Há 23 anos o Mutirão Mundial de Oração convoca cristãos por todo o mundo para orar especificamente pelas crianças e adolescentes mais vulneráveis. Se você tem menos de 41 anos, podemos dizer que nós oramos por você! O que Deus fez na sua vida? Como você chegou até aqui? Consegue ver os movimentos da graça do Senhor no seu caminho? Convidamos você para seguir uma trilha de oração que terá seis paradas, uma por dia. Nesta trilha, seguiremos o Salmo 100 e esperamos que você reconheça o que Deus já fez na geração passada, veja o que ele está fazendo nesta geração e entregue  com inteira confiança, as gerações futuras nas mãos do Criador.

0
0
0
______________________________________________
 Participe do  Mutirão Mundial de Oração 2018clique aqui!

Fidelidade de Geração em Geração” é o tema do 23º Mutirão Mundial de Oração pelas Crianças e Adolescentes Socialmente Vulneráveis. Sua igreja já baixou o Guia da Campanha? Não fique de fora, participe conosco!

Confira o que elaboramos para você e as crianças do seu convívio. Nele você encontrará:

  • Lembretes bíblicos e dados sobre a infância;
  • Um estudo bíblico para adultos sobre a fidelidade de Deus para conosco;
  • Uma dinâmica para crianças;
  • História de oração para lhe inspirar a mobilizar muitos a interceder pelas crianças do mundo.
  • E muito mais… baixe agora e confira!

____________________________________________

Baixe o Guia de Oração (Clique aqui!)

 Participe do Mutirão Mundial de Oração 2018clique aqui!

A “Campanha Faça Bonito” é uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes.

Anualmente a Campanha tem um dia Nacional de mobilização, o dia 18 de Maio. Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

Nos 18 anos de mobilização a campanha já alcançou muitos municípios do nosso país. A proposta é mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes.Hoje 18 de Maio é o Dia Nacional de Combate à Exploração e Abuso Sexual Infantil no Brasil.

Por isto hoje o Espaço de Proteção, realizou uma Live ao vivo no facebook orientando melhor como proceder em situações de abuso e exploração de crianças e adolescentes.

Dia 18 de maio é o Dia Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. De acordo com dados da Ouvidora do Ministério dos Direitos Humanos, as violações dos direitos de crianças e adolescentes somam mais da metade de todas as denúncias feitas nos canais da ouvidoria, em 2017.

Das mais de 140 mil denúncias registradas pela ouvidoria, quase 59% deles são de negligência e violências física, psicológica e sexual contra crianças e adolescentes. Foram mais de 84 mil denúncias: um aumento de 10% em relação a 2016.

Para prevenir e diminuir a ocorrência desses casos é importante a conscientização da família e o papel dos conselhos tutelares. E as igrejas, como elas podem ajudar nesse enfretamento pela proteção da infância e da adolescência?

Organizações cristãs, como a Rede Mãos Dadas, Visão Mundial e Claves Brasil, que trabalham nessa área, oferecem dicas de materiais e sugestões de atividades para pessoas e igrejas que queiram se engajar nessa causa. Confira.

Dicas da Rede Mãos Dadas para colocar em prática o “18 de Maio”.

Que tal fazer uma roda de conversa com adolescentes em escolas, cursinhos, reuniões de bairro ou até mesmo em sua casa? Você pode utilizar o material da campanha Faça Bonito e divulgar os conceitos de proteção, escuta e denúncia. Baixe aqui

Sessões de filmes sobre a temática. “O lenhador” é uma boa opção para reunir amigos e familiares a refletirem sobre o assunto.

Capacitar adolescentes para a vacinação simbólica “Um trato pelos bons tratos”, método amplamente utilizado na campanha Bola na Rede – RENAS e que provou ser uma poderosa ferramenta de conscientização. Saiba mais

Realizar oficinas com crianças através de metodologias que incentivem a exposição do tema. Nosso parceiro, CLAVES, possui a metodologia “Brincando nos Fortalecemos para Enfrentar Situações Difíceis” que ensinam crianças através de músicas e histórias.

Leia o artigo completo no portal da Ultimato (clique aqui!)

Que tal além de orar, interagir com as crianças do mundo?

 Por Elsie Gilbert
 0

Crianças orando por crianças

O Intercâmbio de Oração pelas Crianças é uma iniciativa da Rede Mãos Dadas que tem como objetivo gerar interação entre crianças de várias partes do Brasil. Este ano, faremos mais, tentaremos mobilizar também crianças de outros países de fala portuguesa como Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe. A ideia é muito simples: você grava no celular um pequeno vídeo com pedidos de oração do seu grupo de crianças. Estes pedidos serão transmitidos para um grupo em um outro lugar. Aquele, por sua vez, fará o mesmo. Assim, na semana do Mutirão Mundial de Oração você levará o seu grupo a interceder pelos pedidos das crianças do outro lado.

