No capítulo intitulado “Dependência”, do livro O Discípulo Radical, John Stott conta algumas histórias para ilustrar o significado de dependência e humildade. Uma delas tem a ver com Michael Ramsey (1904-1988), arcebispo de Canterbury que, discursando para um grupo de pessoas na véspera da ordenação delas, escolheu a humildade como tema para a ocasião e seu discurso incluía os seguintes conselhos:

1. Agradeça a Deus, com frequência e sempre […]. Agradeça a Deus, com atenção e admiração por seus privilégios sem fim […]. Gratidão é um solo no qual o orgulho não cresce facilmente.

2. Interesse-se por confessar seus pecados. Certifique-se de julgar a si mesmo na presença de Deus: isso é o seu autoexame. Coloque-se sob o julgamento divino: isso é a sua confissão […].

3. Esteja pronto para aceitar humilhações. Elas podem doer terrivelmente, mas te ajudam a ser humilde. Pode ser que sejam humilhações insignificantes. Aceite-as. Pode ser que sejam humilhações maiores […]. Tudo isso pode ser uma oportunidade para estar um pouco mais próximo do nosso crucificado e humilde Senhor.

4. Não se preocupe com status […]. Só existe um status com o qual nosso Senhor nos ordena a estar preocupados: o status de proximidade dele mesmo.

5. Use seu senso de humor. Rir das coisas, rir dos absurdos da vida, rir de si mesmo e de seus próprios absurdos. Nós somos, todos nós, criaturas infinitamente pequenas e burlescas dentro do universo de Deus. Você tem de ser sério, mas nunca ser cerimonioso, porque se você for cerimonioso sobre qualquer coisa, existe o risco de tornar-se cerimonioso com você mesmo.1 

Nota:
1 – The christian priest today. SPCK, 1972. Edição revisada, 1985. Capítulo 11: “Divine humility”, p. 79-91.
Texto originalmente publicado no livro O Discípulo Radical.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>