar tuas fraldas! Precisamos entender que o cinema pode muito ajudar a conhecer os cenários bíblicos, desde que inspirados por seu grande e único autor: o Espírito Santo! Não há nada em Ridley Scott que possa edificar a vida espiritual de quem quer que seja! Se aquele garoto é um deus para Scott, então sua visão é a do inferno! Se ele não conhece o Deus da Bíblia, o mínimo que ele poderia fazer é deixar de ser herético e diabólico. O filme, para mim, é uma forma de ridicularizar o Deus de Moisés. Então a pergunta que fica é: quem o inspirou a dirigir este filme?

  24. Eu sou cristão, sou cinéfilo, e assisti o filme. Concordo com quase tudo o que escreveu, mas a nona observação está incorreta. Arão apareceu no filme e ficou ao lado de Moisés por muito tempo, assim como Josué. Arão apenas não foi o porta-voz de Moisés como na Bíblia. Miriã foi quem não apareceu muito, só início.

    • Tambem não vi moisés jogar a espada e a mesma virar uma grande serpente,ou seja o cajado. Querido cuidado com as herezias do final dos tempos , a intenção por tras de tudo é desconsiderar os relatos biblicos, e os que deveriam defender a sua fé embarcam na herezia.

  25. Os filmes bíblicos como José do Egito, Moisés, Apostolo Pedro, Tomé e vários outros lançados pela mesma produtora, são filmes épicos que retratam bastante a narrativa bíblica. Para quem crê e gosta de estudar as escrituras é lindo vc assistir filmes pelo menos próximo da realidade da palavra de DEUS. Já os filmes recentes Noé e esse Exodu para mim é heresia.

  26. Achei seu comentario otimo!
    Mas Arão estava no filme, Num o apresentou a Moises, e depois ele sempre aparece a seu lado como Josue, tanto que, quando os egipcios vão de encontro aos hebreus no mar vermelho, Moises chama Arão e Josué.

  27. Este filme não é apenas uma complexa, bem filmada e comovente mentira, mas também uma tremenda difamação ao caráter de Deus, à pessoa de Moisés e uma completa desconstrução do contexto histórico, social e religioso da época. A história deste filme não tem nada que ver com o original bíblico, e não faz jus à superior grandeza e beleza do relato verdadeiro, do qual este filme tomou emprestado o enredo, mas não foi capaz de tomar emprestado a profundidade da mensagem que ele possui. Ao assistir filmes como este é que me certifico cada vez mais de que na chefia das grandes empresas de comunicação em massa só podem haver agentes satânicos a direcionar cada passo, cada cena e cada novo filme ou atração, o que é realmente lamentável e preocupante. Somente o inimigo de Deus poderia imprimir com tanta eficácia e maestria tamanha distorção ao caráter dEle, utilizando mesmo os próprios meios e enredos pelos quais Deus desejaria se revelar às pessoas. E isso preocupa porque, multidões incautas e ignorantes da verdade preferirão acreditar naquilo que seus olhos e ouvidos vêem, do que procurar a verdade por si mesmas na fonte, na infalível palavra de Deus.

  28. Pessoal, e quem disse que o que tá na bíblia aconteceu mesmo? Ninguém pode ter aumentado uma coisinha aqui ou ali não? Poxa, vamos pensar racionalmente, é um texto com milhares de anos que foi passada por muitos povos e foi divulgada com propósitos diferentes por cada um deles. É óbvio que o texto foi mudado inúmeras vezes. Vocês realmente acham que Moisés pegou um pedaço de pau, tocou na água, e de repente se tornou o avatar e controlou o mar? Poxa, isso é ilógico. E só pra deixar claro… No filme, o mar não seca por causa dos tornados. Isso nem faz sentido! O mar seca por causa daquele meteoro que cai quando Moisés está dormindo. O meteoro caiu e “puxou” a água (assim como acontece nos maremotos, uma falha geológica pode “puxar” a água e empurrar com muita força de volta.). Por isso foi bem lento. Depois que a água se assentou, aí veio o maremoto. Pode prestar atenção, sempre antes de um maremoto o mar recua mais que o usual. É um filme e a bíblia é um livro. Só porque está lá, não quer dizer que realmente aconteceu. E poxa, quem leu a bíblia sabe que deus é um pestinha no velho testamento.

