MD28 Pag 20dPor Petrúcia de Melo Andrade

Defendemos uma segurança pública que de fato promova a segurança da população, mas os dados e os fatos apontam para outra realidade. Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança publica – 2015, os jovens negros e pobres são as principais vitimas, estão em situação de maior vulnerabilidade a violência, somos o quarto pais que mais mata no mundo temos a terceira população carcerária do mundo com mais de 715 mil pessoas e 400 mil mandatos à cumprir, 70% dos policiais fazem segurança patrimonial. Parece justo “punir e eliminar o mal”. Mas, nascer num país cheio de desigualdades, onde a segurança pública não contemplam crianças e adolescentes nem a comunidade em geral é justo?

Na politica pública do passado, a infância estava em situação irregular em relação ao Estado. Hoje é o ESTADO que se encontra em situação irregular em relação a criança e ao adolescente, porque negligencia seus direitos básicos. Continue lendo →

 O Ariovaldo Ramos também vai orar conosco pelas crianças!

Assista o vídeo!

Cristãos em todo o mundo se unirão para orar por crianças e adolescentes em vulnerabilidade social no 20º Mutirão Mundial de Oração (MMO), que acontecerá na primeira semana de junho (5 a 7). A campanha deste ano tem como tema “Jesus presente da infância de todas as crianças”, com base na passagem bíblica do evangelho de Mateus 28.20: “E lembrem-se disto: eu estou com vocês todos os dias até o fim dos tempos”.

 

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Este vídeo nos remete ao tema do Mutirão Mundial de Oração deste ano, “Jesus presente na infância de cada criança”. Participe!

segundas-1024x231

Por June Ribeiro

Nati está se formando em Psicologia. Atualmente, ela mora sozinha, mas dos 3 anos em diante até sair para cursar a Faculdade morou com a sua avó, uma senhora simples, gorducha e amorosa. Sua mãe “morreu matada” quando ela ainda era pequena. Somente anos mais tarde foi que ela soube que o pai que ela nunca vira havia atirado na mãe.

Jesus e a Velhinha

Eu estou aqui, eu amo você!

Em seus primeiros dias na escola, ainda na Educação Infantil, ela se sentia um pouco estranha, pois suas roupas e materiais eram diferentes dos demais. A maioria deles muito simples comprados em lojas de artigos importados, destas de R$1,99. Outros lhes foram doados pela patroa da avó, após terem sido usados pelos filhos delas. No dia do brinquedo,  Nati geralmente não levava nenhum e muitas vezes ficava sem brincar. No dia das mães e também no dia dos pais e em todos os outros dias, era sempre a vovó quem comparecia, quando a patroa liberava. Chegava discretamente, vestida com o seu uniforme de cozinheira. Pedia licença, cumprimentava a professora, sorria para Nati e dizia no ouvido dela: – Eu estou aqui, eu amo você.  Aquele sorriso suave e aquelas frases tinham um efeito de chocolate quente em dias de muito frio.

Os anos foram passando e, enquanto não aprendia a ler e a escrever, Nati tinha que prestar ainda mais atenção a tudo o que era dito na sala. Como vovó era analfabeta, ela não podia ler os bilhetes e nem ajudar nos deveres de casa. Foram muitas as vezes em que Nati  levou uma anotação negativa por não ter cumprido alguma tarefa. Às vezes ela achava que os colegas estavam rindo dela, principalmente quando a vovó era chamada na escola. Ela sempre aparecia com aquele avental e com aquele sorriso e nunca saia sem antes repetir: – Eu estou aqui, eu amo você!

Nati sempre quis ter uma família grande com pai, mãe e irmãos. Queria ter gente por perto, quando chegasse da escola e queria ter um irmão para brigar, como as demais crianças. Na adolescência, quando menstruou pela primeira vez, sentiu muito medo e achou que estava morrendo. Às vezes, ela chorava quietinha abafando as lágrimas com o travesseiro e, quando menos esperava, uma mão gordinha acariciava seus cabelos e uma voz quentinha repetia: -Eu estou aqui, eu amo você. Continue lendo →

quintasPor Gisele Reikdal Kallaur

A violência sexual é um problema real no Brasil. Em 2014 o Disque 100 recebeu 91.342 denúncias de violação de direitos, destes 25% são relacionados a violência sexual. Segundo o mapeamento da Polícia Federal de 2013/2014, há 1.969 pontos vulneráveis nas rodovias; 56% críticos destes são direcionados à prática de exploração sexual.

É preciso dizer também que a criança é o elo mais fraco desta cadeia ímpia. Na última segunda-feira, dia 18, a sociedade relembrou o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A pergunta que fazemos é: o que estamos fazendo, como cristãos, diante deste desafio tão complexo e que aflige milhares de crianças em nosso país?

