Cartoon de Elaine Mazlish

AO INVÉS DE PRESTAR ATENÇÃO MAIS OU MENOS…

Entre os direitos preconizados pela Convenção dos Direitos da Criança de 1999, está o “direito de se expressar livremente” que só pode ser garantido para aquelas crianças que convivem com pessoas dispostas a ouvi-las.  Ouvir uma criança, no entanto, não é tarefa tão simples como parece, especialmente para nós, pais e mães acometidos pela síndrome moderna do déficit de atenção por excesso de afazeres (*).

Adele Faber é norte americana,  especialista em comunicação entre adultos e crianças e escritora de vários livros dedicados à educação de filhos sendo ela mesma mãe de três. É conhecida pela frase “Eu fui uma excelente mãe antes de ter meus filhos.” No seu livro “How to talk, so kids will listen, and listen so kids will talk”, ela nos revela várias dicas para melhorarmos nossa escuta e consequentemente o clima em nossos lares.

Continue lendo →

Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos. Mateus 11:25

Publicamos aqui algumas falas e feitos de crianças e adolescentes que circulam na Rede Mãos Dadas. São histórias que nos animam a continuar nesta causa. Cada relato revela uma virtude do Reino de Deus, um reino vindouro no qual o leão andará com o cordeiro, e uma criancinha os guiará! (Isaías 11.6)

Acolhimento, hospitalidade — “No ano passado foi solicitado a nossa instituição, Associação Refúgio, que recebesse um menino recém-nascido que tinha sido vítima de violência
brutal por parte dos pais. O menino tinha sido encontrado todo mordido e desfigurado. Naquela mesma noite, fui até a casa-lar e antes de dar a notícia me sentei com todas as meninas e a mãe social. Conversei com elas sobre maus-tratos e bons tratos e juntos construímos um painel de ações que considerávamos maus-tratos e ações que fazem parte do bom tratamento que devemos ter especialmente para com crianças e adolescentes. Foi bom demais aquele tempo juntos! No final disse que a casa ia receber um bebê de apenas 45 dias. Você precisava ver a alegria das nossas meninas! Começaram a fazer mil perguntas, os olhos brilhavam, os sorrisos eram escancarados. Então contei a elas o caso. Aquelas meninas foram um bálsamo para o bebê e ele, por sua vez, proporcionou restauração para aquela casa. Uma convivência terapêutica aconteceu ali.” Carlos Más, Associação Refugio, Sorocaba, SP. Continue lendo →

Perguntamos a educadores sociais envolvidos em projetos espalhados pelo Brasil, que experiências eles queriam guardar e transportar para 2013 como lições aprendidas. Aqui estão suas respostas:

Eu levo sempre comigo o versículo “Diga-lhes : Juro pela minha vida, palavra do Soberano, o Senhor, que não tenho prazer na morte dos ímpios, antes tenho prazer em que eles se desviem dos seus caminhos e vivam.” Virgílio Vieira dos Santos, líder de trabalho de rua, evangelista e coordenador do JEAME. São Paulo, SP.

Foto de James Gilbert 2010

Levo para 2013…

Mesmo que eu pense que eu não sou capaz o senhor está me mostrando que sou muito mais do que imaginava. Cleide Alabarce da Silva, arte – educadora do Ministério Programa Criança Feliz. Rio de Janeiro, RJ.

O que me faz continuar, são que as pessoas que participam do nosso projeto sabem reconhecer o nosso trabalho de uma  forma gratificante, e Deus é quem proporciona tudo que acontece. Nilma de Fátima Barbosa de Carvalho Muniz, secretária dos projetos Nova Pousada. Sabinópolis, MG.

Durante esse ano, tive muita vontade de largar a profissão, mas fui motivada por meus pacientes para continuar com meu trabalho, pois eles conseguiram perceber que não era o momento para continuar sozinhos com seus problemas. Maria das Graças de Paula Graciano, psicóloga. Belo Horizonte, MG.

Somos a referência de vida das crianças do meu projeto, isso nos faz querer continuar a nossa caminhada, pois somos os espelhos delas. Viviene Morais de Souza, educadora. Goiânia, GO.

Nunca esquecerei que esse ano comecei a dedicar a minha vida para cuidar de um pequeno ser (Ana Lídia) e todos os dias posso erguer as mãos aos céus e dizer: Sem Ti nada realizarei nem aprendizado terei! Rogério Alves de Carvalho, pastor e enfermeiro. Anápolis, GO.  Continue lendo →

A última foto a ser escolhida pelo fotógrafo missionário James Gilbert para o ano de 2012 é esta aqui. Trata-se de um detalhe do Coral Encanto, coral de 40 vozes do Projeto Construindo a Sonoridade do Instituto Sublime Tarefa, em Jequié, BA. Por que ele a escolheu? O fato é que a criança desde muito cedo está atenta ao seu contexto e dela retira muitas informações que orientam suas ações e reações. O olhar desta criança demonstra a curiosidade, a esperteza e abertura para o mundo que a rodeia!