Veja um depoimento sobre uma participante do ano passado:

“Os meninos ficaram bem ansiosos para ver o vídeo das outras crianças — crianças da Bahia. Mesmo sem conhecer eles oraram por elas! Antes, ficavam com vergonha de orar e depois que viram os vídeos de outras pessoas orando e fazendo pedidos, foi que se soltaram mais! Hoje em dia é uma guerra quando pergunto: quem vai orar”? Camila Silva Navarro, Alagoas.

“Participamos no ano passado com vocês. Para nossas crianças que gravaram um vídeo, que foi em seguida enviado para vocês, tenho certeza que foi uma experiência com Deus maravilhosa e rica. Nossas crianças orando em prol de outras. Será uma benção este ano”. Gersonita Cardoso, Pará.

“Nossa experiência foi muito legal. Na organização social em que atuo, Rebusca, fizemos algumas sugestões de atividades ao longo da semana. Cada dia orávamos uma parte do Pai Nosso. Quando dividimos em grupos, foi muito legal ver algumas crianças tomando a iniciativa e liderando seus grupos para fazerem as orações. Os vídeos também foram um ponto alto! Elas adoraram assistir e orar pelas outras crianças”.

Para participar, faça sua inscrição aqui! Assim poderemos enviar já as informações do outro grupo com quem vocês trocarão informações.

________________________________________________________

Participe do 23° Mutirão Mundial de Oração, (Clique aqui!)

Para baixar o Guia de Oração, (Clique aqui!)

Participe do nosso sorteio relâmpago. É só por hoje.

Esta pergunta foi lançada pela revista Guideposts nas suas redes sociais em função do Dia das Mães, este ano. Gostamos da ideia e resolvemos copiá-la! Você pode responder esta pergunta aqui. Para incentivar você a entrar na brincadeira, neste dia que é seu, veja abaixo o prêmio que será sorteado para entre as mães que participarem!

Agora, veja as 7 respostas mais comuns das mães norte-americanas:

Pergunta: Imagine que seu filho ou filha está orando no quarto e você entra sem fazer nenhum barulho. Qual pedido de oração em seu favor, você gostaria que a criança estivesse fazendo?

 

Respostas:

1. Deus, ajuda a minha mãe a continuar sendo um exemplo para nós.

2. Senhor Jesus, dá paciência para a minha mãe. Eu sei que ela nos ama, mas de vez em quando ela perde a cabeça.

3. Jesus, mesmo quando a minha mãe faz as coisas erradas, me ajuda a ver que ela me ama.

4. Deus, dá à minha mãe a sabedoria para fazer o que o Senhor quer que ela faça, a força e a alegria na sua caminhada.

5. Senhor Jesus, obrigado pela minha mãezinha, e por favor, ajuda e minha mãe a descansar.

6. Deus, ajuda a minha mãe a te amar de todo coração, alma e mente.

7. Jesus, ajuda a minha mãe a ficar mais parecida com o Senhor.

Qual é o seu desejo? O que você quer que os seus filhos peçam à Deus para você?

Este ano, o Mutirão Mundial de Oração pelas Crianças mais Vulneráveis convida você a orar pelas gerações futuras e pedir a elas que orem com você a interceder pela geração presente. Orando, de geração em geração. Participe!

 

Por Liz Valente

Tenho acolhido o fato de que me foi concedida a experiência materna. Essa concessão partiu de mãos divinas e passou por mãos médicas e caiu nos meus braços como quem abraça um travesseiro de estimação. Eu não sei ainda compreender toda a profundidade desse fato, mas já entendi que ser mãe é uma coisa que se instalou na minha identidade. Quem é você? Sou…

Acompanhe meu raciocínio, quando tirei carteira de motorista obtive um certificado. Eu então pude dirigir perante a lei. Nada mais. Quem sou eu? Nem toco no assunto de dirigir ou não… Quando graduei em arquitetura foi uma etapa concluída, um valor agregado ao meu arsenal de habilitações. Mestrado, idem. E assim, títulos parecem estar num nível distante da profundidade que é uma identidade. Maternidade não. Nove meses; zero preparo; não tive que passar testes ou provas, apenas esperei e acompanhei a transformação um tanto alienígena do meu corpo sendo invadido por outro serzinho que além de sugar meu oxigênio nasceu com uma caneta permanente na mão e escreveu na minha testa “mãe”.

Quando faço o caminho inverso e concluo que jamais não serei mãe, encolho.

Quem sou eu?

