o tempo e Aslan

Estou aproveitando as férias para reler as aventuras de Nárnia (C.S. Lewis). Delicio-me com a profundidade do autor escondida por trás das afirmações aparentemente simples. No livro O Navio da Alvorada, há uma cena em que Lucy conversa com Aslan sobre a percepção do tempo. Aslan havia dito:

— Breve nos encontraremos novamente.

— Aslan, que chama de breve?

— Para mim, todo o tempo é breve — respondeu Aslan, desparecendo de repente e deixando Lúcia sozinha com o mágico. (C.S. Lewis, O Navio da Alvorada, p. 119)