Coral Encanto, Instituto Sublime Tarefa, Jequié, BA

Você olha para mim, eu olho para o mundo!

http://www.dreamstime.com/smiling-boy-free-stock-photo-imagefree174955

http://www.dreamstime.com/smiling-boy-free-stock-photo-imagefree174955Walter Wangerin Jr., pastor luterano, professor na Universidade Valparaíso e escritor de algumas dezenas de livros dos quais pelo menos uma dúzia são histórias para crianças, nos conta numa pequena obra, “Little Lamb, Who Made Thee?”, sobre sua primeira crise espiritual.

“Não me lembro agora como tudo começou, mas eu era jovem suficiente para rastejar debaixo de bancos da igreja, pequeno o suficiente para ser puxado de volta pela minha mãe com uma só mão, mas com idade suficiente para desejar ver Jesus. Eu queria ver Jesus com os meus próprios olhos. Ah, mas eu era também criança o suficiente para admitir que eu nunca tinha visto realmente meu Salvador cara-a-cara. Nunca.” Continue lendo →

Três opções de programa: (1) com Papai Noel, (2) sem o velhinho mas com com as suas promessas, (3) sem Papai Noel. Estas eram as opções no fim de semana dos dias 30 de novembro e 01 de dezembro deste ano para os moradores de Jequié, BA.

Eu estava lá a convite de Endres Netto Barros, diretor executivo de uma ONG recém-formada, o Instituto Sublime Tarefa.

Grande foi volume das vozes das crianças!

Este projeto conduziu atividades de musicalização infantil com 40 crianças de 6 a 12 anos de um bairro periférico da cidade—conhecido  como Km 2 e Km 3 na BR 116—durante todo o ano de 2012, e queria celebrar o seu primeiro aniversário.

No hotel localizado no centro da praça, eu tentava dar os toques finais à minha palestra que seria pronunciada logo após a apresentação da primeira cantata do Coral Encanto, coral formado pelas 40 crianças do projeto Sublime Tarefa. Revia o que eu queria dizer sobre a criança para o povo de Deus daquela cidade, quando ouvi um outro convite pelo auto-falante de um palco montado na praça. “Papai Noel estará na praça de Jequié, logo mais às 19:00. Venham prestigiar…” À voz do locutor se seguiu a tradicional música instrumental “Jingle Bells” e alguns fogos de artifício meio tímidos. Continue lendo →

Apresentamos aqui a foto número 3 da série “As 5 melhores de 2012”. Flávia Calazans tem 16 anos, mora em Viçosa, MG na companhia de sua avó, tia, cinco irmãos e cinco primos. Ao todo são 11 pessoas na casa com idades que variam de 4 a 60 anos!

Flávia participou de um trabalho realizado pelo James sobre “Vida Abundante” no qual ela disse o que pensava ser a vida plena prometida por Jesus, o nosso Bom Pastor. Depois de declarar que acredita que vida plena é uma vida cercada por amigos, cheia de alegria, carinho, e outros benefícios oriundos de bons relacionamentos, ela refletiu sobre o que pode roubar essa plenitude de nós:

“O ladrão (da vida plena) vai oferecer as coisas que você sempre quis, por exemplo, um computador. Um cara te oferece 20,00 reais, você sabe que é roubado, mas fica com ele porque sempre quis ter um computador.” Depois ela mesma fez uma conexão entre esta ganância por ter coisas e as tentações relativas ao ser belo. “Beleza tem a ver com inveja. Tem uma menina bonita, aí você quer ser igual a ela. Você vê a maquiagem dela e quase queima ela com o olho de tanto querer ser igual à menina.”

É impressionante como nós adultos nos esquecemos do quanto foi difícil nos descobrirmos como adolescentes diante de um mundo mal, dominado pela competição, pela luta pela autoafirmação e permeado pela nossa própria insegurança. Que bom que a Flávia já percebeu que o ter coisas e o ser belo não carregam em si a essência de uma vida plena ao lado do Bom Pastor!

Flávia, Rebusca 2012

Nem beleza, nem as coisas, nos garantem uma vida plena!

 

Pedimos ao missionário fotógrafo, James Gilbert, para nos enviar cinco fotos que representassem o seu ano de trabalho. Aqui está a segunda. Márcia, moradora do bairro Nova Viçosa, localizado na periferia de Viçosa, MG, se orgulha de ser uma mãe cuidadosa e sonhadora. Quando criança não lhe foi permitido estudar. Quer que o futuro de suas duas filhas seja muito diferente e por isto aposta na educação. Quando esta foto foi tirada, Márcia estava cuidando de várias crianças para outras mães poderem ir trabalhar nas lavouras de café. Seu pequeno barraco não tinha energia elétrica, água ou esgoto, mas tinha limpeza, organização e muita dedicação. Sua determinação parte de um plano para o futuro, parte de alguém que fez uma opção por dias melhores. Isto transforma cada momento presente em oportunidade, e faz com que os seus dias sejam cheios de propósito e significado.

Mãe e filha participam do PIMC, programa da Rebusca, Viiçosa, MG.

Hora da tarefa é algo sagrado!