Foto_capa_cartilhaEstá disponível no site da Rede Mãos Dadas o documento que foi preparado por iniciativa do Movimento Juntos com a Infância e a Juventude (MJNJ) com o propósito de proporcionar às igrejas, instituições teológicas, organizações cristãs e líderes eclesiais em geral, um recurso educativo para a reflexão bíblica, teológica e pastoral sobre o ministério com as meninas, meninos, adolescentes e jovens.

 

O processo que se seguiu para a redação da cartilha, procurou ser participativo e variado. Por mais de um ano, a Mesa de Bíblia e Teologia do MJNJ trabalhou em diferentes documentos que depois pôs em mãos de mais de 120 líderes de igrejas para que fosse discutido, corrigido e melhorado. Este texto é o resultado de um longo processo no qual participaram pastores e pastoras, teólogos e teólogas, docentes e outros líderes de diferentes igrejas do continente, entre adolescentes, jovens e adultos.

 

Para baixar a cartilha, clique aqui!

Wood swing in the green garden

“[…] graça sem exigir nada em troco.”

“Nos últimos dias de sua vida, na sua casa no norte da Flórida, minha avó tinha um balanço na varanda. Ela gostava de sentar e balançar enquanto cantarolava hinos antigos. Posso ainda vê-la lá, usando um lenço na cabeça, um detalhe da quimeoterapia em sua marcha ininterrupta. Quando eu, ainda jovem, a visitei, ela sempre me convidava para me sentar com ela no balanço. Ela dava um tapinha nas minhas pernas e dizia “Querida…”

Por toda a vida da minha avó — e não obstante a sua dor — sempre houve lugar para mim no seu balanço. Se eu fosse explicar graça, eu pintaria um quadro daquele balanço. Lá eu nunca tinha de me explicar ou me preocupar, não interessava o peso que por ventura estivesse carregando. O balanço na varanda–a presença de minha avó–compartilhava graça sem exigir nada em troco.”

 

Publicado originalmente: 

Sanctuary: Creating a Space for Grace in Your Life by Terry Hershey, e traduzido por Elsie Gilbert.

VotaçãoEm um tempo em que as crianças brasileiras têm tido seus direitos tão ameaçados, a igreja de Cristo tem a oportunidade de seguir o exemplo de Cristo, interrompendo suas atividades e valorizando a importância das crianças. A igreja pode escolher no próximo domingo, dia 04 de outubro, representantes responsáveis para cuidar e resguardar as crianças brasileiras. E assim, abrir o caminho para que elas cheguem até Jesus.

 

É essencial que a sociedade, especialmente a igreja, participe no processo de escolha dos candidatos e compareça no dia 4 de outubro nos locais de eleição do seu município ou Distrito Federal, para decidir quem assumirá a importante tarefa de garantir os direitos das crianças e dos adolescentes do nosso país.

 

Garantir os direitos das crianças e dos adolescentes depende de todos!

 

Participe e compartilhe em sua rede de relacionamento e sua igreja!

Por Tábata Mori

Foto: Valdir Steuernagel, colunista da revista Ultimato, fala sobre Teologia da Criança.

O 10º Encontro Nacional da RENAS começou ontem (24), às 14h, com a presença de pelo menos 200 pessoas de 15 estados brasileiros. O tema é “Seguir a Jesus: Ver, Sentir e Agir”. E nada mais propício para a abertura do evento do que a apresentação musical de dois grupos formados por crianças e adolescentes de 7 a 19 anos. São eles: o Projeto Guri, que cantou um misto das músicas do Tim Maia; e a Timbalata: música e sustentabilidade, que apresentou seu batuque em latas de tinta e galões plásticos.