  29. Não fui ao cinema e ouvi mtas criticas sobre o filme.Estou vendo hj na tv . Vi Noé e deplorei tamanha blasfêmia. Vendo Êxodo, sinto o mesmo. Pq não podem contar histórias bíblicas como realmente elas são? Sei q para um filme tem q ser preenchidas as lacunas do tempo mas deveriam ser coerentes com a história e não essas abominações. Moisés era de temperamento brando e Deus nunca disse q queria um general. Excluir Arão também é idiota. A bíblia deixa claro q Moisés dependia de Arão para falar por ele já q por algum motivo ele não era bom com as palavras. Mas o mais triste nesses filmes e até novelas como a da Record q se dizem bíblicas, honram a homens como se fossem eles e não Deus a fazer todas as coisas extraordinárias relatadas na palavra de Deus.

  30. Aberrações

    1. Deus na forma de uma criança suja;
    2. Moisés atolado na lama com a perna quebrada;
    3. Moisés volta ao Egito como um general e não um pastor das ovelhas de Deus;
    4. Moisés coloca a espada no pescoço do faraó;
    5. Moisés dá bronca em Deus;
    6. Moisés treina uma milícia para libertar os Hebreus;
    7. Arão não fala nada, nem vai junto falar com o faraó;
    8. Deus só manda as pragas depois que vê o fracasso da milícia;
    9. O plano de Moisés é passar pela maré baixa do Mar Vermelho;
    10. Moisés é quem guia o povo e escolhe por onde ir quando chega numa encruzilhada;
    11. A travessia no mar não é feita em terra seca;
    12. O faraó sobrevive mesmo estando no meio do mar quando este se fecha.

  31. Sua análise é daquele tipo que quer agradar todo mundo, bem clichê!
    Pra mim, se a pessoa vai fazer um filme baseado na bíblia, em Êxodo, por que não se manter fiel ao texto?? Claro que tem sempre algumas adaptações, mas algumas, como a desse filme e de Noé, é difícil de aguentar.

  32. Se fosse falar somente em produção cinematográfica, eu daria a nota 7,0. Mas, como estamos falando de um fato bíblico, então, na minha opinião o filme conta uma história de outro Moisés, não o da Bíblia. Do tempo que passa no deserto ( 40 e não 7 anos), as abordagens que o Libertador fez ao Faraó, em nada tem a ver com os relatos bíblicos. Também, não gostei da criança: vivemos por fé, não por vista. Além de dispensar Arão, o autor do filme dispensa a presença de Moisés para anunciar as pragas à Ramsés. Se Deus faria tudo sozinho, porque trazer Moisés de volta ao Egito? A travessia do Mar Vermelho, foi a pior de todas as cenas… Em se tratando de ser fiel aos relatos da Bíblia, para mim, esse filme “beira a heresia”. Partindo desse princípio: não gostei.

  33. Se gasta tanto dinheiro e tanto recurso para fazer filmes e numa história tão importante como a do Moisés BIBLICO se joga fora toda a oportunidade de levar as pessoas a oportunidade de conhecer a verdadeira história bíblica. As críticas feitas pelos colegas acima já dizem tudo! Não gostei! Pode se colocar O filme de Noé e de Moisés no mesmo saco de lixo! Infelizmente tá pra nascer alguém que produza um filme fiel à Bíblia! Abraço!

  34. my welcome: mais a ciência querem afirmar que tudo que esta na Bíblia esta errado.Este filme foi uma grande mentira porque eu já li a Bíblia e tudo esta totalmente errado, mais gostei das suas críticas.

