Então o Senhor Deus fez o homem cair em profundo sono e, enquanto este dormia, tirou-lhe uma das costelas, fechando o lugar com carne. Com a costela que havia tirado do homem, o Senhor Deus fez uma mulher e a levou até ele. (Gênesis 2.21-22)

Adão e Eva no jardim do Éden. Artista: Jim Padgett.

Não está claro no texto se devemos entender essa cirurgia divina sob um divino anestésico de forma literal. Porém, algo profundo e misterioso aconteceu ali, inspirando Adão, diante da visão de Eva, a escrever o primeiro poema de amor da história:

Esta, sim, é osso dos meus ossos
e carne da minha carne!
Ela será chamada mulher,
porque do homem foi tirada.
(Gênesis 2.23)

O fato de a mulher ter sido retirada “do lado” tem sido interpretado pelos comentaristas como tendo significado simbólico. Pedro Lombardo, que se tornou bispo de Paris em 1159, por exemplo, escreveu um ou dois anos antes, em seu famoso sumário da doutrina cristã intitulado O Livro das Sentenças: “Eva não foi tirada dos pés de Adão para que fosse sua escrava, nem da cabeça para que governasse sobre ele. Deus tirou-a de seu lado para que ela fosse sua parceira”. Matthew Henry, ao escrever seu comentário bíblico em 1704, provavelmente deve ter se lembrado de Pedro Lombardo quando afirmou que Eva “não foi feita a partir da cabeça de Adão para não superálo, nem de seus pés para não ser esmagada por ele, mas de seu lado, para estar ao lado dele, em igualdade; sob seu braço para ser protegida, e perto de seu coração para ser amada”.

É correto, portanto, que em praticamente todas as sociedades o casamento seja uma instituição reconhecida e regulamentada. Porém, não se trata de uma invenção humana. O ensino cristão sobre o casamento começa com a alegre declaração de que ele é ideia de Deus, não nossa. Como está escrito no prefácio do Marriage Service [Culto de casamento] de 1662, o casamento foi “instituído pelo próprio Deus antes da queda, no tempo em que o homem era ainda inocente”.

Para saber mais: Cântico dos Cânticos 2.14-17

Trecho extraído do livro A Bíblia Toda, o Ano Todo. Editora Ultimato.

Leia mais
>> O Mundo Perdido de Adão e Eva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>