Ver: na perspectiva da criança e no colo de Cristo
Em seguida, Valdir Steuernagel, pastor luterano, vice-presidente da diretoria nacional da Visão Mundial e colunista da revista Ultimato, abriu o primeiro bloco temático (vida plena para as crianças) discorrendo sobre como a criança é importante para a teologia. Segundo ele, “a Teologia da Criança nos faz olhar a realidade a partir da perspectiva dos pequenos. Quando a criança passa a ser protagonista, a agenda muda. Nós estamos em projetos que fazem isso: ajudam a igreja e as comunidades a revisitarem seu jeito de enxergar o mundo, a olhar para a realidade com os olhos da compaixão. De alguma maneira, Maria fez isso na educação de Jesus, quando o ajudou a ‘crescer em sabedoria, estatura e graça’”.

Ao falar da multiplicação dos pães e peixes em Marcos 6 e João 6, Valdir nos convidou a renunciar a lógica dos duzentos denários, pois Jesus quer nos levar a ver a lógica da bênção, a lógica do milagre. A solução é colocar Jesus no centro, caso contrário, só nos resta a lógica adultocêntrica. “Porém, com Jesus no centro, olhamos para Marcos 10.16, em que vemos o Jesus que dá um colo, colo que só ele tem. Se não deixarmos as crianças chegarem a Jesus, elas não vão ter vida plena. Porque as crianças só vão ter vida plena no colo de Jesus”, completa Valdir.
Continue lendo →

Participe do II Fórum Regional de Enfrentamento à Violência, Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes promovido pelo projeto do Salto do Peixe. O evento acontecerá no dia 03 de outrubro e contará com a presença de preletores que discutirão o assunto com a sociedade, para que haja conscientização. Montes Claros é a cidade escolhida por ser a sede do norte mineiro, tendo como missão de alcançar as 84 cidades desta região.
))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Para mais informações e inscrições, Ligue para (38) 9941-1701 / 9199-7670 / 9245-0549  ou acesse: http://circuitogospel.com/saltodopeixe/
 ))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Salto do Peixe
12038195_964838886887848_2081939604921627431_n2

Professor Valter


O professor Valter Pereira de Menezes, 44 anos, casado com Francisca Maria e pai de Akeline (17 anos), Luan (14 anos), Diego (11 anos) e David (em memória) é um entre 10 vencedores do Prêmio Educador Nota 10 de 2015. O prêmio, uma iniciativa da Fundação Victor Civita, visa a valorização do trabalho docente. O Prof. Valter é licenciado em ciências pela Universidade Federal do Amazonas, trabalha a 20 anos na Comunidade do Santo Antônio do Rio Tracajá, localizada na zona rural do município de Parintins, AM. Sua trajetória inclui 9 anos como gestor da Escola Municipal Luiz Gonzaga, 3 anos como coordenador pedagógico de 10 escolas ao longo do Rio Tracajá e a docência propriamente dita. Hoje ele trabalha como professor de ciências em três turnos: pela manhã com alunos do 4º ano do Ensino Fundamental, à tarde com alunos do 8º e 9º anos e a noite com o 1º ano do Ensino Médio Mediado por Tecnologia.

Apesar desta carga alta de horas no magistério, o Prof. Valter saber conciliar conteúdo com prática comunitária e é no trabalho comunitário que Valter exerce uma influência transformadora. Desde 2012 estabeleceu e nutriu uma parceria com a ONG Asas de Socorro e juntos eles implementaram o Projeto Água Limpa para o Curumins. Os agentes da água são alunos da Escola Municipal Luis Gonzaga, e agem em parceria com a organização Asas de Socorro. O filtro biológico transforma água suja em água boa para consumo. Asas de Socorro em parceria com a Tearfund e Operação Amazônia, se esforçam por levar o filtro até a família e cuidar de sua instalação adequada. Mas somente o uso contínuo da água limpa trará benefícios à saúde dos curumins (como são chamadas as crianças na região amazônica). E é nesta etapa de conscientização e aprendizado que os adolescentes estão se mostrando verdadeiros campeões.

