Nos campi universitários pelo mundo, existem almas com solos de todos os tipos. Nos esforços para levar o evangelho nesse ambiente, encontramos pessoas com diferentes perspectivas de vida. Alguns têm diferentes ramos de estudo, outros cresceram em famílias com crenças diferentes, tantos vêm de outros países.  Infelizmente, como Jesus menciona na parábola do semeador (Mt 13:1-23, Mc 4:1-20, Lc 8:4-15), poucos são aqueles que crescem e produzem frutos.

O pessoal do ministério The Great Exchange (TGE, em português, “A Grande Troca”), elencou alguns dos solos que encontramos pelos corredores das universidades:

Sementes à beira do caminho

Gostamos de fazer o paralelo das sementes que caem à beira do caminho, que logo são devoradas pelas aves, com aqueles estudantes que, ouvindo a verdade, viram o rosto, inventam desculpas, mudam a conversa, ou até dizem “Não preciso disso”. Infelizmente, no mundo acadêmico são incontáveis os alunos que julgam não precisar dessa semente. Muitas sementes lançadas nos corações de universitários nem mesmo encontram um solo.

Sementes no caminho pedregoso

O TGE planta sementes através de questionários, da oração pelos entrevistados, de um desafio que consiste em ler a Bíblia, e pela assistência da igreja local em discipulado. No período em que nos encontramos, de uma forte relativização de princípios, encontramos pessoas sedentas por verdade, esperança e redenção.

Embora 96% dos estudantes dizerem que gostariam de conhecer a Deus pessoalmente, poucas pessoas estão prontas para ouvir o evangelho. Glória a Deus por essas! Como na parábola contada por Jesus, vemos algumas dessas pessoas crescerem e até darem alguns frutos. Mas no caso de muitos, no entanto, a semente acaba não crescendo em suas casas, na sala de aula e no trabalho. Por falta de uma fé enraizada em Cristo, encontramos muitos que dizem “já fiz parte de algo parecido, mas não faço mais”.

Sementes nos espinhos

Por conta do ambiente intelectual, o TGE realiza eventos estratégicos de evangelismo em universidades, onde muitas perguntas e debates são bem-vindos, e onde há a necessidade de resposta às perguntas que muitos se fazem. Sabemos também da dificuldade que cristãos e novos na fé têm quando vivem no ambiente universitário coberto de espinhos, que podem sufocá-los facilmente. Ideologias contrárias aos princípios bíblicos, influência acadêmica e necessidade de sucesso profissional são algumas das coisas que podem sufocá-los. A resposta é uma: Jesus.

Sementes que produzem a 30, 60 e 100

Após apresentar o evangelho para um universitário, no norte da Geórgia, um cadete do exército reconheceu Jesus como seu salvador e foi apresentado ao líder da igreja local que estava em parceria com o TGE. Ele foi a primeira pessoa com quem um dos membros do time conversou naquela manhã, na qual estavam todos cansados e com muitas coisas a fazer. Seis meses depois, ao voltar àquela mesma universidade, com o mesmo grupo, vimos que aquele mesmo cadete estava lá, sendo discipulado por um dos líderes, estudando a Bíblia e se unindo a nós no evangelismo.

Muitas vezes não ouvimos falar de como foi o discipulado, nem vemos os frutos do que plantamos, mas cremos que o Espírito Santo, através da igreja local, é quem efetua o processo de crescimento e produção dos frutos. O nosso papel é o de lançar a semente, sermos testemunhas de Cristo em todo tipo de solo.

The Great Exchange

Um dos métodos evangelísticos do The Great Exchange nos campi universitários é a aplicação de um questionário aos estudantes, com perguntas sobre visão de mundo e espiritualidade. Com duplo significado, “A Grande Troca” refere-se à troca de ideias e crenças entre o time e o entrevistado. Ao longo da conversa, A Grande Troca descrita em 2 Coríntios 5:21 é exposta. “Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus”.

O TGE-BR busca estabelecer novas parcerias em campus e igrejas, somando esforços para levar o Evangelho, tendo três objetivos:

  1. Falar do evangelho em sua essência, do plano de salvação de Cristo através da cruz, para que pessoas se renderem a Ele;
  2. Engajar estudantes cristãos com ministérios que atuam nos campi e igrejas, investindo no crescimento espiritual deles;
  3. Encorajar e somar às igrejas e grupos universitários para cumprir o mandamento de “ir e fazer discípulos de toda tribo, povo e raça” (Mt 28:26).

Para conhecer melhor a metodologia e o trabalho do TGE, entre em contato pelo e-mail:
thegreatexchangebrazil@gmail.com

  1. Antonio Augusto de Souza

    Deus tem levantado uma geração jovial missionária para ser diferente, fazendo a diferença sem ser indiferente. Creio no plantio da semente que há de frutificar. Nenhum esforço no Reino é em vão, pois o Senhor Jesus Cristo tem graça abundante e exerce misercordia.

  2. TGE é sem dúvida uma estratégia vinda de Deus, pois através desse método, as pessoas são respeitadas nas suas crenças quando tem oportunidade de ser ouvidas e depois confrontadas a luz do evangelho!! E quando aceitam o desafio elas são discipuladas!! Só vindo de Deus para ser tão eficaz…tudo para Glória de Deus!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>