Passo a passo 87 _ imagem 11

Uma oficina de teatro sobre o estigma perto de Jinja, Uganda

“Prevenir é melhor do que remediar” é um provérbio bem conhecido. As doenças não-transmissíveis frequentemente se desenvolvem porque as pessoas não sabem informações básicas sobre a saúde que poderiam ajudá-las a reduzir o seu risco de contrair doenças. É importante transmitir mensagens sobre a saúde às pessoas de uma forma que seja interessante e as ajude a se lembrarem.

Contar histórias faz parte de todas as culturas. As histórias ajudam a explicar ideias complexas de forma simples. Há muitas maneiras de contar histórias: teatro, marionetes, jogos interativos, música e até mesmo através da tecnologia moderna, como os vídeos. Aqui estão algumas ideias que talvez você queira experimentar na sua comunidade:

 

Marionetes

Fazer um show de marionetes pode ser uma maneira excelente de se comunicar com as pessoas, especialmente as que vivem em áreas rurais. Os tópicos delicados podem ser explorados num show de marionetes de uma forma que talvez não seja possível numa peça simples ou numa palestra sobre saúde. As crianças geralmente gostam muito de assisti-los e repetem as mensagens às suas famílias e explicam-nas aos irmãos menores.

Envolva a comunidade na preparação do show de marionetes. As pessoas podem ajudar a criar a história, mover as marionetes e reunir outros para a apresentação. Escolha uma hora e um local que sejam fáceis para que as pessoas venham assistir.

Multimídia

A tecnologia está abrindo novas formas de comunicação, especialmente entre os jovens. Se tiver acesso a uma câmera de vídeo, você pode fazer um curta-metragem para transmitir a sua mensagem sobre a saúde. Ou talvez você possa compor e gravar uma canção. Uma boa letra para uma música cativante será lembrada por muito tempo após a sua apresentação. Comece planejando quais informações deseja transmitir ao seu público, como, por exemplo, “fumar mata uma em cada três pessoas que fumam” ou “ter uma alimentação saudável ajuda a protegê-lo contra as doenças cardíacas”. Pense de forma criativa sobre como você pode cativar o seu público e também como e onde poderá mostrar o filme ou tocar as canções para outras pessoas.

Teatro

Jogos de dramatização e técnicas como o Teatro para o Desenvolvimento ajudam a chamar a atenção das pessoas. Muitas culturas estão acostumadas com um estilo de ensino mais tradicional, mas o ensino interativo através de jogos e dramatizações pode ser diferente, novo e atraente para elas. Você pode criar uma peça e visitar várias comunidades para compartilhar sua mensagem, ou você pode preferir se concentrar num grupo de pessoas e criar uma apresentação em que todas elas participem.

Lembre-se de que criar uma peça exige tempo e investimento dos participantes. Talvez você queira manter o enredo simples para garantir que a mensagem não se perca. Pense sobre histórias locais bem conhecidas e como você poderia adaptá-las para a sua apresentação.

Artes visuais

Os outdoors, os murais e os cartazes são um meio de comunicação com muitas pessoas dentro da sua comunidade bem como com as pessoas que estão passando. Pode haver um espaço perfeito do lado de fora de uma escola ou de um centro comunitário para colocar um cartaz atraente com uma mensagem importante sobre a saúde. Pode haver artistas locais dispostos a criar um cartaz ou mesmo pintar um mural. Você poderia envolver as crianças na concepção de um projeto criativo. Isto as ajuda a se lembrarem das mensagens e deixa um legado duradouro e visível para os outros.

Inspirado?

Você poderia usar técnicas criativas para compartilhar informações sobre doenças não-transmissíveis com outras pessoas na sua comunidade? Escreva para nós para compartilhar suas histórias com outros leitores.

 

Marionetes para uma saúde melhor

As marionetes dão vida à aprendizagem. Os shows de marionetes são uma forma cheia de ação de um grupo contar histórias. As marionetes podem desempenhar situações privadas ou lutas entre as pessoas sem ofender a platéia – lidando com assuntos como a violência doméstica ou a saúde sexual.

As marionetes podem ir a qualquer lugar. Podemos fazer uma peça numa sala de aula à luz do dia para 20 alunos ou uma apresentação para 100 pessoas na praça do povoado à luz de lampiões. Os shows de marionetes são mais fáceis de organizar que o teatro ao vivo porque precisamos de menos pessoas. As marionetes e os adereços são pequenos, e a produção é fácil de administrar.

