Lama_ou_estrelas2Desde sempre, o ser humano teve dificuldade em lidar com a escolha. É uma encruzilhada que nos impõe grandes dificuldades e, na maioria das vezes, optamos pelo caminho mais curto e mais rápido. Nosso pragmatismo nos empurra para o caminho que exija menos esforço. Queremos chegar logo, independentemente por onde iremos caminhar. Nas bifurcações da vida muitos se perdem e escolhem o caminho largo, mas o caminho largo e espaço é o que leva as pessoas para a condenação, segundo as palavras do Mestre Jesus. Os prudentes e obedientes a Deus, caminham e percorrem pelo caminho estreito, mesmo que esse caminho seja mais doloroso e difícil. O resultado do caminho estreito, nas palavras de Jesus, é esplendoroso, pois nos leva rumo à vida e a salvação.

A religião, como produto da racionalidade humana, aprisiona o ser humano. Religião vem de religare, ou seja, na raiz significa religar o homem a Deus. É uma boa proposta, mas como todo esforço humano é limitado e manchado pelo pecado, a religião se tornou uma prisão. Ela tenta manipular o Sagrado, e assim cria regras que pendem ao fanatismo e se distancia de uma espiritualidade caracterizada pelo serviço ao Senhor Deus e ao próximo. Aquele que tem a eternidade plantada em seu coração (cf. Ec 3:11), acaba aprisionado pelo próprio esforço.

Agostinho de Hipona, teólogo do século V disse: “Quando dois presos olham pelas grades o lado de fora, um deles olha a lama no chão e o outro olha as estrelas”. O ser humano pode escolher para onde olhar. O pecado nos escraviza e nos coloca numa cela escura, fria e vazia da existência humana. Aprisionado pelo pecado e acostumado com as limitações do encarceramento e dos grilhões, o homem olha para as propostas da religião como libertária, mas não as analisa. As propostas de liberdade enunciadas e ensinadas pela religião são aparentes, pois a proposta saudável e libertária só reside nas palavras do mestre Jesus. Ele mesmo disse: “eu sou o caminho, a verdade e a vida” (cf. João 14:6). Essa declaração propõe uma relação de vida e de preenchimento do vazio existencial que o ser humano possui.

O evangelho de Jesus Cristo dá sentido à existência humana e coloca o ser humano numa saudável, obediente e transformadora relação com Deus, caracterizada pelo agir Divino na vida do ser humano pecador e escravizado. A relação proposta por Jesus implica libertação: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mt 11:28). Jesus veio com a missão de “proclamar liberdade aos cativos” (cf. Lucas 4:18). Jesus disse: “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (cf. João 8:32). Ele propõe uma caminhada na Verdade, pois a única libertação se dá pelo conhecimento da Verdade, e a verdade de Deus é uma pessoa: Seu Filho.

É triste perceber que, na maioria das vezes, olhamos pela lacuna da grade e continuamos vendo a lama da religião e não o brilho das estrelas, ou melhor, o brilho da mais linda estrela. Jesus é a Estrela de Davi (Ap 22:16), a luz do mundo. É preciso se libertar da mera religiosidade, parar de olhar a lama e fixar os olhos no brilho da Luz da Estrela de Davi. Jesus, a Luz do mundo, revela nossas imperfeições, nossas falhas, os grilhões da religião que nos aprisionam e nos mostra o caminho na direção do coração do Pai. Que a luz da Estrela brilhe em nossas vidas e promova libertação!

Imagem: Por Viniciusambonatti [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)].

  • Jeferson Rodolfo Cristianini é pastor batista voltado para o ministério com juventude.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>