Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo (Mateus 28.19).

Somente a partir do nono século é que o primeiro domingo após o Pentecostes passou a ser popularmente celebrado como o Domingo da Trindade. Trata-se de um arranjo bastante apropriado, sedimentado por Cranmer em seu Livro de Oração, de 1549. Temos seguido o calendário da igreja através do Antigo Testamento (a história do Deus-Pai Criador) e do Natal à Páscoa (a história de Jesus), chegando ao seu ponto culminante com a vinda do Espírito. Vimos assim a revelação histórica da Trindade.

Tem sido de grande ajuda para mim, por muitos anos, recitar a liturgia trinitariana a seguir – que começa louvando a Deus e termina com uma oração -, no início de cada dia.

Deus Todo-Poderoso e eterno,

Criador e sustentador do universo, eu te adoro.

Senhor Jesus Cristo,

Salvador e Senhor do mundo, eu te adoro.

Santo Espírito,

Santificador do povo de Deus, eu te adoro.

Glória ao Pai, ao Filho e a Espírito Santo.

Tal como era no princípio, é agora e será para sempre,

até o final dos tempos.

Amém.

Pai Celestial, que eu possa viver cada dia

Em tua presença e agradar-te mais e mais.

Senhor Jesus Cristo, peço-te que neste dia

Eu possa tomar a minha cruz e te seguir.

Espírito Santo, oro para que neste dia teu fruto possa amadurecer 

Em minha vida – amor, alegria, paz, paciência, bondade,

mansidão, fidelidade, generosidade e autocontrole.

Santa, bendita e gloriosa Trindade, três pessoas e um único Deus,

Tem misericórdia de mim.

Amém

Para saber mais: Efésios 2.18

Texto originalmente publicado em A Bíblia Toda o Ano Todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>