elena-ferrer-unsplashÉ alta madrugada, o outono passeia pelas ruas estreitas e pelos parques, inspirando com sua beleza em diferentes tons, com o colorido das folhas que se espalham pelo chão.

A mensagem é simples, não tem floreios ou palavras escolhidas a dedo. Chega via celular, vinda de um coração sincero, um amigo.

Pura demonstração de carinho e afeto pelo outro.

Ao final da mensagem, letras se juntam formando uma das mais belas e singulares expressões que descrevem uma caminhada ao lado de alguém, mesmo que por hora a distância seja vista por muitos como uma barreira difícil de se transpor.

Sete letras cheias de significado que batem forte em corações que aprenderam a valorizar e respeitar a vida.

Saudade!

Sentimento escrito em verso e prosa, em linhas que tentam descrever, decifrar e gritar ao mundo seu valor. Como escreveu o poeta Olavo Bilac “Saudade: presença dos ausentes”.

Certamente, em diferentes passos ao longo de uma jornada, todos nós sentiremos a ausência do outro que encerrou sua luta, ou de quem está longe, vagando por outras terras.

Esse sentir revela que pessoas sempre serão importantes. Lembro-me de cada palavra, de cada gesto, do cheiro e do abraço afetuoso de meu velho pai.

E de tantos outros que não se dissiparam como brisa, ao contrário fincaram raízes em minha história de vida.

História que por vezes se esquece ou simplesmente não valoriza uma amizade pura, desinteressada e carregada de uma força que te impulsiona, te levanta no momento da dor ou da perda.

Em tempos de valores trocados, do egoísmo vestido da tal falta de tempo, e da correria típica dos tempos modernos ou modernos tempos, pare por um breve instante.

Permita-se revisitar seus passos até aqui. O que vem à sua memória, quais são suas lembranças, onde estão os velhos amigos? Não seria tempo de rever prioridades, de valorizar o que realmente importa?

Me permite um conselho? Imaginando um sim como resposta, não perca mais um minuto. Busque encontrar aquele velho amigo, ganhe tempo com ele, seja grato, ria, se divirta, deixe que as lembranças se lancem pelo vento como cartas abertas que levarão ao mundo o valor que tem quem tem um bom e velho amigo.

A vida é uma brisa que hoje está aqui e amanhã…

 

• Jeverton “Magrão” Ledo é missionário e trabalha com juventude. Ele e a esposa estão na Bélgica, onde vão morar por um tempo.

Foto: Elena Ferrer/Unsplash

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>