Bola na Rede

Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

A RENAS/Bola na Rede tem mobilizado organizações, igrejas e redes locais para o enfrentamento do abuso e da violência contra crianças e adolescentes. Vários grupos em diferentes cidades se mobilizaram e foram para as ruas pedir proteção para as crianças nos últimos dias. É encorajador ver um grupo tão diverso, unido em prol de uma causa. Sim, somos um em Cristo. Fortalecidos em seu amor, podemos fazer grandes coisas para a Glória d’Ele. Continue lendo →

segundas-1024x231Por June Ribeiro

Numa linguagem simples e direta, esta expressão traduz como  Jesus responde à pergunta de seus discípulos acerca da Sua volta.

O diálogo inicia em Mateus 24 e prossegue até o 26, onde podemos perceber que a “última Páscoa” estava bem próxima e estes eram, portanto, os últimos dias do Seu ministério terreno.

mother and daughter

Fiquem atentos, enquanto esperam a minha volta!

Fiquem atentos, enquanto esperam a minha volta! Fiquem atentos aos desabrigados, aos abandonados, aos encarcerados para que sejam   ministrados em suas necessidades. Fiquem atentos, pois eu não poderei mais abraçar e acolher essas pessoas se não for através de vocês.

Há muito busco perceber como alguns vestígios da Graça Divina, bem como da Queda Humana se manifestam em textos e outras obras de Arte que atravessam séculos e gerações. De que forma o clássico Mogli, o menino lobo nos fala sobre a presença de Jesus?

A história começa quando o acampamento onde estavam os pais do menino foi atacado por um tigre e ele, ainda pequenininho, tem de virar sozinho na selva hostil. Não fosse pelo cenário, o leitor iria concluir que eu estivesse falando de nossos meninos e meninas da vida real que lutam para sobreviver ao distanciamento familiar, à miséria, às catástrofes, ao abandono.

Mogli foi encontrado por um lobo que, contrariando a todas as expectativas e instintos, juntamente com a sua matilha o acolhe e educa tornando-se a sua família.  O enredo fictício e improvável é um espelho da Graça real e abundante, refletindo o que Cristo fez por nós e que devemos continuar fazendo de forma a tornar vívida a Sua presença neste planeta e pelos quatro cantos do  Brasil. Continue lendo →

Foto com título 2015

Mutirão Mundial de Oração 2015

20º Mutirão Mundial de Oração pelas Crianças e Adolescentes Socialmente Vulneráveis, está chegando e você e sua igreja não podem ficar de fora deste momento tão importante. Contamos com sua participação!

Visite nosso site e baixe o material de apoio disponível. Lá você encontrará o cartaz, o guia de oração, um power point com fotos e motivos de oração.

O tema este ano é “Jesus presente na infância de cada criança”.

Ore conosco em casa, no trabalho, nas escolas, nas igrejas, nos projetos sociais, nos centros comunitários, nos hospitais, nas ruas, nas praças, nos vilarejos, nas redes sociais, em todo lugar!

Peça a Jesus que se faça presente como protetor, defensor, provedor, consolador, braço forte, das crianças que sofrem maus tratos, violência e todo tipo de adversidade ao redor do mundo. Empreste seus pés, suas mãos para Jesus. Seja, você mesmo, uma resposta às suas orações!

Participe conosco. Obtenha informações, dados sobre as crianças no mundo, histórias e ideias para realizar o seu evento.

Baixe o material de apoio AQUI!

Participe das 40 Horas de Oração no Facebook, (Clique aqui!)

11011549_1078887358793170_265671739017221501_nO combate à exploração sexual de crianças e adolescentes passa, antes de tudo, pela necessidade de reconhecimento do problema, avaliam especialistas ouvidos pela Agência Brasil. Com a chegada de centenas de trabalhadores a cidades que recebem grandes obras e empreendimentos, os casos de violação se tornam mais frequentes e complexos, mas precisam ganhar visibilidade para ser enfrentados.

Na região metropolitana de Fortaleza, o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), localizado em São Gonçalo do Amarante, vem crescendo com a construção, nos últimos anos, da Usina Termelétrica Energia Pecém e da Companhia Siderúrgica do Pecém. Com as obras, as cidades do entorno (além de São Gonçalo do Amarante, Caucaia e Paracuru) assistem à chegada de novos moradores (funcionários das empresas do complexo, muitos oriundos de outros estados) e o fenômeno da exploração começa a ficar mais evidente.

“Uma questão muito difícil é a da cultura que pensa a exploração sexual como algo normal, rentável e, por isso, aceitável, como se não fosse uma violência. As famílias, às vezes, deparam com os trabalhadores da área ‘namorando’ suas filhas e não percebem algumas relações de violência sexual que se dão nesse processo ou, se percebem, não pensam em como denunciar”, relata o articulador institucional da Associação Barraca da Amizade, Marcos Levi Nunes.

