De Outros

despedida de um velho pastor

Faleceu hoje em Florianópolis o Rev. Eny Luz de Moura. Como despedida e reflexão, deixo um poema escrito por outro pastor que também passou por Florianópolis: Rev. Agenor Mafra. O poema chegou às minhas mãos por meio de seu neto Henrique Mafra.

Oh! Adeus rebanho que Jesus um dia

Com bondade extrema a mim entregou

Com grande alarido eu então dizia:

Velarei de noite, lutarei de dia

Pra servir-te, oh Cristo, pronto estou

.

Cheio o meu surrão, pronto o meu cajado

Suarento o sol, friorento o luar

A subir montanhas, a passar valado

Ia conduzindo o meu rebanho amado

Sob a graça eterna, sob eterno olhar

.

Tenho envelhecido com as serras brutas

Onde nascem murtas, onde medra a flor

Assentado em pedras ou dormindo em grutas

Sem cessar jamais as terríveis lutas

Pelo santo rebanho do meu Salvador

.

Hoje derreado, de pernas quebradas

Da tristonha tumba só distante um pé

Onde as minhas lutas? Onde as invernadas?

Nada mais me resta de ilusões passadas?

Oh, crepita ainda no peito a fé

.

No ostracismo agora, oh pastor bendito

Venho a ti em pranto, ouve o meu clamor

Tu onipotente, tu Deus infinito

Ouve a oração deste pobre aflito

Ao rebanho amado manda outro pastor

Pr. Agenor Mafra, Agenor Mafra

(esposo de Cristina Lenz Cesar) – nascido em 18/4/1899. Converteu-se no dia 1916. Ordenado no dia 13/12/1925, aos 26 anos. Pastor em Celina, Rio Negro (PR), Florianópolis (SC), Blumenau (SC) e Niterói (RJ). Morreu no dia 5/7/1964.