Por Rafael Reis

Se tem algo que me anima bastante é quando alguém compartilha seu desejo de fazer uma viagem missionária. Primeiramente dá vontade de ir junto, aí a realidade puxa você para o chão, mas dá pra ousar a flutuar mais uma vez dizendo “Eu vou com você, com minhas orações e doações”.

É muito gratificante ofertar na vida das pessoas. É tipo quando você gasta dinheiro em uma coisa que você realmente gosta! A alegria aumenta quando você lembra que aquele investimento não é perecível, ele vai durar por toda a eternidade.

Vivemos numa realidade que ainda não é fácil falar de missões, onde aqueles que querem doar suas vidas têm vergonha de encontrar aqueles que desejam doar suas horas de trabalho representados em papel moeda. Somente o nosso contexto explica a vergonha das pessoas, além do desconforto de alguns, em receber a notícia de uma viagem missionária, interpretando como “mais um que vem me pedir dinheiro”.

Todos os nossos esforços missionários ainda não foram suficientes para alcançar o mundo inteiro, então Deus irá continuar chamando pessoas até que o evangelho se espalhe definitivamente. A pergunta que resta é “Você quer participar disso?”, pois independente da sua posição, Deus vai continuar realizando missões através dos seus filhos.

Então aí vai um conselho, aceite toda iniciativa missionária como um recado de Deus pra te lembrar do seu real propósito de vida no mundo. Não é uma questão de dinheiro, é uma questão de entrega e consciência.

Não diminua a missão a uma relação monetária, missões não é sobre dinheiro, capitalismo é. Acolha todo missionário com um “como posso te ajudar?”. O missionário está interessado principalmente na sua companhia e não tem nada de errado nisso porque Cristo é conhecido na nossa unidade. Pois a missão tende a ser solitária, uma vez que é um assunto abafado no meio gospel.

Então como podemos solucionar a nossa relação com os missionários?

Ore. Ore mais e convide outras pessoas para orar. A nossa frase mais batida “vou orar por você” tende a ser a mais mentirosa de nossas vidas. E quem já experimentou missões sabe o quanto essa ação é importante.

Doe. A doação é uma manifestação do apoio verbalizado. Todos estamos um pouco cansados de algumas palavras, precisamos senti-las. Doe seu tempo, seu abraço, sua companhia, seus pertences, suas ideias, seus contatos, seus esforços, seu suor, seu dinheiro.

Normalmente se enxerga alguém que faz missões como aquele que sempre está pedindo dinheiro por aí pra viajar. Mas a verdade é que quem conhece o processo sabe muito bem da necessidade do apoio ao missionário. Logo missionários também são investidores de outros missionários, as pessoas precisam saber disso!

Estas são palavras de um investidor, de um missionário, desses dois na ordem que você quiser. É de alguém que já foi desprezado e também muito amado. É de alguém que vai dar um rolê no mundo amanhã e que tem prazer em se doar para enviar outros também. É de alguém que vê a manifestação de Jesus na doação em unidade. É de alguém que sabe como essas coisas não são fáceis de cumprir, mas está disposto mesmo assim.

Chile, Costa Rica, Venezuela e tantos outros que não pisei, me sinto extremamente grato por Deus ter me dado a oportunidade de ter estado lá mesmo sem estar. É tudo sobre Ele e vale a pena.

“O Deus que concede perseverança e ânimo dê-lhes um espírito de unidade, segundo Cristo Jesus, para que com um só coração e uma só boca vocês glorifiquem ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”. (Romanos 15:5,6)

  • Rafael Reis é de Salvador. É integrante da liderança da Cruzada (CRU), antigo Alfa e Ômega.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>