quartas

Por Elsie Gilbert

Helen Keller: "Eu prefiro andar no escuro com um amigo do que na luz sozinha."Amizade é muito importante para todos nós. C.S. Lewis escreveu: “Amizade é desnecessária, como a filosofia, como a arte… Não tem valor para a sobrevivência, antes, ela é uma daquelas coisas que dá valor à sobrevivência.”  E Helen Keller, a menina que ficou cega e surda aos 18 meses de idade e que, com a ajuda de sua tutora Anne Sullivan, veio a se tornar uma grande escritora, filosofa e conferencista, disse certa vez: “Eu prefiro andar no escuro com um amigo do que sozinha na luz.”

 
Helen Keller: “Eu prefiro andar no escuro com um amigo do que na luz sozinha.”

Então, pensando numa igreja que se propõe a ser amiga da criança, o que ela deve fazer? Ora, é simples, basta seguir o exemplo de Jesus e obedecer a ele no que diz com respeito à criança. O que Jesus fez quando os discípulos tentaram controlar a situação para que as crianças não o incomodassem?

“Quando Jesus viu isso, ficou indignado e lhes disse: ‘Deixem vir a mim as crianças, não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas. Digo-lhes a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele’. Em seguida, tomou as crianças nos braços, impôs-lhes as mãos e as abençoou.”

Precisamos imitar a Jesus na sua amizade para com as crianças. Toda igreja então precisa ser:

  1. Um lugar que acolhe e inclui as crianças. Obedecer às ordens de Jesus de “deixar” e “não impedir” significa incluir TODAS as crianças, não só aquelas que estão dentro dos nossos padrões sociais e comportamentais.
  2. Um lugar disposto a ouvir as crianças. O comentário de Jesus sobre a necessidade de aprender com as crianças sobre o Reino de Deus veio de alguém que sabia escutar. Sua igreja tem dificuldade em ouvir as crianças preferindo sempre falar para elas o que devem fazer? Se elas não são ouvidas e valorizadas no que pensam, por que valorizariam o que os adultos querem lhes ensinar? Se soubermos ouvir, elas nos ensinaram mistérios do Reino de Deus!
  3. Um lugar de cura para as crianças. Ele “tomou as crianças nos braços”. Todos nós sabemos que o toque de Jesus é curador! Sua igreja se engaja no trabalho de fortalecimento e restauração emocional de crianças, especialmente as que estão sofrendo, ou que foram vítimas de maus-tratos? Há muito que fazer e é fácil se sentir impotente mas precisamos perseverar.
  4. Um lugar que abençoa as crianças. Ele “as abençoou.” Veja como Jesus define sua amizade com seus discípulos: “Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer.” João 15:15 Sua igreja investe no discipulado e formação espiritual das crianças de forma a ajuda-las a aprofundar o seu conhecimento do Pai? O ministério com as crianças precisa ser levado a sério, com pessoal preparado e dedicado. Toda a igreja precisa se envolver dando cobertura espiritual em oração.
  5. Um lugar no qual as crianças participam da missão da igreja. Impor as mãos é um gesto de envio, de autoridade concedida para ir realizar uma missão. Jesus impôs suas mãos sobre as crianças. As crianças são parte do Corpo de Cristo e como tal precisam do corpo para abençoar e serem abençoadas no exercício de seus dons. Sua igreja reconhece que as crianças também são chamadas e capazes de desenvolver seus dons espirituais? As crianças não só são capazes como também quando lhes é dado a oportunidade, trazem grande entusiasmo para o serviço cristão.

Uma igreja que se propõe a ser amiga da criança precisa praticar estas cinco características de Jesus: a inclusão, a escuta, o toque, a benção e o serviço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>