Eles convencem as crianças menores, falam nas reuniões de comunitários e visitam famílias, constatando a situação de cada filtro e buscando soluções quando necessário. Até hoje foram instalados nos lares dos comunitários 485 filtros beneficiando mais de 2.000 pessoas ao longo do Rio Tracajá. A adesão do uso destes filtros biológicos tem sido um grande sucesso.

Em celebração ao Dia Nacional do Educador Social e em solidariedade com a Comunidade do Santo Antônio pela sua alegria de ter um de seus membros reconhecido nacionalmente, a Rede Mãos Dadas resolveu entrevistá-lo.

 

RMD:   Como a fé cristã o ajuda a cumprir sua missão como educador?

Sou uma pessoa muito crente em Deus e no Evangelho. Vejo que minha missão como educador não é só ensinar as lições da vida cotidiana, mas também evangelizar uma geração futura para um mundo conturbado. Sem essa fé, eu não seria o homem que sou hoje. Acredito muito que Deus sempre está ao meu lado. No início desse ano sofri uma decepção muito grande na minha vida quando quebrei a perna em fevereiro e fiquei 6 meses na cadeira de roda sem poder me locomover. Teve momentos em que a fé me faltou, mas Deus é bom e me fortaleceu e me deu esse prêmio como recompensa. Estou pedindo a ele mais uma vitória, quero uma vaga para fazer mestrado! Continue lendo →

Esta semana a Rede Mãos Dadas celebra a importante contribuição dos educadores sociais para as respostas dadas aos problemas vividos pelas crianças e adolescentes em todo o Brasil. O educador social é peça chave pois está em contato direto com a criança e portanto em uma posição estratégica para ouvi-las, perceber seus dramas e defender os seus direitos. E é justamente por isto que eles merecem o nosso apoio incondicional. Andar ao lado de uma criança que sofre, desejando, tentando, mas nem sempre conseguindo diminuir o seu sofrimento é tarefa árdua que exige vocação, talento e capacitação.

Mas nem todo trabalho que resulta em uma vida melhor para as crianças demanda o empenho de tempo integral e a longo prazo para que ele seja bem sucedido. Foi pensando assim que criamos a brincadeira abaixo. O tema é “Ache uma boa prática!” e a pergunta para a qual pedimos a sua resposta é: “Em qual destes quadrados você encontra uma situação envolvendo crianças em que alguém se preocupou e agiu pensando na proteção e no bem estar dela. O resultado foi alegria!”
Com um pouquinho de atenção você verá que a única situação em que as crianças estão bem, felizes e vivendo momentos de criança é uma na qual um ou mais adultos se preocuparam em criar um ambiente seguro para elas. Não deu muito trabalho, não custou muito, só precisou um olhar voltado para suas necessidades e o desejo de criar um mundo melhor para elas!
Participe da brincadeira enviando-nos a resposta. Você concorre a um CD do Josimar Bianchi ao fazer isto.
Participe da Primeira Campanha Meu Educador Social Cristão 2015, clique aqui!
image
Adolescentes de sete comunidades ao longo do Rio Tracajá, no interior da Amazônia atenderam a um convite feito pelo professor Valter Menezes e passaram a fazer parte de uma solução que melhora a saúde de suas comunidades. Os adolescentes se tornam “agentes da água”, função que inclui a educação dos comunitários com relação aos perigos da água impura e a fiscalização para a boa utilização dos filtros biológicos ali instalados.
 0000000000000000000000
Os agentes da água são alunos da Escola Municipal Luis Gonzaga, e agem em parceria com a organização Asas de Socorro que atua na região desde 2012. O filtro biológico transforma água suja em água boa para consumo. Asas de Socorro em parceria com a Tearfund e Operação Amazônia, se esforçam por levar o filtro até a família e cuidar de sua instalação adequada. Mas somente o uso contínuo da água limpa trará benefícios à saúde dos curumins (como são chamadas as crianças na região amazônica). E é nesta etapa de conscientização e aprendizado que os adolescentes estão se mostrando verdadeiros campeões.
  0000000000000000000000
Eles convencem as crianças menores, falam nas reuniões de comunitários e visitam famílias, constatando a situação de cada filtro e buscando soluções quando necessário.
  0000000000000000000000
Até hoje foram instalados nos lares dos comunitários 485 filtros beneficiando mais de 2.000 pessoas ao longo do Rio Tracajá. A adesão do uso destes filtros biológicos tem sido um grande sucesso!
  0000000000000000000000
Isto tudo só aconteceu devido ao entusiasmo e empenho do professor Valter Menezes que além de professor é também líder comunitário, líder religioso e um grande mentor da garotada. É por isto que a Rede Mãos Dadas se alegra com a seleção do professor Valter como ganhador do último Prêmio Educador Nota 10, iniciativa da Fundação Victor Civita para a valorização do trabalho docente. Em 2015, este prêmio é apresentado pela Editora Abril e Rede Globo e em parceria com a Fundação Roberto Marinho.
  0000000000000000000000
Veja aqui a alegria do professor Valter e sua gratidão à parceria com Asas de Socorro.
Valter Menezes