Algumas dicas para uma boa história

  • Inclua música, canções e dança.
  • Use formas locais de contar histórias e fazer dramatizações. Se as histórias e as dramatizações locais forem longas e se repetirem, procure usar o mesmo estilo com as marionetes.
  • Não tente pôr ideias demais numa só história. Ofereça uma ideia para as pessoas pensarem a respeito. As palavras e as ações devem contribuir para esta ideia.
  • Esclareça a ideia através do que acontece na história. Não faça sermões às pessoas.
  • A ação é tão importante quanto as palavras. As marionetes devem fazer coisas e não só falar.
  • Use falas curtas, sem pausas longas.
  • Misture ação, lágrimas e risadas nas peças. Procure chegar a um equilíbrio entre eventos sérios ou tristes e eventos leves ou engraçados. O “alívio cômico” é muito importante quando uma história é triste ou assustadora. Procure usar um personagem cômico, talvez um animal, ou dê nomes engraçados aos personagens.

Os shows de marionetes atraem muitas pessoas, mantêm sua atenção e dão a elas algo sobre o que falar mais tarde. Conforme mostramos aqui, há muitas maneiras de construir um teatro de marionetes, e você pode improvisar com o que tiver disponível.

Passo a passo 87 _ imagem 1

 

 

Amarre dois pedaços de bambu ou de vara do tamanho de um cabo de vassoura mais ou menos (2 m de comprimento) nas pernas de uma mesa. Amarre outro pedaço atravessado no topo das estacas e prenda o pano de fundo com tachinhas.

 

 

Passo a passo 87 _ imagem 2

 

 

Pendure um pano ou um cobertor sobre uma vara de madeira atravessada numa porta.

 

 

 

 

Passo a passo 87 _ imagem 3

 

 

 

Amarre um pano entre duas árvores.

 

 

 

 

 

Gill Gordon escreveu “Puppets for Better Health” (Marionetes para uma Saúde Melhor) após sua experiência trabalhando para melhorar a nutrição infantil na África Ocidental nos anos 70 e 80. Sua irmã, Sue Gordon, juntou-se a ela na liderança de oficinas de teatro de marionetes com comunidades locais e, mais tarde, ilustrou o livro. O texto e as figuras foram reproduzidos aqui com sua amável autorização.

 


Envolva a platéia

“Teatro fórum” é uma forma interativa de explorar questões examinando um problema e sugerindo uma solução através
da dramatização de papéis. Os atores ou os membros da platéia interrompem a apresentação e sugerem como os atores podem mudar o resultado da cena. Isto ajuda a platéia a participar da ação e pensar sobre como resolver o problema que está sendo apresentado. Abaixo está um exemplo sobre como prevenir doenças pulmonares:
  • Explique rapidamente aos membros da platéia que vocês vão fazer uma peça na qual eles precisam participar. Isto fará com que eles se envolvam desde o início do processo.
  • Peça a um voluntário para que entre no palco e faça mímica como se estivesse cozinhando sobre um fogo aberto dentro de casa.
  • Peça a um segundo voluntário para entrar em cena fazendo de conta que está fumando.
  • Peça a outro voluntário para fazer o papel de uma criança voltando para casa. Este voluntário faz mímica como se estivesse tossindo ao respirar a fumaça do cigarro e do fogo. Agora está desenvolvida a ideia básica de uma história, e foram identificados os personagens.
  • Congele a ação e pergunte à platéia o que ela vê.
  • Repita a ação. Desta vez, os voluntários podem falar – mas a ação ainda precisa ser curta.
  • Quando a ação tiver parado, explique que agora eles têm uma peça curta a qual podem debater e desenvolver. Peça ao grupo para que pense sobre momentos em que poderia tentar mudar o resultado para a criança.
  • Explique que agora eles verão a cena novamente, um pouco mais rápida, e que, quando alguém vir um momento para a mudança, deve gritar “pare”. Você, então, congela a ação, e um voluntário substitui um dos personagens para experimentar a solução.

Agradecimentos a Martin Smedley, Diretor Executivo da Act4Africa. 

 
A Act4Africa é uma instituição beneficente de educação sobre a saúde que faz programas educacionais e de mudança de comportamento sobre o HIV e a AIDS para ajudar a prevenir a propagação da doença. Eles chegaram a um milhão de pessoas com informações fundamentais sobre a saúde através da dramatização. Trabalhando com parceiros locais, especialmente as igrejas, eles treinam outras pessoas para usar o teatro em seu trabalho.

Artigo publicado originalmente no Passo a Passo 87, em maio de 2012 pela Tearfund.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>