old_ruins_of_jerusalem_western_wall-otherEsta é uma das canções que escrevi pensando em Jerusalém, a cidade amada. Nela se cruzam os caminhos de vários povos. O nome sugere que ali se estabeleceria o fundamento paz, no entanto a história dá conta de uma série de desencontros, de conflitos de alegria e lamento misturados na mesma lágrima. Ali, o Senhor Jesus derrubou o muro da inimizade e estabeleceu profunda paz entre nós e o Eterno, e entre nós e os outros, entre nós e nós mesmos.

 

“Jerusalém”
(Gladir Cabral)
As pedras sobre as pedras,

Uma prece que ressoa

Os passos nas calçadas

Inundadas de pessoas

Os risos e as lágrimas

Brilhando ao sol poente

A rua iluminada

Pela estrada do oriente

 

Jerusalém, Jerusalém,

Os teus jardins e oliveiras

Fazem bem

Os teus portões abraçam

Todo o ser que vem te ver

E amar assim, Jerusalém

 

No espaço do sagrado

Se ouve a prece do segredo

Há corações sangrados

De incontáveis desenredos

Mas há também as rimas

Soltas pelos quatro cantos

Canções de liberdade

Alegria e acalanto

 

Jerusalém…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>