Balanço final. Veja o que planejamos:

  1. Fazer presentes, um para cada família.
  2. Visitar a casa de acolhimento levando bicoitinhos feitos pelas crianças.
  3. Visitar duas famílias, ambas pessoas que trabalharam para nossa família no passado, levando um presente para cada uma.
  4. Ir à igreja no domingo anterior ao natal e fazer um “cultinho” familiar no dia 24.
  5. Ainda no dia 24 realizar o Show de Talentos no qual todos os membros de nossa família precisavam participar.
  6. Abrir presentes na manhã do dia 25 depois do café da manhã e fazer uma refeição especial com amigos mais tarde no mesmo dia.

Veja o que realizamos:

  1. As crianças criaram um vitral com motivos natalinos, um para cada família. Isto levou duas tardes, uma para desenhar sobre o vidro o desenho com rolinhos de durepox. E a segunda tarde foi gasta pintando. Ao final as crianças ficaram muito orgulhosas de suas criações.
  2. Os biscoitos foram feitos e comidos! Não sobrou nenhum para ser levado à casa de acolhimento! Resolvemos então encher uma lata grande com bombons. As crianças levaram a lata para a casa de acolhimento. Só que ao chegar lá, decobriram que todas as crianças tinham sido levadas para passar o natal em famílias acolhedoras. Em três dias a caixa já estava quase vazia…
  3. Conseguimos visitar uma família, levando um presente e passando uma tarde muito agradável com a Lucinea, que foi babá da minha sobrinha Alice.
  4. Ninguém quis ir ao culto no domingo anterior ao natal. Assim, no dia do Culto de Natal, suprimimos o “cultinho familiar” e fomos à igreja. Nossa igreja este ano resolveu fazer a celebração com velas e ao final meu filho pediu ao pastor para recolher as velas. As crianças chegaram em casa com mais de 40 velas. Problema: queriam brincar com fogo! Mas tudo ficou resolvido quando lembraram que estava na hora do Show de Talentos.
  5. O Show de Talentos teve a participação de TODOS os membros da família. Foi muito bom! As crianças brilharam e os adultos participaram ativamente porque não queriam desagradar as crianças. A avó contou história, cantou um hino com a ajuda de sua filha mais velha e genro, meu marido declamou poesia, e até os adolescentes participaram com entusiasmo.
  6. Os presentes foram abertos, a comida foi ingerida com alegria.

Conversando com minhas irmãs no final destes dias em família chegamos à conclusão que são as crianças que fazem o natal. Elas querem celebrar em estilo e para elas, estilo significa fazer algo especial, não algo caro e sofisticado. Elas querem nos ajudar a esquecer as dificuldades do corre-corre do dia-a-dia e nos levar a um tempo de alegria, simples e genuína! Foi um Feliz Natal!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>