moltmannEstou terminando de ler o livro Teologia da Esperança, de Jürgen Moltmann. A obra tem uma rica fundamentação da teologia bíblica, ao mesmo tempo em que dialoga diretamente com os mais importantes representantes da teologia sistemática e da filosofia. O capítulo 4, particularmente, apresenta uma rica exposição sobre o conceito de história em Moltmann, que faz referência a Walter Benjamin, a Ernst Bloch, George Lukács e outros pensadores. Meus amigos estudiosos da história precisam ler esse livro.

Segue um pequeno fragmento que me impressionou bastante.

O passado terá de ser examinado em relação ao seu próprio futuro. Toda a história está cheia de possibilidades — possibilidades que têm sido aproveitadas ou não aproveitadas, apreendidos e bloqueados. Nessa perspectiva, ela aparece cheia de possibilidades interrompidas, primórdios perdidos, iniciativas arrebatadas para o futuro. As eras passadas irão, assim, ser entendidas do ponto de vista de suas esperanças. Elas não eram a base do presente que agora existe, mas eram elas mesmas o presente e a linha de frente para o futuro (Moltmann, Theology of Hope, p. 174).