Por Marlon Bruno

Chega! Cansei de pecar.

Cansei de tentar parar e só conseguir pecar tentando continuar.
Estou farto da imperfeição que aperfeiçoa o meu conformismo.
Chega de mim, assim: um corrupto e corruptor.
Estou exausto da teologia que inocenta Adão e que, ao mesmo tempo, o coloca em regime semiaberto. Ele peca por amor e eu me torno pecador?
Dor? Nem me fale! Não me liste suas consequências. Engane-me, por favor!

O pecado é uma desgraçada piada sem graça pra mim.
Na verdade, fadiga! Isto é o que eu sinto. Estou cansado de decepcionar o Deus dentro de mim. Enfim… morri!
Morri de desgosto porque vivi morto, morto todo este tempo cavando a minha sepultura… e qual é o sentido de tudo isto?
É existir assim: limitado, ignorante, falho e perfeitamente imperfeito?
Chega de motivos para transgredir e de transgressões para motivar.
Quero o meu nirvana. Mas o que adianta querer?
Não quero só ser como Jesus. Quero ser ele… personificado em mim.

O que ainda posso escrever? O que ainda você poderia ler?
Está tudo corrompido! Não há nada imaculado!
Vá para casa e se esconda do mundo. Não se preocupe com mais nada.
O mundo também já se escondeu de todo mundo, pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus. Que saco! Que inferno!
Só quero ser perfeito, isto é defeito? Talvez seja, porque tudo que quero me faz imperfeito.
Então não adianta falar nada, querer nada e escrever muito menos.

Perdi meu tempo aqui!
Não quero mais pecar, errar ou matar a graça que pousou em mim.
Quero agradar o salva-vidas do meu afogamento. Desejo presenteá-lo todos os dias!
Mas, como vou fazer isto? O pecado é algo delicioso, que me enche de serotonina.
Mas, há verdade por trás de suas gostosuras: a morte.
O pecado é quem dá as cartas no meu coração, o coração de um pecador.
Chega desta diabose!
Chega de ser gente não-crente, que mente e não sente a tristeza do Espírito Santo.

Cansei de ser eu
Quero ser como um anjo agora…
Com o sufixo “el” em meu nome e com asas de vitória sobre o pecado, que só batem a serviço de Deus e que só existem para obediência e adoração.
Minha alma clama por retidão.
Só quero saber o que é gratidão!

____________________

Marlon Bruno, 19 anos, é de Ipatinga, MG.

  1. Peremptório, sagaz, subversivo talvez quase! Seu texto é tudo isso, além de “o texto dos trocadilhos”, talvez quando Calvino botou a boca no pó e disse o que disse da graça, talvez ele estivesse vivendo o ápice da expressão máxima desse seu texto. Continue buscando a gratidão. Ela divide espaço com seu enganoso coração! Um abraço!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>