Na linguagem comum, comunhão descreve algo subjetivo, a experiência de cordialidade e segurança na presença dos outros, como em “Tivemos juntos uma boa comunhão”. Mas na linguagem bíblica, koinonia não é nenhum sentimento subjetivo, mas um fato objetivo, que expressa o que temos em comum. Assim, Paulo pôde escrever: “todos vocês participam comigo da graça […]

Continue lendo →

Se nós pelo menos observássemos ‘unidade nos essenciais, liberdade nos não essenciais, caridade em todas as coisas’, as nossas relações certamente estariam na melhor situação possível. (Rupert Meldenius, teólogo luterano do século 17) A unidade é um dos principais abordados por Paulo na Carta de Filipenses. Ao que parece, tinha havido algum desentendimento sério na […]

Continue lendo →