Por Vinícius Vargas

A igreja é um corpo, Paulo já tinha dito isso (I Coríntios 12). No corpo, cada membro tem sua função. Temos o cabeça (Cristo); as mãos (seriam os diáconos?); os pés (os missionários); a boca (os que pregam a palavra). A lista segue… Todo mundo tem sua função. E qual é a função da juventude no corpo? Que parte do corpo será que ela representa? Nessa alegoria comparativa que estamos fazendo, tenho uma ideia de resposta: pra mim, a juventude é o nariz da Igreja!

O nariz é sempre a parte que chega primeiro. Está mais na frente no rosto. As inovações e novidades na igreja costumam chegar via juventude. Foram os jovens que brigaram pra modernizar a liturgia, e fazer a guitarra e a bateria terem lugar no culto. São os jovens a maioria dos voluntários nas áreas de design e multimídia das congregações. O nariz da igreja é o primeiro a sentir os ventos que chegam. Mas, como é nariz, não consegue processar as coisas. Ele respira as novidades e põe pra dentro do corpo. É preciso ter cuidado! Bons ventos oxigenam o corpo. Ventos contaminados envenenam e podem matar.

>> Chamado Radical <<

O nariz é a parte mais à frente, mas só chama a atenção se destoar do resto. Se fizer o seu papel, ele fica lá sem ser muito notado. Se o rosto não tem nariz, ele nos choca. Se é muito estranho, chama a atenção. Mas se for desproporcional, dá vontade de rir. A juventude não deve ser nem maior nem menor que o restante da igreja. Deve ser sempre proporcional, fazer o seu papel, sem chamar muito a atenção para si, mas para o conjunto da obra.

É no nariz que a armação dos óculos fica apoiada. Uma visão deficiente na igreja não é corrigida pela juventude, mas sem ela não se consegue firmar as lentes que clareiam a visão. Um corpo pode ser míope (sem preconceitos com míopes, sou um deles). O papel da juventude não e corrigir a visão, mas o dar suporte às lentes, provendo o espaço para que os debates abertos aconteçam.

>> Juventude e Vocação (E-book gratuito) <<

O nariz é parte mais desprotegida do corpo. É a única que não dá pra cobrir suficientemente no frio. A primeira parte que descasca sob o sol forte. Está sempre vulnerável: numa briga é quase sempre a primeira parte a ser atingida. É também uma das mais delicadas: uma vez quebrado, a recuperação é lenta e dolorosa. Não dá pra engessar o nariz. Se mantidos os devidos cuidados e com a devida proteção, dá pra mantê-lo em segurança.

O nariz precisa ser limpo constantemente, sob o risco de prejudicar o corpo todo. Precisa respirar ar puro, oxigenar o corpo, permitindo que o pulmão da igreja tenha meios de converter ar em energia e manter todo o organismo vivo. Uma igreja saudável tem uma juventude saudável. Uma igreja sem jovens é um corpo onde o nariz não funciona: ela respira por aparelhos. Toda igreja precisa de jovens que oxigenem suas comunidades com ar puro do Espírito que sopra onde quer, não pode bobear e acabar respirando ventos de doutrina…

  • Vinicius Vargas é pastor de jovens da IB Fonte Carioca e vice-presidente da Juventude Batista Meritiense. É marido da Izabela e pai do Eduardo e da Eliza.
  1. Muito boa a reflexao, ainda lembrar que o Espirito usa para servir o outro, sendo prazerosa a vida daquele que aceita ser sondado constantemente pelo Espirito.

  2. MARCEL DIOGENES DE OLIVEIRA

    Muito TOP, parabéns pelo texto!
    Que a nossa juventude, de forma geral, incluindo sua liderança, possam ter essa consciência e visão de corpo. Dessa forma todos os membros permanecem saudáveis e em desenvolvimento e o reino do Senhor é quem ganha.
    Abç

  3. Uma ótima reflexão. Texto muito bom para fechar o ano e avaliar nossa juventude cristã brasileira e suas movimentações. Sabemos que ultimamente estamos num tempo de experimentações, como um ‘perfumista’ na busca de novas essências, porém, acredito estarmos perto de alcançar o bom perfume de Cristo. Valeu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>