A espiritualidade cristã, a qual me embrulha, também fala de identidade, e, para o meu espanto, ela começa com um nascimento. “Filha”. Deus, em sua eterna bondade, permite-nos renascer para que tenhamos uma marca permanente, ‘nascidos’. O nascimento é o momento em que passamos a ser o que não éramos. Uma semente germinando e rompendo chão. A partir dele somos costurados à trindade com um laço familiar e irreversível. A partir de então “quem sou?” muda.

Leia o texto completo no portal da Ultimato (clique aqui!)

Apresentamos aqui uma declaração sobre o quê os parceiros da Rede Mãos Dadas acreditam em relação a família como direito básico de todo ser humano.

1. A fé cristã está calcada num conceito teológico de família com tal profundidade que a Trindade se revela a nós por meio dele: um Pai que envia seu Filho para reconciliar e acolher a humanidade como filhos e filhas adotivos. Sendo assim, todos nós cristãos concordamos com o artigo 226 da Constituição que diz: “A família é a base da sociedade.”

2. Acreditamos que a escolha humana de se afastar do seu Criador exerceu e exerce um impacto negativo tremendo sobre nossos relacionamentos em família, de forma que não há família perfeita, mas sim família restaurada, ou melhor, em processo de restauração, pelo trabalho transformacional de Deus em nós. Sendo assim, o Antigo Testamento defende incansavelmente aqueles que se encontram mais vulneráveis no seio familiar: “Pai de ÓRFÃOS e juiz de viúvas é Deus, no seu lugar santo. Deus faz que o solitário viva em FAMÍLIA; liberta aqueles que estão presos em grilhões; mas os rebeldes habitam em terra seca.” (Sl 68.5,6) O Novo Testamento reforça o tema: Jesus se coloca como nosso irmão mais velho, a igreja se torna uma comunidade de família alternativa, a igreja primitiva se organiza para atender às necessidades das viúvas e dos órfãos, os apóstolos se dedicam na pastoral orientando os primeiros cristãos a como conduzir suas famílias. “Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel. (I Tm 5.8) Continue lendo →

Garimpando nos grupos de WhatsApp

Participo no WhatsApp de vários grupos formado por pessoas envolvidas na causa da criança e do adolescente de vários lugares do Brasil. Recebo, por este meio, várias informações importantes. Por que não reunir em um só lugar o melhor de cada semana? Entra em cena a Isabela Matta, caloura de jornalismo da Universidade Federal de Viçosa. Ela topou o desafio criar o nosso clipping semanal com dicas, notícias e seus links para você, nosso leitor. Pretendemos fazer isto toda segunda-feira. Confira:

Pobreza extrema aumenta 11% e atinge 14,8 milhões de pessoas

Mesmo com a expectativa de que os números diminuíssem, os indicadores de pobreza cresceram em todo o país. A diminuição de postos de carteira assinada e o aumento de trabalhos informais seriam causas por trás do novo índice, segundo economista da LCA (Letra de Crédito do Agronegócio).  Veja mais aqui.

 

 

 

Ubuntu

O escritor e palestrante Thiago Rodrigo reflete sobre uma palavra do vocabulário de uma tribo africana: ubuntu, que representa a compaixão, união, empatia e amor ao próximo, expondo características de Jesus Cristo combinam com este termo: ubuntu. Veja mais aqui.

 

 

 

Diagnóstico da Infância e Juventude de Curitiba 

O site do Diagnóstico da Infância e Juventude de Curitiba entra no ar e entrega para a sociedade curitibana uma quantidade impressionante de dados relevantes para a busca de soluções para os problemas vividos naquela cidade. Um esforço digno de nota que contou com o envolvimento muito próximo de dois parceiros da Rede Mãos Dadas: Patrick Reason e Maurício Cunha.

Veja mais aqui

Na semana que vem, tem mais!

 

Por James Gilbert

“As crianças desta geração, são convidadas a entrar pelas portas para uma cidade protegida (…)”

INTRODUÇÃO
Você consegue imaginar a Deus como um deus infiel? Como seria para nós ter um deus infiel? Não poderíamos confiar nele porque suas promessas não significariam nada. Seus decretos e alianças seriam inúteis porque estaríam sujeitos à mudanças sem notificação prévia. Se ele nos abençoasse, talvez desfrutássemos destas bençãos por algum tempo, mas não por muito tempo. Será que ele teria o poder de nos salvar? Não teríamos como saber. Seria o deus do caos. E este deus, com certeza não seria digno de louvor e honra. Ninguém chegaria até sua presença com alegria e júbilo.

Felizmente, o Criador, o Deus de Abraão, é fiel. O amor e a bondade de Deus só existe em toda a sua grandeza e profundidade por causa da sua fidelidade. E, embora fidelidade seja o ingrediente mais fundamental em qualquer relacionamento, no mundo de hoje em constante mudança, não esperamos que durem muito. Mas o SENHOR não muda, ele não abre mão da seu caráter. Ele é fiel. Continue lendo →