  35. Caro, análise rasa e equivocada. Preciptou-Se em aplaudir esses liberais suberveterem os princípios bíblicos passados pela história de Moisés e não percebeu como eles introduziram distorções sobre a autoridade de Deus, por ex.

  36. eu gostei do filme.
    Ridley Scott costuma fazer grandes Produções sim, ele não seria obrigado a fazer um filme fiel as escrituras, porem ele usou da ideia de uma grande historia tomando Moises por seu grande Principal.
    Mas eu sempre vejo, por que DEUS não usaria os meios disponiveis para fazer suas obras? se ele pode fazer qualquer coisa?
    não julgo nem critico os comentarios que li, gostei de cada um colocar sua opiniao.
    assim como tenho a minha.

  37. Oiii…

    Referente a colocação de uma criança para representar a Deus no filme, vejo como uma simbologia para representar a pureza e santidade de Deus. E quanto ao fato dele parecer invocadinho, segundo o q vc deu a entender em sua opinião, eu já olho como uma atitude de firmeza e autoridade, o que de fato é o caráter divino. Convenhamos, Moisés tinha uma opinião própria e era firme…e algumas vezes teimoso, mas o povo, ah , este sim era difícil. Não era a toa que Deus tinha uma postura mais firme com demonstração de autoridade. Biblicamente isto está bem claro, e neste ponto o filme manteve a essência da característica divina…é o que penso.

  38. Enfim…outra observação…muitas pessoas exigem fidelidade histórica à Biblia…o que o filme fez, foi uma releitura e interpretação histórica, e tomou certa liberdade; porém não acho que perdeu sua essência. Penso que se alguém vai com esta visão de fidelidade histórica…com certeza se decepcionará, e verá muitas incoerências com o contexto bíblico. No meu ver foi uma interpretação a parte dos fatos bíblicos , que não tirou a essência ,pois mostrou um Deus puro, representado na imagem de uma criança, firme e com autoridade, um Deus que tem controle sobre tudo, e que é justo…e deixou transparecer em Moisés um homem manso, de opinião, firme em suas convicções, e que tinha uma amizade bonita com Deus…esta mensagem passada para mim pelo filme, está mais que coerente com o contexto biblico…tem os contras…ah sim, tem…a falta do cajado, a abertura do mar vermelho…merecia ser mais grandiosa…e muitos outros pontos…mas daria outra redação.É isso.

  39. Bom, tive o cuidado de ler todos os comentários, e a opinião de Marcos Almeida. Vi o filme ontem, e gostei. O que vejo nos filmes primeiramente é o desempenho dos atores, e nisso sou muito exigente. Gostei do que vi.
    Parabenizo todos os comentários postados, pois nos ajudam a entender o trabalho realizado, bom ou mal.
    O filme Noé já o vi diversas vezes e não sei dizer que poderia assistir mais vezes o Êxodo. Abraços.

  40. Boa tarde! Ontem assisti ao filme. Concordo é menos viajante do que NOÉ. Temas existem aos montes para serem explorados. Quando tentam fazer filme bíblicos os diretores e equipe aproveitam esse veículo de massa que é o cinema para colocar suas opiniões e não para seguirem um roteiro pronto que é a Bíblia aí meus amigos que eles pecam. É só parar de inventar.

  41. Ola a todos, gosto de ver filmes com ” Temas Bíblicos”, mas o cinema é uma indústria, e assisto à esses filmes depois dos meus estudos sobre a mensagem de Deus para quem ele ama, acredito que o menino é filosófico, pois representa a chance de um povo continuar existindo, crianças são sementes que vão crescer, multiplicar e, assim, garantir o ciclo de vida desse povo, o menino representa todas as crianças das futuras gerações dos filhos de Israel. Os cenários são maravilhosos e me ajudam na construção visual daquilo que estudo. Acho importante distinguir bem o que é A Bíblia ( quanto mensagem de Deus) e o que são livros acadêmicos ( Matemática, Física, Biologia etc…)

