Embora concordem que os cidadãos podem influenciar melhorias sociais por meio de suas escolhas de consumo, os jovens brasileiros ainda usam muito pouco seu poder de compra para induzir práticas sustentáveis nas empresas. Essa é a principal conclusão da pesquisa “Juventude, Consumo e Política”, realizada pelo Centro de Altos Estudos da Escola Superior de Propaganda e Marketing (CAEPM), em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o banco Santander, apoiador pioneiro do Akatu. Mais >