Acredito que a maioria dos jovens, principalmente namorados, não entende direito o versículo “façam aos outros o que vocês querem que lhes façam”(Mt 7.12), pois eles entendem este versículo literalmente, e não o espírito da lei e dos profetas.

Vou explicar melhor, quando vejo as brigas de namorados, reparo que na maioria das vezes eles estão praticando o versículo literalmente, e isso ao invés de unir, tem os separado cada vez mais.

Uma das grandes crises dos casais é que eles estão tratando os outros da maneira com que querem ser tratados, e é este pensamento que tem criado as grandes divergências nos relacionamentos, pois o texto, mesmo não parecendo, fala exatamente o contrário.

Não sei se é a regra, mas geralmente quando algum rapaz vem se queixar de seu namoro, eles se queixam que a namorada não dá espaço para ele, não deixa sair com os amigos e ter seu próprio tempo sozinho. Do outro lado, quando elas vem falar comigo, vejo que a grande reclamação é contrária, que eles não dão atenção para elas, não ligam para as sua vidas e não querem passar muito tempo com elas.

A grande crise que eu tinha é que ao perguntar como um deles tratava o outro, eles respondiam que gostavam muito um do outro, e que faziam para o outro o que gostariam que o outro fizesse para eles.

Hoje, para o espanto deles, eu falo que o que eles estão fazendo não é Bíblico e sim uma atitude egoísta, pois para entendermos o versículo não podemos interpretá-lo literalmente, e sim o espírito da lei.


Quando tratamos o outro da maneira que gostaríamos de ser tratado, partimos da premissa que todos são iguais e querem ser tratados do mesmo jeito, e isso não é verdade. Somos diferentes um dos outros, principalmente o homem da mulher. O versículo não esta falando da maneira, e sim do principio do tratamento, o amor.

Cada um sente (ou sabe) em si mesmo o que falta para ser completo pelo outro. Que não adianta chegar muito perto do outro, sendo que o outro precisa é de espaço, ou me afastar, já que o que a outra pessoa precisa é de proximidade.

Temos que tratar os outros de maneira a completá-los, assim como gostaríamos de ser completos pelo outro.

Em um primeiro momento, vamos fazer não o que nos queremos e sim o que o outro quer e precisa. Isso requer muita humildade e abstinência de sua vontade. Mas, em um segundo momento, com o tempo, você começa a colher o fruto de uma pessoa que está completa em você e que abre mão de sua vontade para satisfazê-lo(a) da maneira que você espera.

O homem e a mulher não pensam e se comportam de maneira igual e é por isso que quando ele a trata da maneira que ele gostaria de ser tratado e não da maneira que ela gostaria, ela vai se abrir com uma amiga que a apóia, porque elas pensam de forma igual. E da mesma maneira acontece com os homens.

Muitas vezes amar é abrir mão da sua vontade, para fazer o outro feliz. Tem uma música do Djavan que fala “vem me fazer feliz porque eu te amo…”. Como diria minha namorada: este cara não sabe direito o que é o amor, pois se soubesse falaria “vou te fazer feliz porque eu te amo!” Então o que é o espírito de fazer ao próximo o que você gostaria que fizesse com você: Amar o próximo de tal forma que a pessoa se sinta completa assim como você quer ser completado.

Texto feito para o Blog “marcos botelho do JV” 22/11/07

  1. Maravilhoso seu texto Marcos, creio que Deus o usou para falar muito comigo, já é a segunda vez que o leio, e medito sobre a força dessas palavras. Louvo a Deus porque Ele criou pessoas incríveis como vc, instrumentos grandemente usados nas mãos Dele.Abraços. Karina Sant´Ana

  2. Maravilhoso texto, me esclareceu grandemente.Ô Marcos, se eu lhe passar meu e-mail será que a gente pode trocar umas idéias?rebeccapipoc@hotmail.comUm abraço!

  3. é aquele velho lema daquele curso casados para sempre, quando perguntam o porque você vai casar a maioria fala "para ser feliz" o curso ensina que: "vou me casar para fazer a minha esposa feliz ou vice e versa". esse é o segredo não só para relacionamento conjugal como para tudo na vida, e como é duro viver hein…..abraços Beto – Cid.Tiradentes Z.L

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>