  42. Olá pessoal,
    Acabei de assistir o filme, li alguns comentários aqui e gostaria de deixar minha opinião. Bem… não sigo uma religião, apenas creio em Deus. Nunca fui uma pessoa dedicada a orações, etc… mas de uns tempos p cá tenho me interessado pela temática, talvez porque algumas pessoas de meu convívio tenham me indicado p assistir a novela “Os 10 mandamentos”. Depois q assisti a primeira fase da novela, quis saber mais sobre toda essa história. Daí procurei textos na internet, li artigos, assisti filmes, conversei com pessoas e por aí foi.Pra ser sincera e digo q não me orgulho disso, não tenho paciência p ler a bíblia, daí a razão da procura por artigos, sites e outros meios de aprendizado. Esse filmes foi mais um q assisti de tantos outros q já vi, além de ter lido várias vezes a mesma história. Honestamente na gostei do filme por inúmeras coisas q já foram relatadas aqui. Acho importante que os filmes bíblicos relatem a história em sua verdades para que pessoas como eu possam ter acesso ao conhecimento. Se eu não tivesse pesquisado sobre o tema, jamais saberia dizer o que foi verdade é o que foi destorcido. Eu absorvo melhor as informações através histórias contadas em filmes, vídeos. Assisti esse filme com minha amiga q não conhecia a história de Moisés, quando acabou o filme, fui fazer minhas críticas com base nas minhas pesquisas, minha amiga me falou: “Ué, não é essa história q tem na bíblia??? Pelo q estou vendo tem muita coisa que foi destorcida aí.”

  43. O filme foi incapaz de agir com a verdade, Moisés não saiu do Egito pelo fato de escravidão, e sim porque matou egípcio e fugiu comedo da morte. Tudo no fie as falas e tudo que a na bíblia foi cortado e colocado outras coisas que se for fala vai o filme todo de discordância com a bíblia.

  44. A paz irmão!
    Eu comecei o plano de leitura da biblia esse ano e acabei de ler genesis e exodo,e justamente agora parei para assistir o filme… entendo sua opinião e em algumas coisas concordo mas a intenção de dar um ar mais de filme de historia antiga como qualquer outra fez perder a essencia de tudo oque eu li… a prepotencia de moises ao falar com Deus, a troca do cajado e a criança quase que “encarnando” Deus enquanto fala com Moisés deu o sentido sim de intimidade mas a biblia relata outra coisa e isso me incomodou bastante, dentre outras coisas, moisés quase que querer encarar o faraó enquanto o mar se fechava… acabar de ler a historia e se deparar com um filme com tantas brechas de conteudo biblico é realmente desanimador rs

  45. Marcos, boa noite. Uma analise interessante. Sou super-fã de histórias bíblicas e quadrinhos desde criança, pretendo algum dia conciliar essas minhas duas paixões. Curti muito o filme quando assisti, acabei de revê-lo. Me sinto contente por saber que existem pessoas que compartilham as mesmas convicções que as minhas e que, assim como você e outros aqui, conseguem pensar fora da caixa. Concordo com muito do que li e assisti em sua analise anterior sobre o Noé do Aronofsky – outro excelente filme Bíblico -, a primeira vez que assisti você. Enquanto acompanhava você e o Felipe pensei comigo mesmo: “Esses caras me entendem. Eles entenderam o filme!” rs. Estamos aguardando o vlog sobre o filme Êxodos. Ainda pretende gravar? Alguma previsão? Abraço.

    • Álafe, o filme não foi produzido para ser uma cópia fiél da Bíblia, principalmente porque o mercado já está saturado dessas obras. A intenção dos roteiristas e diretores foi justamente sair disso, por isso a escolha do gênero ação. Com isso, ficaria inviável seguir a risca a história original, pois para que tivesse o teor de ação foi preciso colocar uma batalha onde houvesse a retaliação do Hebreus, você pode ver isso claramente na cena do mar vermelho quando o exército de Ramsés se dirige ao dos Hebreus, aquela típica formação de guerra dos filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>