ONU/Loey Felipe

Através do concurso de redação Muitas Línguas, Um Mundo, a Onu vai selecionar 60 jovens universitários para serem delegados para o Fórum Global da Juventude, que vai acontecer entre 15 e 26 de julho de 2017, na Northeastern University, em Boston (EUA).

A iniciativa é promovida pela escola de inglês ELS Educational Services e pelo programa Impacto Acadêmico da ONU, e as inscrições já estão abertas. Os participantes devem ser estudantes universitários, com mais de 18 anos e ter autorização formal de um membro da faculdade para participar.

Para concorrer, é preciso escrever uma redação original de até 2 mil palavras discutindo noções de cidadania global e compreensão cultural, abordando a importância do desenvolvimento de habilidades linguísticas. A redação deve refletir o contexto pessoal, acadêmico, cultural e nacional do candidato.

O texto deve ser escrito em um dos seis idiomas oficiais da organização (árabe, chinês, inglês, francês, russo e espanhol), que seja diferente do idioma materno e da língua na qual o candidato recebeu educação primária e secundária. As inscrições vão até 16 de março.

No Fórum Global da Juventude, os 60 vencedores criarão planos de ação relacionados à Agência 2030 para o Desenvolvimento Sustentável em uma das seis línguas oficiais das Nações Unidas. Continue lendo →

Por Joyce Hencklein

A fé descrita em Hebreus 11 é “a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem”. Essa ideia sobre a natureza da fé me surpreende muito, porque muitas vezes utilizamos a palavra fé em nosso cotidiano de forma corriqueira, mas não nos aprofundamos no sentido dela em nossas vidas.

Quando passamos por situações difíceis, sempre falamos ou ouvimos alguém dizer: “Tenho fé que tudo dará certo”. Mas me pergunto: Será que realmente temos fé? Se a fé é a certeza de coisas que esperamos tendo a convicção dos fatos que não vimos, acredito que nem sempre é fácil ter fé.

Infelizmente, vivemos em um mundo muito visual e palpável, que prega o ditado do “preciso ver para crer”, a ideia de que tudo precisa de comprovações e fatos consumados. No entanto, na Bíblia a história é outra. E graças a Deus, porque Ele nos mostra que é necessário e possível ter fé.

Quando pensei na minha dificuldade em ter fé em relação a algumas questões, li em Hebreus 11 o histórico de pessoas de fé como Abel, Enoque, Noé, Abraão, Sara, Isaque, José, Moisés, Raabe e outros. Com a leitura, percebi que se era para alguém ter dificuldade em ter fé, eram eles, não eu, já que os desafios enfrentados por eles são inimagináveis para mim.

Olhe a vida de Abraão, por exemplo, que começou saindo de sua terra e do meio de seus parentes para ir a um lugar que Deus ainda iria mostrar. Deus prometeu a Abraão que ele teria uma descedência muito grande, comparando-a aos grãos de areia. Porém a realidade indicava que Sara, sua mulher, era velha e não podia ter filhos. Continue lendo →

O que vem junto com a saudade? Um estudo da Universidade de Southampton, na Inglaterra, divulgado pela revista Superinteressante, aponta que é possível sim que a saudade tenha um lado bom. Ela pode nos deixar melhor preparados para lidar com o presente e com o futuro.

O estudo é direcionado à nostalgia, descrita como uma emoção que surge por memórias pessoais e sociais relevantes. Ela pode ser vista como um tipo de saudade, essa palavra tipicamente brasileira que faz referência ao sentimento que temos ao estarmos distantes de uma pessoa, uma coisa ou um lugar, ou quando sentimos falta de experiências prazerosas já vividas.

Na pesquisa, os voluntários ouviam músicas antigas para que fosse possível entender o que acontece depois da ondas ondas de memória e saudosismo. Pela análise das respostas, os pesquisadores acreditam que temos uma compreensão melhor de quem somos quando olhamos para o passado.

Com esses sentimentos saudosos, nutrimos também uma sensação de pertencimento. Podemos também ter nossas energias renovadas, já que a nostalgia pode funcionar como um mecanismo de defesa, quando estamos mais tristes e solitários e nos lembramos dos bons momentos já vividos. Continue lendo →

Por Daniel Theodoro

Muito se especula sobre como será o Céu – com letra maiúscula mesmo, para se referir àquele lugar almejado por todos os cristãos, porém evitado até o último instante, quando o painel eletrônico celestial indicará o número da sua senha e você saberá que chegou sua hora de ser atendido.

A questão central é que, por puro conformismo terreno ou limitada evidência canônica, pouco se fala sobre detalhes importantíssimos da futura vida. Por exemplo, o chuveiro (elétrico?) terá água quente? Terá fila no cartório onde tiraremos a certidão de novo cidadão celestial? Terá o futebol Casados x Solteiros, uma vez que seremos todos irmãos? São questões de fundamental importância para entendermos o modus operandi do local onde passaremos a eternidade.

Pois veja que, mais recentemente, trabalhando a imaginação cristã dentro do limite aceitável, saciei uma antiga dúvida e cheguei à conclusão de que no Céu, pasmem, terá ciclovia!

A primeira pista de que Lá haverá uma senda segura para a magrela foi dada quando Jesus disse que, se não nos fizermos como criança, jamais entraremos no Reino dos céus. Crianças não sonham com Porches, Lamborghinis e Ferraris desfilando pela avenida 23 de Maio, em São Paulo. Esses fetiches automobilísticos são invenções de adultos, produtos usados para transportar a insaciável ganância de gente grande.

Criança leva a vida numa Monark qualquer. Se tiver marcha, então, melhor! A certeza de que um pecador redimido não estará no Céu para dar voltas de Camaro é tão grande quanto a convicção de que um camelo não passará pelo fundo da agulha. Assim, Céu combina mais com bike do que com carros. Continue lendo →

Por que é tão difícil exercitar a união no corpo de Cristo hoje, quando existem tantos pensamentos diferentes no nosso meio? Por que a gente não se envolve mais no serviço à sociedade, doando nossos talentos e nosso tempo em prol de causas nas quais acreditamos?

Já se fez essas perguntas também? Pois é. Os painéis da quarta edição do Rock no Vale trataram um pouco desses temas, com convidados que atuam de forma prática para trazer unidade em meio à diversidade e para “fazer acontecer” na sociedade.

Aqui pelo Blog Jovem já deu pra conferir um pouquinho do que rolou no festival pelos textos e fotos da Carol Rios, que foi pra lá e registrou o evento pra gente. E agora dá pra ouvir as conversas que aconteceram durante os painéis em dois episódios do podcast Irmãos.com. Bora ouvir?

 

#310: Unidade na diversidade de pensamentos: Marcos Botelho (Teologeeks), Yago Martins (Dois Dedos de Teologia), Christian Bittencourt, Lipão (Onda Dura) e Ariovaldo Jr (Bíblia Freestyle) conversam sobre os pontos que divergem entre si e tentam encontrar pontos em comum para provar que é possível ter unidade em Cristo mesmo na diversidade de pensamentos. Clique aqui para ouvir.

 

#311: Fazendo acontecer 2: Sinval Jr (Expresso Ação), Vinícius Lima e André Soler (SP Invisível), Marcel Camargo (CADI), Larissa Tiemi (A Rocha) e Manoel Neto (Instituto Colabore) explicam as causas que os movem e contam os cases que têm vivenciado por meio das iniciativas de suas organizações. Clique aqui para ouvir.

 

Continue lendo →