Continue lendo no portal da Ultimato (AQUI!)

Por Klênia César Fassoni

Minha mãe nos vestiu com uma roupa especial naquela tarde, embora não fosse dia de festa. Havia excitação na sua voz, que nos convocou: “Vamos, rápido! Levaremos vocês até Jesus de Nazaré”. Meu irmãozinho mamava ao peito enquanto ela distribuía ordens e providências. O irmão mais velho aguardava solene à porta. Ele ouvira na sinagoga que os líderes religiosos, preocupados com o crescente número dos seguidores de Jesus, começaram a persegui-lo. Meus pais se incluíam no grupo que acreditava que Jesus era o Messias e, juntamente com outras famílias, resolveram levar seus filhos para serem abençoados por ele.

James Gilbert

Certamente que, o abraço de Jesus me seguirá todos os dias da minha vida!

Animados e agitados, chegamos ao canto da praça onde Jesus estava. Havia muitas crianças, algumas das quais eu conhecia da vizinhança. Jesus, sentado em meio aos adultos, falava de assuntos sérios. Quando os pais levaram seus filhos para mais perto dele, escutamos vozes exaltadas. Um dos discípulos, com voz de trovão, falava e gesticulava, reclamando da algazarra que as crianças faziam.

Uma família resolveu sair, seguida por outras. Minha mãe, com o semblante triste, me explicou o que estava acontecendo; os discípulos estavam nos mandando embora: “Vão embora, levem seus filhos para casa. Não importunem o mestre”. Quando as crianças, decepcionadas, começaram a desfazer a roda, ouvimos Jesus dizer: “Fiquem, não se vão!”. A seguir ele censurou energicamente seus discípulos, o que nos deixou surpresos. Mas o que ele falou depois me pareceu ainda mais estranho aquele dia… Continue lendo →

bola_rede_mmo_liturgias

Participe!

Um mês pelas crianças e adolescentes
Com sugestões de como trabalhar o tema com crianças e com adolescentes!

São 5 liturgias para ajudar a sua igreja a destacar o relacionamento de Deus com a criança e o adolescente! Escolha uma, duas ou realize as cinco liturgias! Mãos à obra!

Liturgia para igreja, pequenos grupos e projetos sociais

O Bola na Rede preparou este material para que sua igreja – e seus diversos grupos – dedique um mês para pensar e refletir sobre a proteção e segurança das crianças e adolescentes do seu bairro, da sua cidade, do nosso país. A reflexão começou no domingo, dia 10 de maio, uma semana antes do 18 de Maio, o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, e será encerrada no dia 7 de junho, o último dia do 20º Mutirão Mundial de Oração por Crianças e Adolescentes em Situação de Vulnerabilidade.

Essas duas ações integram a Campanha “Bola na Rede: um gol pelos direitos de crianças e adolescentes”, que agora inicia a Fase 2, rumo aos jogos olímpicos no Rio de Janeiro e um ousado projeto de intervenção social em Fortaleza. Nós não queremos que os motores se esfriem, por isso sugerimos um mês de atividades. Mas, se sua perna está curta, escolha algumas ações e faça um bom trabalho em uma das semanas!

Baixe as Liturgias para o mês todo (AQUI!)
Baixe o Guia de Oração 2015 (AQUI!)

segundasPor June Ribeiro

“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel”, que significa “Deus conosco”. Deus prometeu em Isaías 7:14 e cumpriu em tempo oportuno. Jesus veio ao mundo para cumprir um ato sacrificial e este já seria suficiente para a nossa salvação. Mas a profecia também revela o extraordinário: Ele veio compartilhar da experiência humana, não apenas das belas e prazerosas, mas esteve perto e nos deixou um modelo de sensibilidade e presença efetiva nas piores dores e mazelas.

Quando nós, educadores e pastores enfrentamos o desafios de conviver com barriguinhas vazias e olhares famintos, podemos olhar para o exemplo que Cristo nos deixou. Não apenas nas Suas Palavras, mas nos Seus atos de amor.

2011.04.07_Rebusca_retratos_Viçosa_D700-2564A primeira vez que uma criança se alimenta é através do cordão umbilical, de onde recebe os nutrientes necessários à sua formação e desenvolvimento. Ao nascer, se alimenta do leite materno e estas duas formas do ser humano se alimentar foram maravilhosamente planejadas por Aquele que nos criou. Ambas pressupõem o envolvimento, a presença do outro pois, tanto na vida intrauterina, quanto no aleitamento, a criança “come” daquilo que foi produzido no e pelo corpo da mãe. Continue lendo →