Por Maísa H.

Pablo Neruda, poeta chileno, escreveu em um de seus poemas, meu favorito, as seguintes palavras:

“Não quero dormir sem teus olhos

Não quero ser sem que me olhes

Abro mão da primavera para que continues me olhando”

Ao longo deste ano, todos passamos por mudanças e reconstruções, alegrias e tristezas, eternidades e finitudes. Deparamo-nos com as sinuosidades do caminho, com declives e subidas da estrada da vida. E, após longa jornada em dias de viagem, finalmente chegamos ao fim, onde nosso desejo de descanso pode se realizar; mas, em meio a tantos problemas e medos trazidos por um mundo em contínua voracidade e violência, como podemos fechar nossos olhos e descansar? Quem de nós é capaz de relaxar em meio ao caos e à guerra?

Temos passado por dias de extremos: verão ou inverno. A vida, porém, encontra-se na primavera, quando tudo se renova e o tempo é redefinido, quando a terra fertiliza, os campos secos viram jardins e tudo se equilibra. 

Refletindo sobre 2018, percebo que, mesmo diante de grandes desafios, pude descansar e dormir, pois tive o Senhor cuidando de mim incessantemente. E, usando das palavras de Neruda, não desejo ser nem existir sem os olhos de Deus postos sobre mim. Ainda que todos nós tenhamos desejado a primavera (que para muitos não veio), fomos férteis e renovados, redefinimos o tempo e plantamos jardins com Aquele que nos observou com olhos de Pai e nos trouxe paz e equilíbrio.

Rodeados de extremos, pudemos, então, descobrir que nossa primavera não se configura em uma estação, mas no Deus que, com mãos de agricultor e de jardineiro, é capaz de (re)ofertar vida. E com os três versos do poeta declaramos, já para 2019, que não queremos ser sem os olhos do Senhor e que abrimos mão da primavera para que Ele, com seu especial cuidado e amor, continue nos olhando.

Bendito seja o nome do Senhor!

  • Maísa H., 24 anos. Professora de português, espanhol e inglês, é aspirante a poliglota, fã de histórias de ficção, animes e comida libanesa. Futura mestranda em Linguística e missionária em um país da Ásia.
  1. Maísa, lindo seu texto. Gratidão é uma atitude que devemos sempre cultivar, sobretudo aos cuidados que Deus tem por nós. Até porque de alguma forma acaba alimentando nossa esperança. A paz. Ellen

  2. Que bela leitura! Ela vem nos reanimar e nos traz conforto e a certeza que não estamos sozinhos! Parabéns Maísa, Deus a abençoe ricamente. Obrigado pela leitura!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>