Arquivo de fevereiro 2013

Ecumênicos versus evangélicos

Estamos todos conscientes de que, durante os últimos anos, especialmente a partir da Quarta Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas, em Uppsala, em 1968, as relações entre cristãos evangélicos e ecumênicos (se posso usar esses termos como uma abreviação conveniente, pois reconheço que eles não são de forma alguma mutuamente excludentes) têm evoluído para algo parecido com uma confrontação. Não desejo piorar esta situação. E espero também não recorrer à estratégia dúbia de colocar alguns pinos ecumênicos a postos para derrubá-los com bolas evangélicas certeiras, de forma que possamos aplaudir nossa vitória fácil!

Veja bem, acredito que algumas ideias ecumênicas são erradas. Porém, por outro lado, creio que algumas de nossas formulações evangélicas tradicionais também são erradas. Muitos cristãos ecumênicos não parecem ter começado a aprender como viver sob a autoridade das Escrituras. Nós, evangélicos, pensamos que sabemos — e não há dúvida de que queremos isso com sinceridade —, mas em várias situações somos muito seletivos em nossa submissão e, em outras, as tradições dos evangélicos mais antigos parecem ser mais fruto da cultura do que da Escritura.

John Stott

(trecho da introdução de Missão Cristão no Mundo Moderno, Editora Ultimato, p 14).

 

Obediência radical

Obediência Radical é um movimento de cristãos dedicados a obedecer a Deus radicalmente. Também conhecido como “OR”, o propósito do movimento é provocar jovens à obedecer radicalmente a Jesus Cristo e levar a palavra de vida dele até os confins da terra.

Os membros do projeto gravaram um vídeo baseado no livro de John Stott “O Discípulo Radical”. Nós, da Ultimato, agradecemos pelo envio e fazemos questão de mostrar esse belo trabalho aqui. Confira o resultado:

 

Video not available