Tenho que confessar algo para vocês, eu não gostava de palhaço na minha adolescência. Foi de um tempo para cá que comecei a entender e apreciar mais essa figura chamada palhaço.

O palhaço é um personagem que não se satisfaz com o momento presente, ele quer ver além da situação. Vou explicar melhor: certa vez, ouvi de um teólogo que viver é saber conviver com o sofrimento. E provavelmente ele está certo, mas o palhaço diz que a tristeza não é o fim.

Ao contrário do que muitos pensam, o palhaço não veio trazer apenas a risada, ele veio trazer alegria. E o que mais me fascina é que essa alegria ele traz às suas custas. Com um nariz vermelho e uma roupa nada convencional, ele faz de tudo para mostrar às pessoas que a alegria está bem ali do lado dela, é só ela esticar a mão e pegá-la.

Tenho visto palhaços que trabalham em hospitais e fazem de tudo para trazer mais alegria e qualidade de vida àqueles pacientes. Se for preciso, eles cantam, falam bobeira, se fazem de bobos e até se acidentam para tirar um sorriso e alcançar a árvore da alegria que está logo ali. “A felicidade é uma arvore de belos pomos, ela sempre esta onde nós a pomos, mas nunca a pomos onde nós estamos”. Vicente de Carvalho.

Deve ser por isso que fiquei tão encantado com a arquétipo do palhaço, pois ele vai ao cerne do evangelho, à felicidade do outro, mesmo que seja às próprias custas. Ao citar o principal mandamento, Jesus fala de amar a Deus acima de todas as coisas e amar o próximo como a si mesmo. Precisamos lembrar que ele estava citando o antigo testamento, mas Jesus mostrou com sua própria vida que o seu evangelho vai mais além. Ele mostrou que não é apenas amar como a si mesmo, mas sim às custas de si mesmo, se for preciso.

No filme Patch Adams, um estudante de medicina luta para transformar um hospital em um lugar mais pessoal, menos sério e carrancudo, um lugar com espírito de criança. Mas por causa disso foi perseguido,  pois o hospital “deveria” ser um lugar sério onde os doutores fossem respeitados e reverenciados.

Acredito que não são só os hospitais que precisam entender a alegria que os palhaços entenderam e melhorar a qualidade de vida de quem está lá, penso que o trânsito, os escritórios, as escolas e, inclusive a igreja, precisam experimentar mais alegria.

É isso mesmo, as igrejas! Onde está escrito que a igreja precisa ser um lugar sério onde a alegria não entra? Acredito em um Deus que se alegra quando seus filhos se alegram.

Certa vez Jesus falou que “quem não for como uma criança não entrará no reino do céu”. Acredito em uma igreja mais alegre, com um espírito de criança, onde os seus membros possam encontrar refúgio espiritual, comunhão e muita alegria. Se os palhaços entenderam esta mensagem de Jesus, podemos também entender.

  1. Excelente texto!
    Confesso que quando o assunto é palhaço eu sempre caí em contradição,pois quando criança desfilei fantasiada de palhaço feliz da vida,mas eu não gostava muito de palhaço.Isso persistiu até quando entrei p/ o ministério de teatro.
    Fato é que esse texto me fez enxergar com outros olhos esse ser chamado Palhaço.
    Parabéns!

  2. Aprendí com Jorge Camargo uma frase fantastica: PREGUE O EVANGELHO – SE FOR PRECISO USE PALAVRAS – mas com tchurma do JV tenho aprendido a alegria de fazer com que as pessoas se alegrem as minhas custas.
    E não há nada melhor do que ver um sorriso expontâneo, cativante e verdadeiro.
    PAZ!!!!!!!!!!!!

  3. Fazia tempo que eu não via um palhaço, quando faz uns quatro meses você apareceu caracterizado como tal, num culto da manhã. Foi das mensagens mais tocantes, pois me remeteu aos tempos da infância e da ingenuidade. Agora neste texto você colocou ainda mais emoção nesta nossa vida atribulada na cidade grande e hostil. Você pegou a razão e nos enfiou goela abaixo ternura e sentimento, mostrando que é a igreja o lugar onde se deve ter alegria. Muito Obrigado.

  4. Lembrei de um velho “chavão”: “Desmancha essa cara de Delegado”… não podemos esquecer que em algumas igrejas, palhaços são tratados como demônios e por isso espero que mais pessoas leiam o seu texto. Parabéns!

  5. Comecei a me apaixonar por palhaços e ter envolvimento em circo. Espero usá-los pro Reino de Deus, assim como vc o usa.
    Ah, só um detalhe, sem muita importância..rs, mas a frase que vc citou é do Vicente de Carvalho, e não do Pessoa.
    Mas o que importa é a verdade que ela diz, muito bem colocado!
    =)

  6. Eu amei este texto. Tem tudo a ver com a necessidade desta geração refém da depressão e que precisa recuperar o humor mesmo. Sou adepto do bom humor e prefiro mostrar a vida de uma forma equilibrada e acima de tudo na liberdade e na alegria que apenas o evangelho pode nos oferecer.

  7. Adorei o texto! Tive oportunidade de participar de um ministério chamado “Semeadores da alegria”. O foco desse ministério era a evangelização de crianças em hospitais, e sempre faziamos os trabalhos vestidos de palhaço. Quando colocamos a roupa de palhaço e nos olhamos no espelho vemos como o amor de Deus nos traz alegria e nos capacita a passar essa alegria para outras pessoas. É um trabalho incrível e muito prazeroso. Vale a pena investir dentro das igrejas. E lembrem-se, quando Deus chama, Ele capacita!

  8. Que MARAVILHOSO!!!!!! A alegria é sim nossa FORÇA… Louvo a DEUS por levantar pessoas como atitude como a sua, entendo que tudo isso faz arte das estrategias que DEUS atraves do seu Espirito tem dado a seu povo para anuciar seu Evangelio Urul!!!!!! /// Bom demais!!!!

  9. PARA COM ISSO! PELO AMOR DE DEUS!… O QUE TEM A VER O SANTO EVANGELHO COM PALHAÇOS ? VCS DETURPAM AS ESCRITURAS PARA A VOSSA PRÓPRIA CONDENAÇÃO , SER UM CRISTÃO NÃO É BRINQUEDO NÃO! CRISTO DISSE QUEM QUER VIR APÓS MIM PEGUE A SUA CRUZ , TEMOS QUE PARTICIPAR DO SOFRIMENTO DO SENHOR , E NÃO SER AMIGO DO MUNDO, PALHAÇO É UMA FIGURA DE ESPÍRITO ZOMBETEIRO, ESCARNECEDOR QUEM DISSE QUE IGREJA É LUGAR DESSA CONFUSÃO SAI FORA …SOU MAIS CCB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>