Alunos do professor Valter Menezes

Veja a notícia no portal da Globo (AQUI!)
Participe da Campanha Meu Educador Social Cristão 2015, (Clique aqui!)

Assista o depoimento comovente de Josimar Bianchi, um cantor evangélico cuja infância foi marcada por um distúrbio de aprendizagem grave o suficiente para que fosse encaminhado para uma unidade filiada à APAE. Josimar fala de sua cura e agradece a pessoa, o seu educador herói, usado por Deus para ajudá-lo a ser quem ele é hoje.

Este vídeo faz parte dos materiais produzidos pela Rede Mãos Dadas para a Campanha Meu Educador Social Cristão que tem como data o dia 19 de setembro, Dia Nacional do Educador Social. A intenção é ajudar organizações sociais cristãs e igrejas a reconhecer o trabalho importantíssimo desenvolvido pelas pessoas que buscam soluções para as crianças mais vulneráveis. Participe!

Deixe o seu recado para o seu educador herói AQUI!

Por Siméa Meldrum

 “Todo mundo é capaz de dominar uma dor, exceto quem a sente”.  Shakespeare 

2011.01.22_Novo_Friburgo_Desastre_D700-0583

Deslizamento em Nova Friburgo 2011

É interessante que quando estamos ‘mal’, ‘pra baixo’, ‘triste’, ‘deprimido’, vivendo um desespero, um diagnóstico que muda a nossa história ou a história de quem amamos, uma crise existencial, uma dor humana, um deserto.., quando não estamos ‘bem o suficiente para sorrir’, quando queremos desistir de tudo, e até mesmo da vida, enfim, quando a nossa dor ecoa alto demais.. para que consigamos abafar… Então, surgem pessoas ao nosso redor que parecem ter as mais incríveis soluções para que a nossa dor seja ‘dominada’, ‘extirpada’… ‘superficializada’, ‘generalizada’, ‘engolida’, colocada de volta no lugar de onde ela não deveria ter saído!! Muitas pessoas se prontificam a dizer e ensinar que se fizermos um esforço a dor vai passar. Outros tentam nos convencer que temos alguma responsabilidade por isso e sutilmente nos fazem nos sentir culpados pela nossa própria tragédia existencial e ‘humana’, chegam a julgar nossa vida e em pouco tempo sabem tudo sobre como chegamos a essa situação. Podem até fazer julgamentos pesados, cruéis e frios…. Conhecemos a historia de Jó e vemos que tudo isso sempre aconteceu entre humanos.

Mas, o mais comum é não querer gastar tempo com quem esta sofrendo. Por vários motivos: 1. Não queremos perder tempo; 2. Não sabemos o que dizer ou fazer; 3. Não aceitamos o sofrimento e por isso não queremos nos aproximar dele; 4. Nos sentimos impotentes e por isso achamos que nos não poderemos ajudar em nada…. Continue lendo →