O poeta Mário Quintana era apreciador de toda sorte de arte: cinema, música, teatro, pintura. Em seu breve poema intitulado “If…”, faz uma homenagem a um belíssimo quadro de Sandro Botticelli: “Anunciação de Cestello”. Pode-se dizer que é uma breve análise do quadro em forma de poesia.   If…   E até hoje não me esqueci […]

Continue lendo →

EU SOU AQUELE (Mário Quintana) Eu sou aquele que, estando sentado a uma janela, a ouvir o Apóstolo das Gentes, adormeci e caí do alto dela. Nem sei mais se morri ou fui miraculado: Consultai os Textos, no lugar competente o que importa é que o Deus que eu tanto ansiava como uma luz que […]

Continue lendo →

O sol se põe na linha do horizonte. A escuridão pouco a pouco invade a terra. No risco distante do poente vê-se apenas um clarão. Olhando para trás, o escuro da noite parece encobrir a cidade, menos os prédios mais altos, ainda tocados pela claridade do sol. Tenho para mim que nossos poetas, nossos grandes […]

Continue lendo →