Por Jeferson Cristianini

Minha avó materna sempre me dizia que orar de joelhos é melhor. Cresci a vendo orando de joelhos. Esse exemplo marcou minha caminhada espiritual. Um dia perguntei a ela porque deveríamos orar de joelhos, e ela disse que de joelhos nos lembramos de nossa miséria e real condição de dependentes do Senhor.

Nos últimos anos a espiritualidade evangélica brasileira tem sido marcada por jargões e frases de efeito. É uma espiritualidade com o ser humano no centro, com a ideia de que Deus é que precisa se mover na direção do homem. Essa espiritualidade evangélica se distancia do evangelho e prega que a felicidade humana é consequência de uma vida próspera e luxuosa aqui na terra.

Essa espiritualidade evangélica ensina a falar com Deus sem reverência, como se Ele fosse obrigado a nos dar o melhor dessa terra, como se os bens matérias fossem termômetro de santidade. Essa espiritualidade evangélica despreza a salvação como o maior presente de Deus e foca em bênçãos materiais que irão se deteriorar.

Essa espiritualidade evangélica é surda para as palavras e cega para o ministério de Jesus que nos leva a devoção e a contrição. Essa falsa espiritualidade evangélica nos ensina a exigirmos, a determinarmos e a cobrarmos as benesses do Senhor; enquanto Jesus nos ensina a realinharmos nossas vidas com as prioridades do Reino dos céus, a vivermos em obediência e reverência diante do Senhor, e o buscarmos em oração.

A espiritualidade de Jesus

Jesus nos ensina a verdadeira espiritualidade, que nada tem a ver com a demonstração religiosa que os fariseus praticavam; pelo contrário, a espiritualidade ensinada e vivida por Jesus é aquela da reclusão para orar. Jesus nos ensina a entrarmos no quarto e orarmos em secreto ao Senhor, a abrirmos nosso coração diante de Deus, a nos rendermos a Ele em devoção dependente do agir do Senhor.

A espiritualidade evangélica nos remete à figura de uma pessoa diante de um balcão exigindo aquilo que julga necessário para sua vida. É a figura de uma pessoa em pé reclamando em prol dos seus direitos. Já a espiritualidade proposta por Jesus é a da oração e contrição. Jesus nos ensinou a orar. Ele se retirava para orar. Refugiava-se em oração e conversa com o Deus Pai. Orava agradecendo. Orava pedindo sempre a vontade de Deus sobre Sua vida e ministério. Ele ensinou a oração modelo, que chamamos do Pai Nosso, que é a expressão de um filho grato e dependente diante do Todo Poderoso.

A espiritualidade cristã tem a ver com oração, com uma vida de gratidão e com joelhos no chão. A espiritualidade cristã é fomentada por filhos e filhas de Deus que reconhecem que tudo o que são e têm vem do Senhor, que seus planos e sonhos devem ser colocados diante do Criador. É a espiritualidade do temor que faz com que os joelhos se dobrem como demonstração de reverência, temor e dependência. É a espiritualidade da oração de joelhos.

De joelhos

De joelhos nos lembramos do nosso estado miserável diante de Deus, da nossa condição de inadequação diante da perfeição do Senhor e da nossa dependência diante do nosso Deus Provedor. De joelhos nosso ego é humilhado e Deus é exaltado. De joelhos nossos desejos são aniquilados e a recompensa é ouvir a voz de Deus. De joelhos nosso passado é apagado e somos revigorados pela nova natureza fruto da novidade de vida que desfrutamos em Jesus.

De joelhos reconhecemos que não merecemos nada e que tudo que temos e somos é graça de Deus. De joelhos percebemos que a misericórdia e o perdão do Senhor é que nos dão sentido na vida. De joelhos lembramos que não somos nada e que a graça nos basta. De joelhos lembramos o que éramos e tributamos louvor pela nova vida em Jesus. De joelhos reconhecemos que não temos direitos, pelo contrário, que devemos nutrir um coração grato diante de tantas bênçãos do Senhor sobre nossas vidas.

De joelhos buscamos não a nossa vontade, mas a vontade soberana de Deus. De joelhos não pensamos em nossas prioridades e sim em priorizar o reino de Deus e Sua justiça. De joelhos lançamos sobre os ombros de Jesus toda nossa ansiedade, temores e preocupações na certeza de que Ele é quem cuida de nós.

De joelhos nossa espiritualidade se torna sadia, bíblica e vivida. De joelhos buscamos viver no centro da vontade de Deus. De joelhos aprendemos a sermos filhos e filhas de Deus, dependentes e não mimados. A espiritualidade cristã é a que enfatiza a oração, e oração de joelhos. Agradeço a minha vó por me ensinar a orar com os joelhos no chão. Dobre-se diante do Senhor e Ele te sustentará de pé diante das adversidades desses dias difíceis.

  • Jeferson Rodolfo Cristianini é pastor da PIB Bauru.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>