Mãos Dadas pediu a cada parceiro da rede para nos enviar alguns “frutos” colhidos este ano e sobre os quais podemos nos alegrar. O primeiro parceiro a apresentar alguns de seus frutos é Asas de Socorro. Veja e alegre-se conosco!

2013.03.26_Asas_de_Socorro_Sabina_PA_D800-114

Para Asas de Socorro o cuidado do corpo e da alma são inseparáveis

No ano de 2014, Asas de Socorro:

  • Atendeu 56 comunidades ribeirinhas no norte, representando 21.000 pessoas.
  • Foram alcançadas 3.500 famílias.
  • Realizando 20 clínicas de saúde
  • 15 ações de cidadania
  • 12 capacitações e treinamentos de líderes comunitários, atingindo 400 pessoas
  • 900 horas foram navegadas
  • 13 igrejas envolvidas
  • 700 voluntários

Com essas ações, Asas de Socorro consegui os seguintes resultados:

  • Famílias fazendo uso de Água Potável.
  • Famílias usando banheiros e melhorando suas práticas de higiene.
  • Comunitários gozando de melhor auto-estima.
  • Crianças mais saudáveis, na saúde bucal, higienização, motivadas a mudanças de hábitos.
  • Lideranças comunitárias mais próximas, mais confiantes e dispostas a trabalhar junto em busca de seus sonhos e seus direitos. Abertas a conversar sobre Deus com menos deixando de lado as bandeiras religiosas.
  • Prefeituras, secretários e gestores mais alinhados e dispostos a parceirizar e trabalhar juntos.
  • Voluntários mais conscientes e mais preparados para servir as comunidades lado a lado, aprendendo e ensinando.
  • Igrejas mais comprometidas com a Missão Integral e aprendendo e ensinando
  • Famílias vitimadas por desastre natural acolhidas.E sendo preparadas para enfrentar situações difíceis.
  • Muitos colaboradores sensibilizados para ajudar a diminuir as distancias e oferecer oportunidades.

 

Veja a seguir o relato de uma missionária, sobre sua atuação em uma clínica que aconteceu na semana passada:

Estávamos no segundo dia de clínica, vários atendimentos médicos/odontológicos acontecendo, programações especiais com crianças e adolescentes. Um grupo de homens e mulheres da Igreja parceira de Manaus preparavam o sopão e parte da equipe no evangelismo em Paracatu. Por volta das 11:00, um garoto por nome de *Leone, 10 anos de idade entra no consultório odontológico para ser atendido pela dentista *Sandra. Ao deitar na cadeira ele começa a passar mal, imediatamente foi encaminhado para a dra *Betânia. Ao chegar na sala para ser atendido, ele ficou possesso, imediatamente foi chamado o *Oto, dra *Sara e mais dois irmãos da equipe. Foram 40 minutos muito tensos e ele só foi liberto, quando começaram a cantar louvores.

Enquanto esta luta estava sendo travada no colégio, um outro rapaz por nome *Mateus, 16 anos, que também veio para ser atendido e passou mal, pediu ajuda na área psicológica, sendo encaminhado para nosso barco. Durante 1 hora, *Wilson (comandante do barco) e eu conversamos com este rapaz, nitidamente oprimido e escravizado pelo inimigo. Ele foi rejeitado pelos pais e mora com uma tia. Falamos do amor de Deus e a necessidade dele se arrepender e render-se a Cristo, foi uma batalha muito grande, pois ele dizia que não poderia tomar esta decisão, pois era uma máquina. Depois de orarmos e repreendermos a ação do inimigo, começamos a citar João 3:16 e levá-lo a repetir junto, de repente ele disse: agora, agora chegou o momento, agora eu quero receber Jesus como meu Salvador. Oramos juntos e foi lindo sua conversão. No final entregamos uma Bíblia com dedicatória, ele pediu que escrevesse o dia e a hora de sua conversão. Aleluia, Deus seja louvado! Ao sair ele pediu que marcássemos um horário para orarmos juntos, eu disse: amanhã estaremos aqui e ele disse, não, eu quero 1 horário onde eu estarei orando em minha casa e vocês nas suas casas. Que lindo! este é o poder de Deus.

Mas o inimigo estava furioso, na quinta-feira, quando começamos a devocional, o barco escolar (recreio) encosta próximo ao nosso e alguém vem chamar nossa equipe, dizendo que o *Leone estava passando mal, já sabíamos o que era. Um grupo de irmãos foi até lá e por 40 minutos travaram uma batalha contra o inimigo. *Beto e *Leone se alimentaram e subiram para as atividades com as crianças. Por volta das 9:00 horas, ele veio desmaiado e carregado por homens da nossa equipe para o nosso barco e novamente ficou possesso. Foram momentos muito tensos e cansativos, especialmente para a equipe. Graças a Deus, ele confessou Jesus como seu Salvador e Senhor. *Beto ergue as mãos para cima e diz: “Estou livre, eu não vou deixar mais ele dominar a minha cabeça”. Retornou ao colégio e participou das brincadeiras e antes de ir embora, tratou seu dente. Ele estava vibrando: Ao entrar na sala para ser atendido pela dentista, ele disse para a *Maria (auxilar), estou muito feliz, agora vou tratar o meu dente! Aleluia! Deus seja glorificado.

Continuem orando pelo Leone e Mateus. A história de vida deles é muito triste, ambos foram abandonados pelos pais. Só Cristo poderá transformar a vida destes dois.

Orem por Curu e região, o que ouvimos durante os 4 dias, nos entristeceu muito. O casal de missionários que atuam nesta região tem enfrentado grandes batalhas. O que muito nos alegrou foi ouvir os testemunhos de conversões contado por eles: “Onde abundou o pecado, superabundou a graça de Cristo”. Em Paracatu, comunidade onde há o maior índice de pessoas loucas, abuso sexual, homossexualismo e drogas, hoje já existe uma congregação com 70 pessoas, que se reúnem às 7 horas da manhã no domingo. Para chegar nesta comunidade estes missionários levam 2 horas e meia andando no meio da mata.

Quero encerrar minhas palavras aqui, expressando minha alegria e motivação em servir ao Senhor aqui na região norte. Fisicamente estou cansada, mas interiormente renovada e vibrando com o ministério.

10394530_853938351305722_3210676204098133175_nMissionária Rute Camilo Dauaidar

 

 

 

 

 

 

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

* Todos os nomes citados no relato da missionária Rute Camilo Dauaidar são fictícios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>