A mídia nunca pensou que o assassinato terrível da menina Isabela Nardoni pudesse dar tanta audiência e dinheiro.

Não quero, aqui, falar da menina que era querida por todos e nem do pai e da madrasta que são os principais suspeitos do crime. E nem vou falar da necessidade de acharmos vilões para aliviar nossos medos e frustrações. Gostaria de falar da TV brasileira que não fala de outra coisa, a não ser desse assunto.

Me desculpa, mas não acredito que a mídia está muito interessada em mostrar que existem pessoas ruins, ou que o casal deverá ser punido de forma exemplar.

O que penso é que não importa se é novela, BBB ou uma menina sendo jogada pela janela de um apartamento no sexto andar, o que importa é a audiência que pode dar.

Há tantos assassinatos familiares, tantos pais que agridem os filhos, mas esse, por juntar vários detalhes intrigantes e perversos, foi um prato cheio para a mídia ganhar muito dinheiro.

Foi chocante ver uma entrevista, de quase uma hora no Fantástico, da madrasta e do pai da menina no último domingo (20/04/08), que foi dividida no meio para dar espaço às propagandas de carros, cervejas e outros produtos. Me lembrou a cena da novela que, após Juvenal Antena tomar um tiro, a música de encerramento da novela começou e percebemos que teríamos que assistir no outro dia o restante e a emissora ganharia mais dinheiro através dos comerciais.

O que tenho mais medo é que, entre novelas, reality shows e barbáries, as barbáries são mais baratas e dão tanta audiência quanto.

Tenho medo que esse caso abra portas para mais destaques desses programas sensacionalistas e que a mídia brasileira fique correndo atrás de casos de crianças jogadas pela janela, arrastadas por quilômetros por um carro, ou a mãe que acorrentava e dilacerava a filha com alicate, não para denunciar, mas para promover um show de terror alimentando de uma forma barata a audiência de sua emissora.

Deus nos livre de tão grande insensibilidade!

  1. É difícil conceber a mídia como informante universal! Diante do que foi exposto (poucas e expressivas linhas) vejo que a mídia é forte aliada da criminalidade! Acaba que funcionando como o “palco” para tais apresentações. A mídia espetaculariza esses tipos de crimes! É triste…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>