UltJovem_25_03_16_navegarPor Jeverton Ledo

A música ao fundo me despertou. Quando me percebi estava sentado, ao redor meu espaço: o velho óculos, algumas anotações, meu super herói favorito e eu.

Senti a necessidade de vasculhar minha velha mochila surrada pelos anos, e cheia de velhas e boas recordações. Afinal, o que carrega um apaixonado pela vida?

Sim, ali estavam bem vivas as amizades construídas, as cartas e bilhetes quase que apagados pelo tempo. Histórias, seus aprendizados, as trocas de experiência e a constatação que valeu a pena.

Sim, eu faria tudo de novo, mas viveria mais intensamente cada momento, celebraria com mais gratidão, ganharia mais tempo com meu velho pai e sua sabedoria, daria o devido valor ao que realmente importa na vida. Afinal, hoje compreendo melhor o que é prioridade.

Ali, sentado, me vi refletido no espelho da alma, enxerguei o cansaço dos dias vividos, a idade que avança, encarei o processo progressivo de uma enfermidade companheira inseparável, respirei, equilibrei as emoções e agradeci. Agradecer é entender que cada momento carrega em si um propósito, que deixa suas lições e nos motiva a seguir trilhando, e desbravando mares.

Para um homem do mar, navegar é preciso. Encarando a realidade de que alguns velhos sonhos – ou se preferir, desejos – não mais se realizarão.

A compreensão mais clara da dinâmica do viver me livra do fantasma da frustração.

O velho barco está ali, ancorado recebendo seu devido descanso. Afinal, enfrentamos até aqui muitas viagens, navegamos calmarias e tempestades. Me pergunto: “Essa embarcação aguentará novas viagens?”. A esperança de alcançar o porto seguro sinaliza que a jornada não se encerra aqui.

Quantos portos ainda podemos alcançar antes que chegue o fim?

Vou lançar o casco descascado em alto mar, agora com pintura nova, comprarei remos novos, içarei as velas e tenho certeza que o vento soprará a favor. À bordo novos sonhos, novas rotas, a velha mochila. Essa ainda tem espaço para guardar novos capítulos de uma jornada que só terminará quando esse barco ancorar em seu destino final.

• Jeverton “Magrão” Ledo é missionário e trabalha com juventude. Ele e a esposa estão na Bélgica, onde vão morar por um tempo.

  1. Viver sem dúvida é uma graça, mas saber viver é um desafio. Assim como disse o autor, é preciso “entender que cada momento carrega em si um propósito, que deixa suas lições e nos motiva a seguir trilhando, e desbravando mares.” Graças a Deus pela vida! Obrigado, Magrão, pela reflexão.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>