quartasPor Gerhard Fuchs

Peixe Grande 001

“Talvez tenhamos todos um pouco de pescador.”

Quando aquele peixe enorme explodiu com selvageria na isca artificial, deixou todos os pescadores extasiados e coroou o esforço de meses de preparo.

Poucas vezes na vida temos a oportunidade de pegar um peixe grande e quando isto acontece  a adrenalina sobe, a atenção é total e o clima só pode ser de vibração, entusiasmo e celebração. Isto vale para a pescaria e vale para negócios e o qualquer outra atividade profissional.

Os companheiros de barco entusiasmados viram o enorme tucunare de 12 kg (ou mais?) dar 4 pulos de corpo inteiro para fora da água e levar a linha embora por cerca de 20 vezes até se entregar cansado ao seu captor, apenas para ser fotografado e solto novamente.

O fascinante neste tipo de pesca é conviver com a natureza em seu estado mais belo e bruto. Não é uma pescaria em que o pescador espera pacientemente o peixão na beira do barranco.

Neste tipo de pescaria ele procura o peixe com insistência e perseverança , conhece seus hábitos, os lugares onde vive a as melhores maneiras de captura. Precisa estar preparado.

Tudo começou três meses antes com um convite de um grupo de pescadores que se preparavam para uma pescaria na Amazônia. Varias reuniões aconteceram. Detalhes sobre a viagem, material a ser usado, e de reserva, tecnologia, mentores experientes, tudo foi preparado com cuidado, para poder culminar naquele momento especial.

A viagem foi num voo de Curitiba a São Paulo, saindo por volta de 10 horas para Manaus. De lá o taxi aéreo levou o grupo até as margens do Rio Unini, afluente do Rio Negro, onde foram esperados por uma equipe e um barco hotel. Como chegaram por volta das 17 horas do mesmo dia, os mais afoitos aproveitaram o final da tarde e saíram para uma breve pescaria nas proximidades. A partir da boa estrutura, tudo foi deslumbrante. Lembrar dos cenários dos rios, igarapés e das cerca de 30 lagoas, com bancos de areia e margens de florestas, verdadeiros templos naturais, até hoje causa boas lembranças.

Havia muitos peixes, tucunares, aruanás, traíras, peixes de couro, mas dentre eles os que mais se desataram foram os Tucunares, tanto pela sua força, como pela sua esportividade e ferocidade. As cenas visíveis dos tucunares atacando as iscas artificiais de superfície causam um agito indescritível recheado de adrenalina.

Nestes momentos , com cerca de 1000 arremessos por dia, ajusta-se o equipamento, a vara, a linha, os nos, os snaps, as iscas, a forma de trabalhar as mesmas, a forma de aproximação do barco para não espantar os peixes.

A abundância de peixes faz com que não haja monotonia. O preparo cuidadoso e detalhado e a prática da pesca leva a perfeição, deixa o pescador pronto para a oportunidade e é coroada com o sucesso, culminando com a alegria e a celebração.

Talvez tenhamos todos um pouco de pescador.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>